Russell defende amigo Albon e diz que Red Bull “o faz parecer um idiota, e ele não é”

Alexander Albon foi eliminado no Q2 da classificação em Hungaroring. Ao sair dos boxes para suas últimas tentativas de volta rápida, o anglo-tailandês enfrentou tráfego e reclamou da Red Bull. George Russell defendeu o amigo de anos e criticou a equipe taurina. “Não sei que diabos está acontecendo”

O sábado (18) de classificação do GP da Hungria foi de sentimentos contrastantes para George Russell. De um lado, a felicidade por ajudar a colocar a Williams pela segunda vez consecutiva no Q2, o que também foi conquistado também por Nicholas Latifi em Hungaroring. Por outro lado, o prodígio de 22 anos lamentou por ver o amigo Alexander Albon, da Red Bull, ficar fora da fase final da definição do grid de largada. O anglo-tailandês foi enviado pela equipe taurina em meio ao tráfego para as suas voltas finais no Q2 e não conseguiu passar da 13ª colocação, logo atrás de Russell.

O britânico partiu em defesa do amigo, exaltou sua capacidade como piloto e, em contrapartida, criticou a Red Bull.

“Conheço Alex há tempos, como você sabe. Há 15 anos que estou no mesmo paddock que ele. Ele é um dos melhores pilotos que nós todos conhecemos. Max [Verstappen], Charles [Leclerc], todos nós vamos dizer que ele sempre esteve na frente em tudo o que fez”, disse.

Alexander Albon foi defendido por George Russell após ser eliminado no Q2 na Hungria (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

“E eu não sei que diabos está acontecendo”, disparou Russell. “Eu me sinto muito mal por ele, porque isso o faz parecer um idiota, e ele não é, absolutamente. Ele ganhou em tudo o que fez. Então não sei o que está acontecendo, mas eles precisam resolver seu problema”, complementou.

Via rádio, enquanto voltava para os boxes após ter sido eliminado da classificação na Hungria, Albon reclamou da decisão da equipe. “Desculpe, pessoal. Mas já disse: não me coloque no tráfego”.

Pouco depois, um pouco mais calmo, o anglo-tailandês admitiu sua parcela de culpa para ter ficado fora da disputa pela pole em Hungaroring.

“Foi um pouco de tudo. Obviamente, também não fiz uma boa volta. Mas tivemos outra volta para consertar. São algumas coisas, para ser sincero. Então, eu só preciso conversar com a equipe e discutir isso para estar melhor preparado para a próxima”, complementou.

Russell e Latifi destacam ida ao Q2, mas revelam: “Esperavam mais”

Em contrapartida, Russell ficou feliz por ter alcançado a meta para o sábado no circuito magiar.

“Nosso objetivo era o Q2, [superar] as Alfa Romeo e as Haas. E o carro ganhou vida no começo do Q1 e entrou num bom ritmo, e dei tudo o que tinha. Mas irrita muito estar em duas semanas seguidas perdendo o Q3 por uma margem tão pequena”, comentou.

George Russell foi um dos grandes nomes da classificação em Hungaroring (Foto: Williams)

Russell ficou a menos de 0s2 de entrar para o Q3 neste sábado. O melhor tempo do inglês foi 1min15s698, muito perto da volta em 1min15s661 feita pela Renault de Daniel Ricciardo e um pouco mais atrás da AlphaTauri de Pierre Gasly, o último do Q2 a entrar para a fase final da classificação.

“Preferia estar um pouco mais distante porque parece um tanto frustrante, mas, sim, estou bem satisfeito”, concluiu o dono do carro #63.

Companheiro de equipe de Russell, Nicholas Latifi passou para o Q2 pela primeira vez na sua ainda curta carreira de três finais de semana de GP na Fórmula 1. O canadense também deixou para trás os carros de Kimi Räikkönen e Antonio Giovinazzi, da Alfa Romeo, as Haas de Romain Grosjean e Kevin Magnussen e a AlphaTauri de Daniil Kvyat.

A sessão deste sábado em Budapeste mostrou, cada vez mais, uma Williams que mudou de patamar e não protagoniza mais as últimas posições do grid. Prova disso é a boa performance do novato em Hungaroring.

“Definitivamente, estou muito feliz. Foi a minha primeira vez no Q2. Do ponto de vista da equipe, temos de reconhecer o trabalho incrível que ela tem feito. Sabíamos que esta pista se adaptaria mais ao nosso carro, mas não imaginávamos que estaríamos no Q2, e isso mostra que evoluímos muito”, disse o piloto.

Mas assim como Russell, Latifi não ficou completamente feliz. “Estou um pouco decepcionado comigo mesmo por não estar um pouco mais acima, esperava um pouco mais. No entanto, pude me sentir satisfeito com a sessão no geral”, completou.

Neste domingo, o Briefing entra ao vivo às 9h (Brasília, GMT -3) o pré-corrida do GP da Hungria de F1 com análise da classificação e as últimas informações antes da largada da terceira etapa do Mundial 2020. Inscreva-se no canal do GRANDE PRÊMIO no YouTube e ative as notificações.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube