Pérez promove surpresa geral e conquista pole do GP da Arábia Saudita de F1

Sergio Pérez! O mexicano surpreendeu a todos, superou Max Verstappen e a dupla da Ferrari para anotar a primeira pole da carreira na Fórmula 1

FÓRMULA 1 AO VIVO 2022: A CLASSIFICAÇÃO DO GP DA ARÁBIA SAUDITA DE F1 | Briefing

No universo da Fórmula 1, os sustos ficaram no passado e os carros alinharam para classificar na noite saudita – tarde brasileira – deste sábado (26), em Jedá. Após três treinos livres liderados por Charles Leclerc, havia um favorito claro, mas nem tão grande assim, visto que Max Verstappen ficara bem perto todas as vezes. A batalha pela liderança do Mundial ganhou mais um capítulo, então, na pista de rua. Quem levou a melhor e conquistou a pole-position foi Sergio Pérez.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
F1 se faz de sonsa ao correr na Arábia Saudita e adiciona capítulo de desprezo à história

Se Charles Leclerc passou todos os treinos livres na frente e com a aproximação notável de Max Verstappen, a classificação foi mostrando um panorama um tanto quanto distinto. Carlos Sainz superou ambos no Q1. Depois, no Q2, fez a mesma coisa nos últimos segundos. Restava saber quem faria o quê e se Pérez se lançaria à briga na fase final. E o que o mexicano fez foi o bastante. Demorou mais de dez anos e 219 fins de semana de F1, mas a primeira pole da carreira chegou.

A situação de Lewis Hamilton também foi importante. O heptacampeão simplesmente não conseguiu se encontrar com o carro da Mercedes na primeira fase da classificação. Sempre muito atrás de George Russell, Hamilton ficou perto da zona de eliminação o tempo inteiro. Entrou na volta derradeira sendo eliminado e conseguiu sair por um momento. Até que Lance Stroll deu o troco, foi mais rápido e jogou Hamilton para a primeira eliminação no Q1 desde o GP do Brasil de 2017.

É impossível contar a história do sábado em Jedá sem falar do acidente de Mick Schumacher. O piloto da Haas perdeu o controle do carro no meio do Q2 e deu uma pancada bastante preocupante. De tão forte, o carro se chocou contra diferentes partes do muro de proteção, nos dois lados da pista. A bandeira vermelha durou quase uma hora, mas a boa notícia chegou até rapidamente dada a preocupação que se instalou: o alemão estava consciente, sem lesões aparentes e havia conversado com a mãe por telefone. Resta saber se terá condições de correr no domingo.

No domingo, a largada está marcada para o mesmo horário desta classificação: 14h (de Brasília). O GRANDE PRÊMIO acompanha o GP da Arábia Saudita AO VIVO e EM TEMPO REAL.

A noite de sábado da F1 em Jedá (Foto: Ferrari)

Confira como foi a classificação:

Q1 – Hamilton sofre com Mercedes e é eliminado logo de cara

Noite apontada, temperatura quente, perto dos 30°C, e carros na pista. O circuito de rua montado às margens do Mar Vermelho viu a segunda classificação do ano começar no horário certo e com uma grande dúvida a responder para além da briga pela pole: todos os carros de motor Mercedes ficariam, mesmo, rapidamente pelo caminho? No último treino livre, a Mercedes alcançou marca historicamente ruim na Era Híbrida. As dificuldades eram evidentes.

Lando Norris foi quem correu para testar a pista inicialmente. Faz sentido para o que vem sendo a posição da McLaren neste começo de temporada, perto do fim da tabela. As primeiras voltas rápidas apareciam, inclusive com as Ferrari.

Entretanto, quando Charles Leclerc tentava completar a primeira volta lançada – e era rápida -, bandeira vermelha. O motivo foi Nicholas Latifi, que perdeu completamente a traseira da Williams na entrada da curva 13, foi ao largo da área de escape enquanto rodava, bateu com um lado da frente do carro na quinta de uma barreira de proteção e foi parar em cheio na outra. “Desculpa, pessoal. Não sei o que aconteceu, a traseira só foi embora”, lamentou.

Com tudo parado, meio grid não tinha tempo veloz registrado. As Ferrari até estavam no relógio, mas as voltas concluídas foram dizimadas pela bandeira vermelha. Tirando os três, só 11 tinham tempo. Kevin Magnussen e Mick Schumacher, lideravam. A Red Bull, seguia sem aparecer.

Nicholas Latifi bate no Q1 da classificação e provoca bandeira vermelha na Arábia Saudita (Vídeo: F1)

Lewis Hamilton aparecia pela primeira vez numa conversa com a equipe, por tinha o 11º de 11 tempos. Questionado se estava perdendo tempo no setor inicial da pista, recebeu o aviso de que sim, perdera 0s7 para o companheiro George Russell. “Tudo isso só no primeiro setor?”, questionou assustado.

Depois da breve interrupção, bandeira verde e ainda mais de 11 minutos de Q1 pela frente.

Se parecia que a AlphaTauri estava cheia de motivos para ficar otimista, Yuki Tsunoda recebeu um choque de realidade logo na retomada. Ainda na volta de instalação, o japonês recebeu a ordem da equipe para regressar aos boxes. O carro tinha problemas. A confiabilidade aparecia como questão real no time italiano.

Com as Red Bull na pista, a disputa pelos primeiros lugares do Q1 esquentou um pouco. Max Verstappen e Sergio Pérez se lançaram para as duas colocações de frente, mas durou somente até a Ferrari aparecer. Leclerc até terminou atrás de Max, mas Carlos Sainz marcou 1min28s855 e tomou a ponta.

Hamilton tentou mais uma volta e não conseguia sair da zona de eliminação. A resposta para a equipe foi que “eu não estou conseguindo melhorar, gente”. Tinha somente mais uma chance para ir ao Q2. Não conseguiu. Para espanto absoluto de todos, Hamilton foi capaz de pular só para 15º, mas Lance Stroll veio segundos depois e melhorou o tempo. Lewis ficou em 16º. “Perdão, pessoal”, desculpou-se no rádio após a primeira eliminação de Q1 desde 2017. Russell terminou em quarto.

A única coisa que evitou todos os eliminados serem pilotos empurrados por motor Mercedes foi o problema de Tsunoda, que sequer anotou tempo. Depois de Hamilton, Alexander Albon, Nico Hülkenberg e Latifi, além de Yuki ficaram fora. Sainz foi o mais rápido.

Lewis Hamilton foi eliminado no Q1 (Foto: Mercedes)

Q2 – McLaren sobra em fase marcada por acidente forte de Mick Schumacher

Magnussen foi logo para a pista em buscar de colocar a Haas em outra fase final da classificação seguida, mas não ficaria sozinho. A pista encheu rapidamente em Jedá.

Leclerc anotava a volta da frente, enquanto Pérez e Verstappen ficavam, respectivamente, 0s04 e 0s06 apenas atrás. Alonso era o melhor do resto, atrás ainda de Sainz, na quinta colocação. Mas a confusão se desenhava atrás: Esteban Ocon reclamou forte no rádio da Alpine por ter sido bloqueado por Daniel Ricciardo. Imediatamente, a direção de prova colocou a situação sob investigação.

A disputa pelas dez vagas no Q3 seguiam firme, mas Schumacher, que figurava dentro do top-10 com cinco minutos ainda pela frente, se envolveu num acidente fortíssimo e bateu em mais de um ponto na pista. O carro da Haas ficou gravemente danificado.

O acidente de Mick Schumacher na classificação em Jedá (Foto: Reprodução)

A preocupação era visível. Os pilotos imediatamente voltaram para os boxes, enquanto a imagem não se aproximava do acidente – nem replays eram colocados no ar. A ambulância chegou e até mesmo o helicóptero médico foi deixado de prontidão, o que foi aumentando a preocupação com o jovem alemão. Alguns minutos depois, a Haas avisou no Twitter que Schumacher estava consciente e fora levado ao centro médico na pista.

Guenther Steiner, chefe da Haas, também aparecia para dizer que Schumacher não tinha lesões aparentes, enquanto a transmissão da Sky Sports inglesa relatava que o piloto já até havia conversado com a mãe, Corinna, na chegada ao centro médico. Faltava esperar a normalização das condições das barreiras na pista para soltar o restante da classificação.

Quase uma hora após o acidente de Schumacher, bandeira verde e Q2 retomado. Ainda restavam 4min58 de sessão, mas até o relógio zerar ninguém mudou de posição. Magnussen abortou a primeira tentativa quando passou perto do local do acidente, certamente muito escorregadio para não esperar certa borracha de outros carros. Depois, porém, cravou um bom tempo e entrou com sobras no top-10.

No fim das contas, pouca gente melhorou. Russell terminou em décimo e conseguiu ir ao Q2. Norris e Ricciardo, em 11º e 12º, abriram a lista de eliminados. Guanyu Zhou, Schumacher e Stroll foram os outros. Sainz, ao contrário, surgiu novamente para, assim como no Q1, cravar a melhor volta do trecho: 1min28s686. Sainz, Leclerc, Pérez, Verstappen, Alonso, Bottas, Gasly, Magnussen, Ocon e Russell foram os dez classificados.

Lando Norris foi eliminado no Q2 (Foto: McLaren)

Q3 – Pérez aparece sorrateiro e faz primeira pole da carreira na Fórmula 1

A primeira rodada de voltas rápidas do Q3 não negociou com alguma reviravolta no resultado da classificação: Sainz terminou com 1min28s402 e à frente de Leclerc e Pérez. Verstappen passou somente em oitavo após uma volta muito ruim.

O holandês, aliás, foi o último a sair na primeira e novamente na segunda tentativa. Entre os dois, estavam Ocon, Russell, Bottas e Alonso. Gasly e Magnussen fechavam a lista.

Havia, porém, a última tentativa. E havia um coelho enorme na cartola de Checo Pérez.

Sainz não conseguiu melhorar a própria volta e ficou torcendo para tudo dar errado com a velocidade dos rivais, mas logo o companheiro Leclerc tomou o primeiro lugar. Então, Red Bull. Pérez surpreendeu a todos e cravou 1min28s200, pulando para a frente.

Verstappen, não. O campeonato mundial mostrava nervosismo no rádio da equipe ao dizer que não tinha aderência. A dificuldade se transmitiu para a pista: Max fechou somente na quarta colocação. Ocon, Russell, Alonso, Bottas, Gasly e Magnussen fecharam o top-10.

Fórmula 1 2022, GP da Arábia Saudita, Jedá, Classificação:

1S PÉREZRed Bull Honda1:28.200 
2C LECLERCFerrari1:28.225+0.025
3C SAINZFerrari1:28.402+0.202
4M VERSTAPPENRed Bull Honda1:28.461+0.261
5E OCONAlpine1:29.068+0.868
6G RUSSELLMercedes1:29.104+0.904
7F ALONSOAlpine1:29.147+0.947
8V BOTTASAlfa Romeo Ferrari1:29.183+0.983
9P GASLYAlphaTauri Honda1:29.254+1.054
10K MAGNUSSENHaas Ferrari1:29.588+1.388
11L NORRISMcLaren Mercedes1:29.651+1.451
12D RICCIARDOMcLaren Mercedes1:29.773+1.573
13G ZHOUAlfa Romeo Ferrari1:29.819+1.619
14M SCHUMACHERHaas Ferrari1:29.920+1.720
15L STROLLAston Martin Mercedes1:31.009+2.809
16L HAMILTONMercedes1:30.343+2.143
17A ALBONWilliams Mercedes1:30.492+2.292
18N HÜLKENBERGAston Martin Mercedes1:30.543+2.343
19N LATIFIWilliams Mercedes1:31.817+3.617
20Y TSUNODAAlphaTauri HondaNC 
Paddockast #140 | Já pode se empolgar com a Ferrari? E se preocupar com a Mercedes?
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar