Di Grassi e Günther lideram treinos livres em manhã marcada por acidente em Roma

Batida de Oliver Turvey em Jean-Éric Vergne e Jake Dennis marcou, mas Lucas Di Grassi e Maximilian Günther pontearam dos treinos da Fórmula E

Rinus VeeKay bate forte no primeiro dia de testes coletivos da Indy em Indianápolis (Vídeo: IndyCar)

O dia da terceira corrida da Fórmula E na temporada 2021, este sábado (10) começou com um acidente daqueles em Roma. Uma batida forte entre Oliver Turvey, Jean-Éric Vergne e Jake Dennis encerrou primeiro treino livre, liderado por Lucas Di Grassi. A segunda sessão foi bem curta e terminou com Maximilian Günther na dianteira após bandeira vermelha de 40 minutos.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

No retorno à capital italiana após dois anos, numa pista modificada, a Fórmula E caminhava com certa tranquilidade no treino realizado no começo da madrugada brasileira, cedo na manhã romana. Com 9min para o fim, Tom Blomqvist acertou o muro e causou a primeira bandeira vermelha.

Após a sessão ser retomada, Lucas Di Grassi aproveitou para cravar 1min38s785 e desbancar o líder Oliver Rowland. O piloto da Nissan, inclusive, foi caindo até o oitavo lugar. O top-10 foi formado por Di Grassi, Stoffel Vandoorne, Robin Frijns, Sérgio Sette Câmara, Norman Nato, Nick Cassidy, Sam Bird, Rowland, Dennis e Mitch Evans.

O forte acidente do TL1 (Foto: Reprodução/Twitter)

A sessão já havia essencialmente chegado ao fim e os pilotos ajustavam procedimentos de largada quando Turvey completava uma volta lançada e acertou Vergne e Dennis. O acidente foi forte e num ponto cego da pista. Os três saíram de seus carros sem maiores problemas.

“É a primeira vez que eu bato sem saber o que estava acontecendo. O cara veio em velocidade normal, sem frear, e me acertou. O bom é que não deu tempo de me assustar”, afirmou Vergne depois da batida.

Os quatro carros que se envolveram em acidentes no TL1 ficaram fora do TL2 e correm contra o tempo para conseguirem entrar na classificação. Problemas sobretudo para a NIO, que perdeu os dois bólidos.

Maximilian Günther liderou o TL2 (Foto: BMW)

Mas o segundo treino livre foi ainda mais atrapalhado. A sessão de 30 minutos acabou tendo menos da metade de atividade, com uma das zebras móveis quebrando e forçando a necessidade de reparos após 13 minutos. A organização interrompeu, parou por cerca de 40 minutos com a intenção de retomar a atividade, mas capitulou.

O mais rápido foi Maximilian Günther, com 1min39s517. Além dele, o top-10 contou com Nyck de Vries, Stoffel Vandoorne, Oliver Rowland, Nico Müller, Nick Cassidy, Mitch Evans, Pascal Wehrlein, Sam Bird e António Félix da Costa. Lucas Di Grassi e Sérgio Sette Câmara foram, respectivamente, 12º e 13º colocados.

O treino de classificação fica para as 7h (de Brasília).

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube