Adversários erram nos boxes, Dixon surge na frente e vence corrida 1 em Elkhart Lake

Scott Dixon segue vencendo de todas as formas em 2020. Em Elkhart Lake, o neozelandês aproveitou os muitos erros dos rivais e, assim, triunfou pela terceira vez em três corridas, já começando a encaminhar o hexacampeonato

Três vitórias em três corridas. O início da temporada 2020 da Indy só tem um nome: Scott Dixon. Neste sábado (11), na volta do público aos autódromos da categoria, o neozelandês surgiu daquele jeito, na base da estratégia e dos problemas dos rivais, para assumir a ponta e não mais sair de lá, triunfando na corrida 1 do GP de Elkhart Lake e repetindo um início de campeonato que não acontecia desde 2006, com Sébastien Bourdais.

Das três provas no ano, foi, de longe, a mais esquisita. No Texas, o piloto da Ganassi controlou o ritmo, enquanto que, em Indianápolis, uma amarela embaralhou o pelotão. Em Elkhart Lake, até rolaram incidentes, mas a vitória veio parando antes dos rivais, na eficiência da equipe no pit-stop coletivo e, principalmente, em problemas de Josef Newgarden, Graham Rahal e Santino Ferrucci nos boxes.

O primeiro a se complicar foi Graham, com defeito na mangueira de combustível quando vinha na segunda colocação. Depois, Newgarden: o carro do americano morreu nos boxes e a liderança folgada virou uma luta por top-15. Por fim, Ferrucci: era quem mais tinha push-to-pass disponível e vinha em terceiro, sedento para cima de Dixon e Will Power, quando foi acertado por Dalton Kellett nos boxes.

Scott Dixon venceu mais uma (Foto: Indycar)

Eficiente, rápido, inteligente e ainda sortudo. Dixon esteve em um dia daqueles e, quando foi para a ponta, não saiu mais. Power bem que tentou atacar, mas não foi páreo para o neozelandês e sua Ganassi, que seguem 100% em 2020. O australiano, pelo menos, segurou um ótimo Álex Palou para somar seus primeiros bons pontos no ano.

O novato espanhol, aliás, foi um dos grandes nomes da prova, conseguindo aproveitar o bom carro da Dale Coyne para fazer sua estreia em um pódio da Indy. Ryan Hunter-Reay e Colton Herta tiveram atuações de altos e baixos, mas salvaram a pele da Andretti no top-5.

Ferrucci e Rahal ainda se recuperaram, em sexto e sétimo, respectivamente. O mesmo não aconteceu com Newgarden, que foi ladeira abaixo após o problema nos boxes: fritou pneus, fez pit-stop a mais, perdeu ritmo e chegou em 14º.

O top-10 da corrida 1 ainda teve Pato O’Ward, Takuma Sato e Marcus Ericsson, que rodou na última volta. Alexander Rossi, cada vez mais afundado, foi 19º.

Álex Palou brilhou em Elkhart Lake (Foto: IndyCar)

Saiba como foi a corrida 1 em Elkhart Lake

A largada para a corrida 1 do GP de Elkhart Lake aconteceu às 18h15 (em Brasília), com um Ryan Hunter-Reay que saiu decidido a tomar a dianteira. A disputa com Josef Newgarden foi muito forte, mas o piloto da Penske segurou bem a liderança, espalhando o rival da Andretti, que ainda manteve o segundo lugar.

A insana largada em Elkhart Lake (Vídeo: Indycar)

Graham Rahal e Santino Ferrucci também saíram muito bem, engolindo Jack Harvey, o pior dos líderes na largada. Scott Dixon já pintava em sétimo, enquanto Simon Pagenaud escalava para 13º.

Aí que veio a segunda volta e a Andretti sofreu horrores. Em questão de segundos, Marco Andretti, Alexander Rossi e Zach Veach passearam na grama, com os dois primeiros atropelando placas e prejudicando a asa dianteira. Ambos pararam e o #98 ainda tomou drive-through por excesso de velocidade nos boxes.

Depois de uma pressão tremenda no início, Newgarden passou a andar consistentemente mais veloz que Hunter-Reay, conseguindo 2s de respiro nas primeiras cinco voltas. E Dixon? Bom, o neozelandês foi para cima e tirou Herta da frente, já colando em Harvey pelo top-5.

