F1

Toro Rosso anuncia Albon no lugar de Hartley e completa grid da F1 para temporada 2019

Na mesma segunda-feira (26) em que rompeu contrato com a Nissan na FE, Alexander Albon foi anunciado como piloto titular da Toro Rosso para a temporada 2019 da F1. O tailandês será companheiro de Daniil Kvyat na equipe italiana, substituindo Brendon Hartley
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Alexander Albon venceu a corrida 1 (Foto: Reprodução)

Pela manhã, o contrato que tinha com a Nissan para disputar a Fórmula E foi rompido; de tarde, foi anunciado como piloto titular da Toro Rosso. Essa foi a segunda-feira (26) de Alexander Albon, o mais novo membro do grid da F1 em 2019.

O tailandês foi confirmado pela Toro Rosso no começo da tarde desta segunda, horas depois da confirmação de que o acerto com a Nissan havia sido cancelado. 
Alexander Albon (Foto:: FIA F2)
O jovem de 22 anos será companheiro de Daniil Kvyat, que retorna à F1 após pouco mais de um ano de sua saída. Quem deixa a categoria para a entrada de Albon é Brendon Hartley, último nome do grid atual sem contrato para o ano que vem que mantinha esperanças, já que a Toro Rosso guardava a vaga final entre as 20 existentes.

“É uma sensação incrível saber que vou estar na F1 no ano que vem. Ao longo da minha carreira, passei por alguns altos e baixos. Fui sacado pela Red Bull em 2012, então sabia que meu caminho para a F1 seria muito mais difícil. Trabalhei muito e tentei impressionar toda vez que entrei no carro, e tenho de agradecer muito à Red Bull e ao Dr. Marko por acreditarem em mim e darem uma segunda chance", declarou Albon.

"Sempre fui louco pelo automobilismo e desde que entrei em um carro meu sonho sempre foi estar na F1. Receber essa chance é simplesmente incrível”, completou.

Albon foi terceiro colocado na F2 em 2018, atrás apenas de George Russell, campeão, e de Lando Norris, vice. Os três, juntos, são os únicos pilotos da F2 da atual temporada que vão para a categoria principal do automobilismo no próximo ano. O tailandês fez 212 pontos, contra 219 de Norris, futuro piloto da McLaren, e 287 de Russell, que vai para a Williams.
Alexander Albon (Foto: FIA F2)
Pela campanha na F2, Albon foi elogiado por Franz Tost, chefe da Toro Rosso: "Alexander teve uma temporada impressionante na F2 em 2018. Ele venceu quatro corridas e terminou o campeonato em terceiro. A maneira como ele conseguiu ultrapassar muitos dos seus rivais nas corridas mostra que ele está pronto e maduro para correr na F1."

"A Scuderia Toro Rosso está muito ansiosa para 2019, e com Daniil e Alex nós temos dois pilotos jovens, muito fortes e competitivos”, disse o chefe.

Albon disputou por dois anos a F2 - em 2017, foi 10° colocado. Anteriormente, correu a GP3, em 2016 (vice), e a F3 Euro, em 2015. 

Ele representa a Tailândia, mas nasceu, tal como Norris e Russell, na Grã-Bretanha. O país asiático ganha, assim, um segundo piloto em sua história na F1: o primeiro foi Birabongse Bhanudej Bhanubandh, o Príncipe Bira, que disputou o GP da Inglaterra em 1950, corrida de abertura da categoria, e que se fez presente em 19 GPs até 1954, defendendo Gordini, Maserati e Connaught.