Vettel mantém foco em levar Ferrari de volta aos títulos, mas reconhece: “É impossível copiar o que Schumacher fez”

Sonhando com o primeiro título na Ferrari, Sebastian Vettel se permite sonhar com feitos grandiosos. O alemão, encantado com sua equipe, já espera conseguir parte do que Michael Schumacher, ídolo da escuderia, conseguiu. Mas admite: não vai dar para alcançar absolutamente tudo que o heptacampeão conquistou

Em 2015, Sebastian Vettel conseguiu solidificar as estruturas de uma decadente Ferrari. O próximo passo, depois de vencer três GPs, é tentar brigar pelo título contra as Mercedes. E o alemão, depois de acumular títulos da Red Bull, já pensa no próximo passo: conquistar um simbólico título com a marca italiana.
 
A história da Ferrari, segundo Vettel, é um dos grandes atrativos da escuderia, que se consolidou como a mais tradicional da história. Em entrevista à publicação espanhola ‘AS’, Sebastian tratou de exaltar o mito que rodeia a antiga equipe de Enzo Ferrari.
 
“A Ferrari está na F1 desde a origem, tem uma grande história na competição e provavelmente é a fabricante de carros mais famosa do mundo. Não só por vender muitos carros, mas sim por causa da exclusividade da Ferrari, o mito, a lenda ao redor. Creio que seja algo único também para os pilotos e, para mim, era um sonho estar na equipe”, analisou Vettel.
Sebastian Vettel pode ter dado início a uma nova fase na Ferrari (Foto: Getty Images)
Vettel deu atenção ao projeto da Ferrari depois de presenciar a decadência da Red Bull, que perdeu muito ritmo após a introdução do novo regulamento, em 2014. Ao se juntar à equipe italiana, Sebastian deu um impulso à sua nova casa, que ficou devendo muito ao longo dos últimos anos. Agora em um novo momento, o #5 já sonha com mais um título.
 
“É nosso objetivo final. Tudo que acontece nos circuitos, mas também todo o trabalho na fábrica tem como objetivo fazer tempos melhores no ano que vem, ter um pacote mais forte para alcançar as Mercedes e, no melhor dos casos, poder ganhar deles. Sabemos que é um objetivo muito ambicioso, mas queremos tentar”, seguiu.
 
Além do peso da tradição italiana, Vettel também pensa em um de seus heróis de infância, Michael Schumacher, que conseguiu incríveis cinco títulos seguidos com a Ferrari. Apesar de tentar alcançar o sucesso do heptacampeão, Sebastian admite que não conseguirá ser o que seu conterrâneo foi.
 
“Se puder fazer um pouco do que fez Michael, seria estupendo. Ele fez um milagre e, junto da equipe, teve muito êxito. Mas repetir o que ele fez, não sei. Não é impossível, mas é impossível copiar o que ele fez. Cada um precisa fazer o seu, mas, como disse, se der para conseguir um pouco do êxito que ele teve, seria fantástico”, ponderou.
 
E, para chegar lá, o #5 pensa que as bases já estão montadas. A Ferrari conseguiu se reinventar e, mesmo trocando uma série de pessoas importantes para seu funcionamento, chegou à condição de segunda melhor do grid.
 
“Penso que foi um grande ano. Tanto a equipe quanto eu, nós tivemos um ano difícil em 2014, e penso que voltar assim neste ano foi positivo para ambos. E com todas as mudanças que aconteceram – gente chegando, outros em posições diferentes –, creio que era muito importante conseguir êxito, dar os sinais correto e ter o projeto que queremos ter”, disse.
 
Em 2015, Vettel acumulou três vitórias – o único além da Mercedes que conseguiu triunfar – e chegou a brigar pelo vice-campeonato, até ser deixado para trás por Nico Rosberg, que cresceu bastante no final.

Quer assistir à decisão da Stock Car em Interlagos? Está de volta o 'TRAZ MAIS UM PRO GP'.Chame seus amigos para…

Posted by Grande Prêmio on Terça, 8 de dezembro de 2015

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

PADDOCK GP EDIÇÃO #10: ASSISTA JÁ

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube