Sem medo, Alonso lista companheiros ‘não tão rápidos’ e afasta repetir com Vandoorne problemas que teve com Hamilton

Fernando Alonso garantiu que não está com medo do confronto que terá com Stoffel Vandoorne. Mais que isso: Alonso afirmou que sempre que tem um novo companheiro precisa responder sobre se teme que os problemas que teve com Lewis Hamilton no ano em que os dois passaram na McLaren, 2007, irão se repetir. Mas, como apontou, no final das contas seus rivais quase sempre ficam aquém do esperado

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Fernando Alonso não está com medo de Stoffel Vandoorne. Para o bicampeão mundial, os problemas que teve com Lewis Hamilton na McLaren, em 2007, não se repetirão. Na realidade, Alonso respondeu a pergunta sobre a rivalidade com Vandoorne com certo cansaço – ele sente que vem respondendo a mesma questão há dez anos.

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Em entrevista concedida ao site norte-americano 'Motorsport.com', Alonso foi perguntado se a chegada de Vandoorne, campeão da GP2 em 2015 e piloto formado pela McLaren, pode ser semelhante ao que aconteceu com Hamilton – e se Fernando tem medo do que pode acontecer, como problemas de relacionamento e ser batido por um novato.

 
Alonso apresentou um contexto histórico para concluir que não está preocupado E o contexto dele foi dado com a afirmação de que os outros pilotos que foram companheiros dele neste período – à exceção de Jenson Button – não foram tão rápidos quanto esperavam. No balaio, Nelsinho Piquet, Felipe Massa, Romain Grosjean e Kimi Räikkönen.
 
"É a mesma questão com todos os companheiros depois da Hamilton. Quando eu me juntei à Renault, era Piquet. Disseram 'ponteiro da GP2, jovem, será o mesmo que Hamilton'. Não foi. Depois, Grosjean. 'Ponteiro da GP2, em 2009 Grosjean será muito rápido'. Não foi. A mesma coisa com Felipe. 'Seja cuidadoso, porque Felipe está lá há muitos anos e conhece a Ferrari. Ele será muito rápido'. Ele não foi rápido. Aí veio Kimi. Estavam dizendo 'um campeão mundial voltando à Ferrari, ele será muito, muito rápido'. E ele não foi rápido", falou.
Fernando Alonso (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
"Vamos ver como Stoffel se sai. Eu não estou preocupado, nós não estamos num momento de lutar pelo título, então precisamos brigar contra isso. Agora é momento de trabalhar juntos, e precisamos ajudar o time em qualquer coisa que possamos para tornar esse período difícil o mais curto possível. Estou feliz com a chegada de Stoffel, um ar novo, muito talentoso na GP2 e no Japão esse ano. Mas não estou com medo", encerrou.
 
Vandoorne é visto pela McLaren como um grande talento. Já inclusive estreou na F1 em 2016, substituindo o próprio Alonso no GP do Bahrein após a forte batida do espanhol na Austrália. Vandoorne foi décimo colocado, marcando o primeiro ponto da McLaren na temporada.
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube