Red Bull demite funcionário na Fórmula 1 por mensagens racistas no WhatsApp

Depois do vazamento de mensagens em uma conversa de WhatsApp, a equipe dos energéticos reforçou que têm tolerância zero com comportamento racista

Animação 3D compara acidente de Verstappen com ultrapassagem em Leclerc (Vídeo: Crashalong)

A Red Bull demitiu um de seus funcionários na Fórmula 1 por causa de mensagens racistas. A empresa dos energéticos aplicou a política de tolerância zero após o vazamento de mensagens preconceituosas em uma conversa de WhatsApp.

No início da semana, foram postadas nas redes sociais mensagens de uma conversa do aplicativo onde um funcionário da Red Bull usava linguagem racista. De acordo com a Sky Sports, não se trata de um funcionário conhecido do público da equipe de pista.

Red Bull confirmou demissão de funcionário (Foto: Red Bull Content Pool)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Em contato com a publicação inglesa Autosport, a Red Bull confirmou que desligou o funcionário e reforçou o teor da mensagem publicada dias atrás, quando condenou os ataques sofridos por Lewis Hamilton após o polêmico acidente com Max Verstappen no GP da Inglaterra.

“Como declaramos publicamente na semana passada, condenamos o racismo de qualquer time e temos uma política de tolerância zero com comportamento racista dentro da nossa organização”, disse um porta-voz da Red Bull. “A pessoa em questão não é mais um funcionário da Red Bull Racing”, completou.

Na quinta-feira, Hamilton comentou os ataques que sofreu e disse que foi a primeira vez em que não esteve sozinho em meio a ataques racistas.

Fórmula 1 volta a acelerar neste fim de semana, com o GP da Hungria. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar