Terceiro no campeonato, Räikkönen festeja ascensão na tabela, mas lamenta pontos perdidos para Alonso

Discreto, Kimi Räikkönen aparece cada vez mais forte na briga pelo título. Ele foi apenas quinto em Monza, mas subiu para terceiro no campeonato após os acidentes de Sebastian Vettel e Mark Webber, apesar de não ter conquistado nenhuma vitória

Comendo pelas beiradas, Kimi Räikkönen está cada vez mais à frente no campeonato. Regularíssimo, o finlandês completou todas as voltas do Mundial de 2012 e não pontuou apenas no GP da China. Esta constância o coloca, após 13 de 20 corridas, na terceira colocação na tabela de classificação.

Voltando à F1 após dois anos competindo no WRC e já brigando pelo título, Räikkönen disse que “é bom alcançar a terceira posição, mas nós perdemos pontos para o Fernando [Alonso], o que não é o ideal”.

A Lotus não esteve tão forte neste fim de semana, mas mesmo assim Räikkönen faturou pontos importantes para o campeonato (Foto: Lotus/LAT Photographic)

Em Monza, neste domingo (9), o piloto da Lotus terminou em quinto e somou cinco pontos a menos que o líder do Mundial, Alonso. Mas ele cresceu em relação a Sebastian Vettel e Mark Webber, que abandonaram nas voltas finais e saíram zerados do GP da Itália.

“Foi um fim de semana difícil, pois nós estivemos muito lentos em linha reta, o que tornou difícil segurar os outros e, mesmo com o DRS, foi difícil ultrapassar os carros à minha frente”, declarou o finlandês, que valorizou o resultado de hoje: “Nós chegamos à corrida mirando o sexto ou o sétimo lugar, então esta quinta posição foi o máximo que poderíamos ter feito aqui neste fim de semana”.

Räikkönen segue sem vitórias em 2012. Seus maiores feitos neste retorno à F1 foram segundos lugares nos GPs do Bahrein, da Europa e da Hungria.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube