Presidente diz que Ferrari ficaria “mais do que contente” fornecendo motores para Red Bull na F1

Com a informação de que a Red Bull conversa com a Ferrari para receber os motores italianos no próximo ano, o presidente da equipe italiana se mostrou bem aberto à possibilidade

Fornecer motores para a Red Bull em um futuro próximo é algo visto com bons olhos pela Ferrari, admitiu o presidente da equipe italiana, Sergio Marchionne.

O assunto surgiu nesta semana, com a informação de que a Red Bull conversa com o time de Maranello para substituir a Renault. Os problemas dos motores franceses vem sendo muitos. Inclusive, neste fim de semana, Daniil Kvyat e Daniel Ricciardo largaram com punições de dez posições no grid de largada para cumprir. O australiano chegou em décimo.

LEIA TAMBÉM

Invicto na Europa, Rosberg vence GP da Áustria de F1Massa usa experiência para chegar ao 40º pódioMassa se torna nono piloto a alcançar 1000 pontos na história


Daniel Ricciardo largou em 18º para chegar em décimo no GP da Áustria (Foto: AP)

"Eu tenho muito respeito pela Red Bull. Fizeram muito pelo esporte, ganharam o campeonato por vários anos. Acho que vão encontrar o rumo outra vez e, se pudermos ajudá-los a chegar lá, ficaríamos mais do que contentes", declarou Marchionne, neste domingo (21), na Áustria.

"Está no nosso DNA, já fizemos isso antes. Acho que podemos fornecer motores para qualquer dos times que quer correr", comentou.

Marchionne também garantiu que, se entregasse motores para a Red Bull, tratariam-se de propulsores iguais aos de sua própria equipe. "Desde que mantenhamos o controle do trabalho aerodinâmico do carro, haverá uma diferença suficiente entre nós e os adversários. Ficamos mais do que contente por ajudar a estabelecer uma divisão de forças equilibrada na F1", completou.

A Red Bull já teve motores Ferrari antes, entre 2005 e 2007. Também foi com os motores italianos que a Toro Rosso venceu o GP da Itália de 2008, com Sebastian Vettel ao volante.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube