Pérez admite que “está levando um tempo” até se acostumar com pilotagem da Red Bull

Sergio Pérez, quinto no Bahrein, destacou que o RB16B é “muito diferente” do que ele está acostumado, porém, ressaltou evolução obtida em solo barenita

Hamilton vence na estratégia e pega Verstappen: assista como foi o GP do Bahrein (Vídeo: GRANDE PRÊMIO com Reuters)

Mesmo terminando o GP do Bahrein na quinta colocação após largar do pit-lane, Sergio Pérez segue com a impressão de que precisa de mais tempo até se adaptar melhor à nova realidade da Red Bull. O piloto relata aprendizado e satisfação com a primeira etapa, mas apontando também o dedo para problemas que precisam ser resolvidos tão cedo quanto possível.

“Tiveram alguns problemas específicos relatados sobre a forma que eu estou guiando o carro, tenho que me ajustar à direção deste carro”, disse Pérez. “Primeiramente, eu preciso ter certeza que estou pilotando da forma que o carro necessita ser pilotado e então trabalhar em cima disso. Mas está levando um tempo, pois é muito diferente do que estou acostumado”, seguiu.

Os primeiros sinais de dificuldades vieram na classificação, quando Pérez foi o 11° mais rápido e nem participou do Q3. Uma pane na volta de apresentação quase forçou abandono precoce. Ainda assim, largando do pit-lane, Sergio mostrou ritmo forte e surgiu em quinto ao fim da prova.

“Isso é positivo, que o ritmo de corrida foi forte, mas ainda tem muitas coisas que estamos ajustando. Creio que no momento que tudo se acertar, nós seremos realmente fortes. Temos apenas de ser sólidos e imprimir um bom ritmo. Aí sim, tudo estará bem”, destacou.

Sergio Pérez, da Red Bull, no GP do Bahrein (Foto: Beto Issa)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“A minha corrida nunca acalmou. Eu ainda não tive muitas voltas, aí você fica sempre correndo contra o relógio, neste sentido. Mas gostei do entendimento do carro, começamos a senti-lo um pouco melhor. Neste sentido, estou satisfeito”, afirmou.

Dito isso, o mexicano sente que a estratégia de lançá-lo ao Q2 com pneus médios, levando à queda no Q2, foi um dos maiores percalços em seu desempenho ao longo do final de semana. “Eu já estava satisfeito com o fato de termos conseguido quilometragem. Perder o Q3 foi um atraso no nosso progresso, foi uma pena. Eu não maximizei a classificação, mas as coisas estão começando a se encaixar mais, volta a volta. A coisa mais importante foi a quilometragem que eu consegui”, concluiu.

Pérez é novidade na Red Bull, vindo da Racing Point. O mexicano passou sete anos da equipe de Silverstone, desde os dias de Force India, antes de tomar a vaga de Alexander Albon em Milton Keynes.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube