F1

Vettel reconhece GP do México “decepcionante” e parabeniza Hamilton por tetra “merecido”: “É o dia dele”

Sebastian Vettel sabia há semanas que não seria campeão mundial de F1 em 2017. A única forma de aplacar a sensação ruim seria, claro, vencer um GP do México que consagraria Hamilton como campeão. E não foi o que aconteceu. A sequência de toques com Hamilton e Max Verstappen na largada tirou do alemão a chance de vencer na capital mexicana
Warm Up, do Hermanos Rodríguez / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
 Sebastian Vettel (Foto: Ferrari)

Se na curta estadia asiática pós-Europa da F1 as chances de título mundial de Sebastian Vettel haviam se esvaído por completo, só existia uma única chance de amenizar a decepção inevitável ao ver Lewis Hamilton se tornar tetracampeão mundial de F1: ganhar. Neste domingo (29), porém, as chances de vitória de Vettel foram rapidamente destruídas no Hermanos Rodríguez. Fora das duas primeiras colocações, Vettel entregou o título mundial para Hamilton sem que o piloto da Mercedes precisasse marcar os nove pontos tidos como necessários.

Vettel, saindo da pole, até parecia se dar bem na largada num primeiro momento. Com Hamilton atacando Max Verstappen, a sensação nos segundos iniciais era de que o #5 escaparia. Não foi o que aconteceu. Verstappen segurou Hamilton e mergulhou para passar Vettel. Os dois se tocaram, o que quebrou o bico do alemão, mas ainda não foi o fim da questão. Lewis também tentou a sorte e acabou tocado por Vettel - furando um pneu. Os dois líderes do campeonato precisaram ir aos boxes, enquanto Verstappen foi embora na ponta. 

Ao voltar quase no fim da fila, Vettel tentou pneus macios para ficar mais tempo na pista. Depois, já com algumas posições ganhas, foi para mais de meia corrida com os ultramacios. Ganhou um monte de posições, mas não o suficiente para entrar no pódio. Na quarta colocação, viu as chances do pentacampeonato acabarem matematicamente
Sebastian Vettel (Foto: Ferrari)
Após a corrida, Vettel fez questão de rasgar elogios ao rival. "É decepcionante [a corrida da forma como se desenhou]. Não é tão importante o que fizemos hoje, é mais importante o que Lewis fez - e ele fez um trabalho incrível durante todo o ano, merece ficar com o título", disse. "Parabéns para ele. Não é sobre mais ninguém hoje. É só sobre Hamilton. É o dia dele", afirmou em entrevista à rede de TV inglesa Sky Sports.
 
E aí brincou. "Ele empatou comigo, se estiverem contando."
 
"Não tenho medo dele. Eu gosto de correr contra ele - e queria ter tido mais disso esse ano. No geral, eles [a Mercedes] foram melhores por muito", seguiu.

Após a entrevista, Vettel e Hamilton se encontraram, se abraçaram e cumprimentaram com palavras de carinho e parabenização para ambos os lados. Por enquanto, a briga deles terminou.

A F1 volta em duas semanas, no fim de semana dos dias 10, 11 e 12 de novembro, com o GP do Brasil. Em 2016, foi Hamilton quem venceu em Interlagos. O GRANDE PRÊMIO faz grande cobertura 'in loco' e acompanha todas as atividades AO VIVO e EM TEMPO REAL.
VIGIAR E PUNIR

COM GALID OSMAN, PADDOCK GP #101 QUESTIONA: VERSTAPPEN MERECEU PUNIÇÃO EM AUSTIN?