Vettel quebra domínio da McLaren e encerra sexta-feira como mais rápido em Abu Dhabi

Sebastian Vettel não teve adversários no segundo treino livre para o GP de Abu Dhabi. O piloto da Red Bull, que busca a quinta vitória seguida no campeonato, cravou 1min41s751 e superou Lewis Hamilton. Felipe Massa foi o oitavo

 Confira as melhores imagens da sexta-feira em Abu Dhabi

O circuito da Marina de Yas pode não ser o mais emocionante do calendário da F1, mas, estruturalmente falando, é um dos mais grandiosos. E tanto luxo assim também pede um desempenho assombroso por parte dos pilotos. É justamente isso o que Sebastian Vettel quer para a antepenúltima etapa da temporada 2012. De olho em uma histórica quinta vitória consecutiva, o alemão cravou o tempo de 1min41s751 para terminar na frente no segundo treino livre do GP de Abu Dhabi, nesta sexta-feira (2).

O piloto da Red Bull não teve muitas dificuldades para ficar com a primeira colocação. Durante boa parte da sessão, o germânico ficou no topo da tabela de tempos, apenas sendo batido por Lewis Hamilton – que já havia liderado a primeira atividade – durante um breve momento, quando o britânico colocou pneus novos.

Se o desempenho da McLaren não foi suficiente para concluir na primeira colocação, ao menos deixou os dois carros prateados na briga. Assim, Hamilton fechou com o segundo posto, sendo seguido de perto por Jenson Button. Com problemas no carro durante a atividade, Mark Webber não conseguiu repetir o ritmo do companheiro de equipe, ficando apenas em quarto.

Na sequência, Romain Grosjean e Kimi Räikkönen mostraram que a Lotus vem forte nesse final de campeonato, ao concluírem em quinto e sexto, respectivamente. Fernando Alonso foi o sétimo, seguido por Felipe Massa. Pastor Maldonado e Sergio Pérez completaram o grupo dos dez primeiros, enquanto Bruno Senna foi o 11º, depois de não participar do primeiro treino livre.

No crepúsculo de Abu Dhabi, Vettel liderou o segundo treino livre do fim de semana (Foto: Red Bull/Getty Images)

Saiba como foi o segundo treino livre do GP de Abu Dhabi

Com as temperaturas bem mais baixas em relação ao treino da tarde, a segunda sessão de treinos livres do GP de Abu Dhabi, no por do sol de Marina de Yas, começou com os termômetros marcando 33ºC no asfalto e 30ºC de temperatura ambiente.

O treino prometia ser bem mais intenso em relação ao começo da tarde. Primeiro pelo retorno dos pilotos titulares de cinco equipes: Bruno Senna, na Williams; Paul di Resta, na Force India, Vitaly Petrov, na Caterham; Charles Pic, na Marussia e Narain Karthikeyan, na HRT. E segundo pelo fato de que os pilotos usariam, na metade final da sessão, os pneus macios no asfalto de Marina de Yas.

Se as temperaturas estavam mais baixas, o mesmo não poderia ser dito em relação ao treino em si, que começou mesmo bem movimentado. Todos os pilotos, sem exceção, foram à pista nos primeiros minutos da sessão. Sergio Pérez, da Sauber, foi o primeiro piloto a registrar tempo cronometrado, com 1min45s819.

Em seguida, Räikkönen pulou para a ponta, mas apenas por alguns segundos. Isso porque Vettel cravou 1min43s323, 1s380 mais rápido que o piloto da Lotus. No giro seguinte, o líder da temporada indicou que está na luta pela vitória também em Abu Dhabi. Com 1min42s779, o número 1 do mundo, com menos de dez minutos, simplesmente pulverizou a melhor marca da manhã — 1min43s285 —, que foi de Lewis Hamilton.

Ao mesmo tempo em que o sol estava se pondo em Abu Dhabi, os tempos também despencavam. Vettel baixou mais um pouco, chegando a 1min42s730. Mas Hamilton e Button responderam à altura e mostraram que a McLaren está mesmo muito próxima da Red Bull, pelo menos neste primeiro dia de atividades. A diferença entre Vettel, líder do treino até então, para Button, o terceiro, era de apenas 0s074. Isso tudo com apenas 15 minutos de tomada de tempo.

Fernando Alonso vinha um pouco mais atrás e era o quarto colocado, 0s337 atrás de Vettel, mantendo a média do treino da tarde. Felipe Massa, por sua vez, era o sexto colocado. E Bruno Senna, deixando de lado o tradicional capacete verde, amarelo e azul para usar um novo casco, predominantemente vermelho, inspirado em um dos seus patrocinadores, vinha em 14º, logo atrás de seu companheiro de Williams, Pastor Maldonado.

Senna vinha evoluindo de maneira gradativa, mesmo com pneus médios. Após um stint respeitável, o brasileiro ganhou sete posições, se colocando logo atrás de Massa. Melhor que Senna foi a dupla da McLaren. Tanto Hamilton quanto Button realizaram um bom stint em Abu Dhabi e baixaram bem seus respectivos tempos. Lewis marcou 1min42s095 e passou Vettel com relativa folga, ficando 0s635 à frente do alemão. Button não deixou por menos e também superou o taurino, repetindo a dobradinha feita no período da tarde.

O cenário era mais ou menos o mesmo visto pela tarde: McLaren dominando, Vettel em terceiro, Webber, Alonso e Schumacher completando o rol dos seis primeiros colocados. Quem não conseguia repetir a performance no crepúsculo de Abu Dhabi era Maldonado, discreto em 14º lugar, enquanto Senna estava um pouco melhor, em 11º, quando o treino se encaminhava para o fim da sua primeira metade. Antes, Vettel baixou um pouco seu tempo e superou Button por 0s020, subindo para segundo colocado.

Vergne e Pérez foram os primeiros pilotos do fim de semana a irem para a pista com pneus macios, identificados pela cor amarela. Gesto que, minutos depois, seria acompanhado por todos os outros pilotos do grid. Naturalmente, os tempos despencaram. Isso, em teoria. Na prática, no entanto, as marcas caíram de maneira pouco significativa.

Isso acabou valendo para poucos — e por uma pouca margem de diferença. Vettel, por exemplo, pulou para a primeira colocação, mas foi apenas 0s039 mais rápido que Hamilton, que até então havia feito sua melhor marca com os pneus médios. Button melhorou pouco e sequer conseguiu se aproximar do tempo do seu companheiro de equipe na McLaren. Outro que melhorou foi Romain Grosjean, esse sim, de maneira destacada, pulando para o quarto lugar.

Ainda que de maneira lenta, as Red Bull seguiam melhorando. Vettel cravou bela marca, 1min41s751, e se consolidou na liderança do treino. Webber também subiu, de sexto para quarto, deixando Grosjean e Alonso para trás. Hamilton tentou dar o troco em seguida, mas ficou a 0s168 do alemão. A diferença da Red Bull para a McLaren de Hamilton começava a aumentar de maneira considerável.

Com muitos pilotos nos boxes, o treino ganhou em monotonia. Monotonia que só foi quebrada quando Vitaly Petrov rodou com sua Caterham na entrada da curva 1. Mas os competidores que estavam na pista se dedicaram a realizar testes com os respectivos carros em configuração de corrida, mais pesados, com exceção de Räikkönen, que fez seu stint com pneus macios bem depois dos seus oponentes. Naturalmente que os tempos registrados eram, em sua maioria, muito mais altos e praticamente não modificavam a classificação da sessão.

Dessa forma, como a prioridade não era o registro de voltas rápidas, Vettel se consolidava como mais rápido desta sexta-feira, seguido de perto por Hamilton e trazendo Button em terceiro, distante 0s661 do alemão. Webber era o quarto, ficando logo à frente do surpreendente Grosjean, enquanto Räikkönen superou Alonso e assegurou o sexto lugar. Massa garantiu o oitavo melhor tempo — 1s072 acima do tempo de Vettel —, enquanto Maldonado, novamente no top-10, e Sergio Pérez fecharam o grupo dos dez primeiros, com Bruno Senna no encalço, em 11º.

F1, GP de Abu Dhabi, Marina de Yas, treino livre 2:

 

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube