FE

Feliz fora da Mercedes, Wehrlein comemora ser “competitivo de verdade” na FE pela 'Família Mahindra'

Pascal Wehrlein deixou para trás a proteção da Mercedes e foi buscar mais controle na sua carreira. Está feliz hoje, piloto de desenvolvimento da Ferrari e titular na FE pela Mahindra. Do time anglo-indiano, aliás, só tem coisas boas a falar

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
Estreante na temporada 2018/19 da Fórmula E, Pascal Wehrlein está retomando o controle da própria carreira. Tido como uma promessa da academia de jovens pilotos da Mercedes, Wehrlein foi tratado a pão de ló pela montadora e recebeu a oportunidade de ser o mais jovem campeão do DTM em 2015 antes de fazer o salto pela F1. Os três anos seguintes, entretanto, não foram tão positivos quanto esperava. Agora, nos bólidos elétricos e sem a Mercedes, volta a comemorar.
 
Wehrlein chegou à F1 em 2016 pela nanica Manor, então cheia de expectativas sobre um possível crescimento - que não veio. Passou para a Sauber no ano seguinte e viu uma situação semelhante: carro péssimo, responsável pelos únicos pontos no ano. Quando Esteban Ocon cresceu nos quadros da Mercedes, foi ele quem se viu fora. E voltou ao DTM para uma temporada 2018 em que pareceu um fantasma de si mesmo. 
 
Aí, a decisão: deixar o contrato com a Mercedes.
Pascal Wehrlein (Foto: Mahindra)
"Eu tomei a decisão no meio do ano passado, então até agora tem sido a decisão correta e estou feliz com ela", afirmou.
 
O Wehrlein da FE não parece a mesma figura tensa da F1 e desmotivada do DTM. Na Mahindra, ele diz, encontrou não apenas chance de voltar a lutar por vitórias: o ambiente da equipe é familiar.
 
"Estava numa situação completamente diferente nos últimos três anos. Não estive em equipes em posição de vencer corridas, ser verdadeiramente competitivo. Eu ainda tinha corridas boas, marquei pontos por times que não deveriam marcar pontos na Manor e na Sauber - fui o único a marcar pontos pelas duas" avaliou.
 
"Foi uma boa experiência, mas é muito mais legal quando você está lutando por bons resultados e pode vislumbrar um fim de semana positivo chegando. Estou feliz na minha equipe. Estamos nos dando muito bem, todos trabalhando juntos. A sensação é de ser uma família", elogiou.
Pascal Wehrlein (Foto: Mahindra)
Ao lado da FE, Wehrlein também é piloto de desenvolvimento da Ferrari para a F1. E está contente. "Tudo isso junto está fazendo minha vida ser bem divertida no momento."
 
Até agora, na temporada, Wehrlein tem 30 pontos e ocupa o nono lugar do campeonato. Pode não ser tão impressionante de cara, mas é necessário levar em conta que Pascal não participou da corrida de abertura do campeonato, realizada enquanto o contrato com a Mercedes ainda estava em vigência, e foi tirado na primeira volta em duas outras prova. 
 
A FE segue neste sábado, 23 de março, com o eP de Sanya.