F1

Vettel minimiza tempo perdido após batida no muro no TL2 em Singapura: “Podemos recuperar amanhã”

A raspada que Sebastian Vettel deu no muro antes da última curva do circuito de Marina Bay danificou seu carro e o impediu de realizar simulações de corrida à noite. Na visão do tetracampeão, no entanto, tal cenário não chega a ser necessariamente um problema
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Vettel 'beija' muro de Singaura e perde precioso tempo de pista nesta noite de sexta-feira (Foto: Reprodução)
Sebastian Vettel chegou a Singapura sob pressão e afirmou que se vê como seu maior inimigo. Portanto, o maior inimigo do tetracampeão entrou em ação nesta noite de sexta-feira (14), durante o segundo treino livre em Marina Bay. No momento em que caminhava para fechar sua primeira volta rápida com os pneus hipermacios, o alemão acertou o muro antes da última curva e teve de recolher aos boxes. Vettel não voltou mais à pista porque a Ferrari detectou um pequeno vazamento no radiador do carro.
 
Singapura traz uma característica peculiar por ser uma corrida disputada à noite. Assim, o segundo treino livre, realizado também no período noturno, é de suma importância para que as equipes possam fazer simulações de corrida e trabalhar com dados de condições que vão ser encaradas no domingo. Só que o acidente fez Vettel perder um precioso tempo de pista nesta sexta-feira.
 
No entanto, o vice-líder do campeonato acredita que a sequência da sua jornada no fim de semana em Singapura não ficou comprometida por conta do acidente de sexta-feira e que não há nenhum motivo para pânico.
Sebastian Vettel minimizou a batida no segundo treino livre em Singapura (Foto: Ferrari)
“Não, de forma alguma. A essa altura, acho que tenho uma experiência muito boa em ler os outros, o que os outros fizeram e ler o que foi feito quanto aos pneus, o que, obviamente, vai ser fundamental para domingo, mas podemos recuperar a maior parte disso para amanhã”, assegurou o alemão, que falou sobre o acidente desta noite.

“Não foi um simples ‘beijo’ contra o muro, mas sim alguma coisa a mais. E então decidimos não rodar por precaução. Obviamente, não é uma situação ideal, mas tive boas impressões com o carro. Por sorte, conheço bem essa pista”, disse.
 
Ao analisar o que foi a sexta-feira de treinos livres na cidade-estado — com dobradinha da Red Bull durante a tarde e Kimi Räikkönen na frente no TL2, sendo apenas 0s011 mais rápido que Lewis Hamilton —, Vettel espera uma batalha a três durante o fim de semana. E aproveitou para elogiar o desempenho da sua ex-equipe.
 
“Acho que está muito apertado entre todas as três equipes. Acho que a Red Bull está mais perto, eles pareceram bem rápidos. Realmente não vamos saber antes de domingo, mas a classificação obviamente é importante aqui, então vamos ver onde nós estamos amanhã”, complementou.

“Vai ser muito importante para nós observarmos os dados recolhidos por Kimi porque ele teve uma sessão onde tudo foi perfeito. A esta altura da temporada já sabemos onde trabalhar, de forma que perder esse tempo [de pista] não é um drama, ainda que, claro, não foi o ideal, mas aconteceu”, comentou.

A expectativa de Vettel para os trabalhos de sábado é em encontrar o acerto ideal para poder lutar pela pole em Singapura. “Amanhã o mais importante vai ser encontrar o acerto correto do carro e ter as melhores impressões em relação a hoje. O carro é muito bom e, durante o primeiro treino, tivemos alguns momentos muito bons. Enquanto à tarde testamos alguma coisa que não funcionou do jeito que queríamos, provavelmente vamos dar um passo atrás neste sentido. Isso é muito normal quando se testam regulagens diferentes. As voltas que andei até a batida contra o muro foram boas, mas não estava totalmente satisfeito com o carro. Por esse motivo, ainda acho que podemos tirar mais potencial dele”, concluiu o tetracampeão.
 
O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e em TEMPO REAL todo o fim de semana do GP de Singapura de F1. Siga tudo aqui.