FE

Evans segura Lotterer em briga eletrizante em Roma e conquista primeira vitória da Jaguar na Fórmula E

O eP de Roma, sétima etapa da temporada da Fórmula E, teve um começo bizarro com uma batida causada por José María López. Depois da retomada, Mitch Evans e André Lotterer sumiram e começaram uma ótima briga pela vitória. Evans foi quem saiu vencedor

Grande Prêmio / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
Um acidente bizarro e duas voltas loucas abriram o eP de Roma deste sábado (13) e interromperam a corrida por 45 minutos. Sem bizarrices, a parte final da corrida foi marcada por uma briga espetacular pela vitória. Mitch Evans e André Lotterer trocaram de posição e tiveram momentos de ataque e defesa em meio a erros e drama com relação à energia. Evans, como gente grande, segurou o rojão de ter o piloto veterano atrás dele e venceu. É a primeira vitória da Jaguar na Fórmula E. O sétimo piloto que vence em sete provas na temporada.

Evans abriu uma vantagem importante e perdeu tudo de novo quando errou a entrada da ativação do modo ataque. Lotterer atacou como deu, mas Evans resistiu e foi até o final. Antes disso, o neozelandês usou o primeiro modo ataque dele para ultrapassar Lotterer e conseguiu forçar o alemão para fora de sua linha do traçado. Recebeu uma advertência, mas valeu a pena.
 
Quem fechou com o terceiro posto foi Stoffel Vandoorne, que correu sozinho por boa parte da prova. Era mais rápido que 19 carros, mas não tinha condições de competir com os dois primeiros colocados. É o primeiro pódio dele e da HWA na categoria.
 
Robin Frijns, Sébastien Buemi, Oliver Rowland, Lucas Di Grassi, Jérôme D'Ambrosio, António Félix da Costa e Pascal Wehrlein fecharam o top-10. Felipe Massa, assim como o companheiro Edoardo Mortara, abandonaram a corrida com o que pareciam novos problemas no eixo de transmissão - algo que Massa já sofrera nos treinos livres.
Mitch Evans (Foto: Jaguar)
O acidente bizarro em questão foi causado por José María López. O argentino já tinha errado na largada e abalroado Sam Bird quando perdeu sozinho o controle do carro da Dragon, bateu no muro e fechou o espaço de Gary Paffett, que vinha logo atrás e bateu nele. E Jean-Éric Vergne encheu a DS Techeetah na traseira da HWA de Paffett. Com os três batidos, o resto dos pilotos estacionou atrás da confusão para esperar. O resultado foi que a bandeira vermelha apareceu e perdurou por 45 minutos.
 
O campeonato volta em duas semanas, 27 de abril, com o eP de Paris. 

Confira como foi  eP de Roma:
 
Com uma chuva leve sobre a Cidade Eterna, a largada foi um tanto cuidadosa por parte dos pilotos e nenhum acidente aconteceu na primeira curva. José María López largou mal e acabou saindo do traçado e perdendo algumas posições, ao passo que Stoffel Vandoorne subiu para segundo e André Lotterer manteve a liderança. Felipe Massa também largou bem e subiu para o sétimo posto.
 
O cuidado, no entanto, foi totalmente reservado para a primeira curva. Alexander Sims, que havia saído do último lugar e subido quatro posições, passou forte demais na curva cinco e quebrou a asa dianteira. Maximilian Günther, que vinha na quarta colocação, também tocou a barreira e perder a asa, desfeita na pista. E era só o começo. 

López tentava se recuperar quando, na chicane, tocou a traseira de um Sam Bird que já estava inclinado para a curva. Bird bateu no muro e perdeu velocidade com danos evidentes na Virgin. Para colocar uma cereja no topo das duas primeiras voltas dele na corrida, López sambou na curva um e foi para o muro, fechando o caminho de Gary Paffett que, sem ter como evitar, acertou a Dragon do argentino e acabou tomando uma pancada forte de Jean-Éric Vergne por trás. Atrás do trio e sem ter por onde passar, uma enormidade de carros foi parando. Não tinha outra forma que não decretar bandeira vermelha.
 
Com a oportunidade de voltar ao pit-lane, Bird arrastou a Virgin para tentar um conserto e Vergne, apesar da batida, fez o mesmo. Paffett foi quem realmente saiu prejudicado da prova.

Após 45 minutos de interrupção, uma volta de alguns pilotos para ajustar a ordem dos pilotos, retorno ao pit-lane e aí, sim, uma volta com safety-car antes da bandeira verde. De fato, López, Vergne e Bird conseguiram voltar para a corrida e apenas Paffett abandonou no incidente. Lotterer se manteve na frente na relargada e todos os primeiros colocados seguraram a posição - Mitch Evans já havia retomado o segundo lugar de Vandoorne antes da vermelha. 
 
A primeira grande movimentação foi de Robin Frijns para cima de Sébastien Buemi numa reprise da disputa por posição que causou problemas na corrida de Sanya. O piloto suíço parecia batido pelo holandês, mas resistiu bem e conseguiu segurar o quarto lugar. Felipe Massa estava perto, mas logo caiu para Edoardo Mortara e Oliver Rowland. Rowland também tirou Mortara da frente e chegou à sexta colocação. 
Robin Frijns e Sébastien Buemi (Foto: Virgin)
O recado da DS Techeetah para Lotterer tinha um conteúdo que raramente um líder de corrida recebe: o aviso de que gastava pouca energia. Poderia andar mais rápido, pois. Os primeiros três colocados já escapavam separados por apenas 1s3.
 
Daniel Abt caiu para o fim do pelotão após um errou na curva 14, onde passou direto e chegou a ficar parado na área de escape. Mas quem realmente entrou numa roubada foi o postulante ao título Mortara. Então sétimo colocado, perdeu potência do nada e encostou o carro do lado de fora. Fim de corrida para ele. Uma volta depois, a mesma coisa com Massa. A Venturi, que chegou a ter sétima e oitava colocações, viu a corrida acabar com duas falhas em três minutos. O carro de Massa na pista ainda causou uma bandeira amarela de pista inteira.

No começo da amarela, Vergne passou Da Costa com uma freada lenta e tardia. Movimento estranho. A relargada veio quatro minutos depois e deixou claro que Lotterer e Evans começavam a se destacar de Vandoorne. Apenas os dois ponteiros ainda tinham os dois modo ataque disponíveis, e Evans pegou o dele atacar o rival. Foi para cima e começou a garimpar algum espaço. Tentou de um lado, de outro, mas foi apenas com 10s restantes na ativação que ele forçou Lotterer para fora da linha de traçado e efetuou a ultrapassagem na chicane. Sem punições, mas recebeu uma advertência.
 
Em seguida, a vez foi de Lotterer acionar o dele. Vandoorne tinha bom ritmo atrás deles, mas bem menos energia e, com o terceiro lugar basicamente garantido, nem sequer tentava chegar na disputa. 
 
Posições atrás, Jérôme D'Ambrosio contornou a BMW de Da Costa para tentar surpreender Lucas Di Grassi que se defendeu lindamente e ganhou a posição do português. Levou a melhor também sobre Günther e aparecia no oitavo posto. 
Mitch Evans (Foto: Jaguar)
De volta à briga pela vitória, Evans tentou a segunda ativação do modo ataque a sete voltas do fim, mas errou a entrada do modo ataque e permitiu que o veterano alemão encostasse atrás dele. Lotterer também cometeu um pequeno erro e passou muito aberto na curva longa - acabou arrancando um banner de publicidade.

O drama aumentou quando a Jaguar mandou o aviso para Evans, agora após acertar o modo ataque: segura o ritmo. O medo era que não houvesse energia para chegar até o fim da corrida, mas era temerário para ambos, que tinham a mesma quantidade restante. Lotterer capitulou: ficou mesmo com a segunda colocação enquanto Evans se tornou o sete piloto da sétima equipe a vencer em sete provas. 

Ainda deu tempo de Vergne ser punido pur ultrapassar Da Costa durante a amarela de pista inteira e Günther por subir a velocidade também durante o modo de seguraça. Evans, Lotterer, Vandoorne, Frijns, Buemi, Rowland, Di Grassi, D'Ambrosio, Da Costa e Wehrlein marcaram pontos. 

FE, eP de Roma, Resultado Final:

1 M EVANS Jaguar 29 voltas  
2 A LOTTERER DS Techeetah +0.970  
3 S VANDOORNE HWA Venturi +6.399  
4 R FRIJNS Virgin Audi +9.181  
5 S BUEMI Nissan +9.778  
6 O ROWLAND Nissan +11.262  
7 L DI GRASSI Audi +24.340  
8 J D'AMBROSIO Mahindra +28.633  
9 A FÉLIX DA COSTA BMW +25.651  
10 P WEHRLEIN Mahindra +30.735  
11 S BIRD Virgin Audi +32.272  
12 A LYNN Jaguar +42.238  
13 O TURVEY NIO +48.616  
14 J.E VERGNE DS Techeetah +12.732  
15 T DILLMANN NIO +52.253  
16 J.M LÓPEZ Dragon Penske +1:10.373  
17 A SIMS BMW +1:11.373  
18 D ABT Audi +1 volta  
19 M GÜNTHER Dragon Penske +1 volta  
20 F MASSA Venturi +18 voltas NC
21 E MORTARA Venturi +21 voltas NC
22 G PAFFETT HWA Venturi   NC

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.