FE

Di Grassi cita revezamento de vencedores na FE e diz que “dá gosto competir num campeonato assim”

Lucas Di Grassi foi alçado ao segundo lugar do eP de Hong Kong após começo complicado de corrida. Com os 18 pontos, pulou para 52 e está apenas dois atrás do líder Sam Bird num campeonato que, até agora, teve cinco vencedores diferentes em cinco corridas
Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
Há um mantra repetido por Lucas Di Grassi e pela Audi desde o começo da Fórmula E: o importante é marcar o maior número de pontos possíveis em cada pista. Respeitando essa visão, Di Grassi estava confortável com uma quarta colocação que parecia o teto em Hong Kong, mas a batida entre Sam Bird e André Lotterer acabou colocando Lucas na segunda colocação. 
 
De vez na briga pelo título da Fórmula E, Di Grassi destaca o fato de ser emocionante brigar numa categoria com tantos postulantes ao título e vencedores de corrida - até agora, cinco pilotos diferentes venceram as cinco etapas do campeonato. 
 
“Foi uma corrida muito difícil para todo mundo. A pista exigia atenção máxima, foco total em cada detalhe, e mesmo assim as batidas aconteceram. A gente sabia que ia ser complicado, e eu tive que me esforçar muito e controlar cada detalhe de todas as voltas para chegar nesse pódio. Independentemente da punição do Bird, saímos de Hong Kong melhor posicionados no campeonato", afirmou. 
Lucas Di Grassi (Foto: Audi)
"Precisamos manter o nível do trabalho feito até aqui por que o grid está muito forte e competitivo. Temos pelo menos quatro pilotos de equipes diferentes nas primeiras posições, com um revezamento de vencedores nas provas também. Isso é a FE. Dá gosto competir em um campeonato assim”, comentou.
 
Di Grassi tem 52 pontos no campeonato e está junto de Edoardo Mortara, vencedor da prova em Hong Kong. Sam Bird é o líder com 54 tentos, enquanto Jérôme D'Ambrosio tem 53.
 
O campeonato segue com o eP de Sanya, em 13 de março.