Indy

8º em St. Pete, Herta admite “grande erro de novato” e lamenta: “Tínhamos ritmo para terminar no top-5”

Colton Herta relatou um grande erro cometido durante relargada em São Petersburgo e atribuiu ao fato de não ter experiência na Indy. Para o americano, a Harding tinha carro para top-5 na estreia

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Colton Herta foi um dos nomes de destaque do primeiro final de semana da Indy em 2019, mas deixou a etapa de São Petersburgo com um sabor agridoce. O americano, apesar do oitavo lugar, acredita que a Harding tinha potencial para mais e admite que cometeu um erro bobo ao tocar no muro em uma das relargadas.
 
O piloto de 18 anos explicou que deu uma vacilada antes da relargada e foi com força no muro, perdendo velocidade e até danificando seu carro. Agora, é hora de entender o que aconteceu.
 
"Foi duro, bem duro. Estava feliz com a dirigibilidade, não fiquei feliz com o resultado e acho que temos trabalho para fazer. Obviamente, eu sigo aprendendo, mas cometi um grande erro de novato na relargada. Perdi tempo quando toquei o muro na curva 3, não sei como segui na corrida, mas acho que quebrei algo no carro ali", disse ao site norte-americano 'Motorsport.com'.
Colton Herta chegou em oitavo em St. Pete (Foto: IndyCar)
Herta admitiu que o erro foi de principiante, mas falou também dos pontos positivos da etapa, como o desempenho surpreendente da Harding, equipe que mais se aproximou dos times grandes em St. Pete.
 
"Recuperar a temperatura dos pneus pretos nas relargadas é muito complicado e eu só fui reparar isso cometendo o ero. Foi difícil. Nós tínhamos ritmo para estar no top-5 em uma corrida sem erros. Se largássemos onde deveríamos, aí seria top-5 ou até pódio. Precisamos poupar combustível no fim e, mesmo assim, seguimos muito competitivos", completou.