Vídeo enviado ao GP muda investigação de Hamilton e põe Verstappen no balaio em SP

O vídeo de Frederico Monteiro mandado a Gabriel Curty, repórter do GP, ganhou o mundo e tem influência no que pode acontecer com Lewis Hamilton e Max Verstappen antes da corrida sprint em Interlagos

VÍDEO DE @frd182 NO TWITTER MUDA GP DE SÃO PAULO DE F1

O vídeo que um seguidor do GRANDE PRÊMIO mandou via Twitter e que ganhou o mundo tem influência fundamental no resultado da investigação da irregularidade vista na asa traseira do carro de Lewis Hamilton.

Às 19h33 (Brasília, GMT -3), Frederico Monteiro, o @frd182, respondeu um tweet do repórter Gabriel Curty, que está em Interlagos na cobertura do GP de São Paulo de Fórmula 1, com imagens próprias feitas na arquibancada da reta principal do autódromo. O vídeo captou a fiscalização que Max Verstappen fez no carro de Hamilton logo após a classificação desta sexta-feira (12).

Embora distante, é possível ver que Verstappen desceu de seu carro, foi para trás dele e tocou na asa traseira da Red Bull #33. Na sequência, foi para o carro #44 de Hamilton e fez movimento similar.

A ação de Verstappen provavelmente depreendeu da suspeita da Red Bull oriunda depois do treino livre em Interlagos. Foi a equipe rival da Mercedes que, segundo a revista Auto Motor und Sport, suspeitou que havia algo de errado com a velocidade de Hamilton na reta e que estaria relacionado ao DRS, a popular asa móvel, e comunicou à FIA.

A FIA foi e, dentre uma série de carros, fiscalizou o de Hamilton. A entidade avaliou que o carro do heptacampeão estava de fato em desacordo com as regras determinadas para a asa móvel e enviou a questão para os comissários.

Jo Bauer, delegado-técnico que responde pela supervisão das inspeções de todos os carros após as atividades de fim de semana, explicou no documento que o carro de Hamilton estava acima do limite máximo de abertura da asa, o que aumenta a potência do carro quando o DRS é utilizado.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

“A posição dos elementos ajustáveis da asa traseira superior foi checada no carro #44 para notar se estava de acordo com o Artigo 3.6.3 das Regras Técnicas da Fórmula 1 2021. As exigências para a distância mínima [entre as partes da asa] foram alcançadas, mas as exigências para o máximo de 85 mm [de separação] quando o sistema de asa móvel é utilizado e foi testado de acordo com o TD/011-19 não foi alcançado. Estou enviando a questão aos comissários para a consideração”, dizia o comunicado.

O caso, então, foi encaminhado aos comissários, que deveriam então confirmar ou não a infração. Como se trata de uma questão técnica, era fácil de resolver – como, por exemplo, foi com o de Sebastian Vettel e a menor quantidade de combustível encontrada no tanque no carro da Aston Martin após seu segundo lugar no GP da Hungria, o que levou a sua desclassificação. Era só medir, e pronto.

Mas horas se passaram, e quando chegou quase 10 da noite, a FIA anunciou que a decisão só aconteceria na manhã do sábado.

Lewis Hamilton vai largar em primeiro no sábado? (Foto: Mercedes)

Exatamente 30 minutos depois de tal anúncio, a FIA soltou um novo documento chamando Verstappen para a sala dos comissários na manhã de sábado por ter supostamente descumprido o artigo 2.5.1 do Código Esportivo da entidade. O artigo está relacionado às regras do Parque Fechado e diz que “apenas os funcionários permitidos podem entrar” naquela área – e isso já inclui o espaço onde os três primeiros colocados da sessão param seus carros – e que “nenhuma operação, checagem, ajuste ou reparo é permitido a não ser que seja autorizado pelos mesmos funcionários”.

Assim, Verstappen vai ter de justificar por que tocou em seu carro e no de Hamilton como visto no vídeo de Frederico Monteiro. É por isso que a FIA precisaria ou de mais imagens ou de justificativas suficientes para aplicar o veredito ao caso de Lewis. Ou, em última instância, também aplicar uma eventual punição a Verstappen.

O vídeo de Frederico Monteiro enviado a Gabriel Curty e ao GRANDE PRÊMIO transformou a sexta-feira da F1 em Interlagos, há de mexer com o sábado da manhã e tende a mexer com o resto GP de São Paulo. Coisas que acontecem com Hamilton e Verstappen em finais de semana de corrida sprint. Coisas que acontecem só no Brasil. Coisas que simplesmente podem mudar o rumo do título da incrível temporada 2021.

GRANDE PRÊMIO acompanha o GP de São Paulo ‘in loco’ em Interlagos com os jornalistas Fernando Silva e Gabriel Curty, além de toda equipe de maneira remota. O GP também segue todas as atividades de pista do fim de semana AO VIVO e EM TEMPO REAL. No sábado, o TL2 está marcado para as 12h (de Brasília), enquanto a corrida sprint começa às 16h30.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar