F1

Sem arrependimentos, Rosberg avalia decisão de deixar Hamilton passar em Mônaco: “Foi bem simples e óbvio”

Para que a Mercedes tivesse chances de alcançar Daniel Ricciardo e venceresse o GP de Mônaco, Nico Rosberg precisou tomar uma decisão: sob ordens da equipe, deixou Lewis Hamilton, muito mais rápido, passar. Funcionou e não restou qualquer interrogação na cabeça do líder do Mundial de F1
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Daniel Ricciardo, Nico Rosberg e Lewis Hamilton (Foto: Mark Thompson/Getty Images/Red Bull)

Nico Rosberg permitiu que a Mercedes tivesse uma chance de vencer o GP de Mônaco no último domingo. Não foi, porém, graças a sua direção - como tem sido normalmente nesta temporada. Atrás de Daniel Ricciardo que tinha ritmo muito melhor que o seu, Nico ouviu a Mercedes e tomou a decisão de deixar que Lewis Hamilton passasse e tentasse vencer. Deu certo, e Rosberg não se arrepende.
 
Líder do campeonato, pode parecer estranho que Rosberg tenha aceitado a se submeter sugerir a vitória ao seu único rival real na luta pelo título. Segundo o alemão, a Mercedes o avisou para aumentar o ritmo, ele não conseguiu e então a decisão era muito clara: deixar que o time tivesse alguma chance. E Hamilton já até agradeceu.
 
"Primeiro de tudo: no momento foi bem simples, porque é uma regra que temos há muitos anos e foi bem óbvio na hora que eu não ia conseguir lutar pela vitória com o ritmo que tinha. Era claro que precisávamos dar uma chance a Lewis. Me deram um aviso para eu tentar aumentar o ritmo, eu não consegui, então o próximo passo era deixar Lewis passar. O resultado final mostra que valeu a pena para o time. Provou que foi a coisa certa a fazer, senão Lewis não teria vencido", disse.
Nico Rosberg e Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)
Falou, porém, que não se importa que a diferença que tinha tenha caído de 43 para 24 pontos. Nico tratou como algo normal e voltou a falar que não está pensando em título ainda. Queria, sim, vencer no lugar em que mora. Não deu que fosse assim, e agora é hora de se concentrar no GP do Canadá do Dia dos Namorados.
 
"Tenho dito que não estou pensando ainda no campeonato. Estou desapontado porque eu queria vencer em Mônaco, eu queria ganhar minha corrida de casa, a que me deixa mais animado o ano todo, e era isso que eu queria fazer. Estou decepcionado que passei quilômetros longe de conseguir, é isso. Então a questão de em quantos pontos está a diferença, não sei, porque não estou olhando", afirmou.
 
"Corridas são sempre altos e baixos, e eu estava pronto para esse baixo porque não tinha expectativa de continuar ganhando cada corrida, isso com certeza, o que não era o caso de qualquer forma desde Barcelona. Estava pronto para ter esse baixo e navegar de volta para sair do outro lado. Claro que agora eu ainda estou digerindo, não é fácil, mas amanhã mais ou menos eu estarei pronto para Montreal e lutando para vencer", encerrou Nico.
 
A prova em Montreal acontece em duas semanas, 12 de junho, e o GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e EM TEMPO REAL.
 
PADDOCK GP #30 DEBATE INDY, F-E E MOTOGP