Josef Newgarden liderou 28 voltas (Foto: Penske)

Quem tinha um péssimo início de corrida era Will Power, que despencou no início para décimo e recebia ainda grande pressão de Pato O’Ward, afinal, não tinha ritmo para buscar Álex Palou.

Hunter-Reay foi perdendo desempenho e a consequência era óbvia: adeus, segundo lugar. Rahal cresceu e se livrou do compatriota sem muitos problemas. Ryan já entrava na mira de Ferrucci e de Harvey, que vinham mais rápidos na volta 10.

O 11º giro reservou boas disputas: Rosenqvist passou Herta, mas escapou na curva seguinte e tomou o troco. Na frente deles, Ferrucci forçou e mergulhou para dentro de Hunter-Reay, indo parar no top-3. Na volta 12, um grupo grande de pilotos foi aos boxes, entre eles: Power, Pagenaud, Sato e Daly. Não ia demorar para acontecer o mesmo com os líderes.

A ousada ultrapassagem de Ferrucci em Hunter-Reay (Vídeo: Indycar)

Newgarden e Ferrucci foram aos boxes na sequência e tudo bem com a parada de ambos. Os problemas vieram com Rahal, em um pit-stop imenso que o jogou de segundo para 11º. Power e Palou, na outra direção, viravam terceiro e quarto.

Na volta 15, Newgarden liderava a corrida com impressionantes 9s para Ferrucci, que tinha um bom respiro para Power e Palou. Hunter-Reay aparecia em quinto, com Harvey, Dixon e Herta atrás. Rosenqvist e O’Ward brigavam firme na frente de Rahal, Ericsson e Pagenaud.

O trecho do segundo stint da corrida era mais morno que o primeiro, com destaque para Pagenaud, que ganhava algum terreno ali no pelotão intermediário. A briga na frente esquentava pelo quarto lugar, com um grupo formado por Palou, Hunter-Reay, Harvey e Dixon.

A prova se aproximava da metade e Dixon era o primeiro dos líderes a ir aos boxes pela segunda vez. Palou fazia o mesmo na volta 27, bem como Herta, Rosenqvist, Pagenaud e O’Ward.

Aí chegou a hora do líder ir aos boxes e, mais uma vez, problemas. O carro de Newgarden apagou na parada e o americano perdeu um tempo colossal por ali. Foram nada menos que 13 posições perdidas e 15s de desvantagem para Power e Dixon, que surgiam, meio que do nada, na frente.

Dixon e Power, então, foram para o embate. O australiano, sabendo que precisava bater o neozelandês para voltar para o campeonato, partiu para cima, travou tudo, jogou tudo, e ficou na ponta. Ferrucci se reaproximou da dupla, mas a briga pela vitória mudava totalmente de panorama.

Na volta 30, Power liderava com 1s3 para Dixon, 2s4 para Ferrucci e 5s6 para Hunter-Reay. Harvey, Palou, Herta, Rahal, Pagenaud e O’Ward fechavam o top-10, com Newgarden na sequência.

Em busca de uma recuperação improvável, Newgarden tirou O’Ward do caminho, iniciando a perseguição ao companheiro Pagenaud, que vinha em nono. 16s na frente dos dois, Dixon encostava em Power, esquentando a batalha pela vitória.

Quando Newgarden finalmente passava Pagenaud, na volta 37, surgia a primeira amarela da corrida: Harvey, então em quinto, rodou e foi parar na brita. Tinha toda cara de quebra. A prova ganhava novas opções de estratégias e, claro, de candidatos ao triunfo.

Harvey causou a primeira amarela da corrida (Vídeo: Indycar)

Todo mundo foi aos boxes na amarela, naturalmente, e, também de forma completamente esperada, Dixon e a Ganassi brilharam. Uma parada de cinema, entregando o neozelandês bem mais rápido de volta para a pista que Power. O top-10 tinha os dois, Hunter-Reay, Palou, Herta, Newgarden, Ferrucci, Rahal, Pagenaud e Ericsson.

O detalhe é que Santino se envolveu em novo incidente no pit-lane, com um atrapalhado Dalton Kellett. Naquele momento, o top-3 do começo da corrida já tinha tido problemas nos boxes: primeiro Rahal, depois Newgarden, na sequência Ferrucci.

Veio a relargada na volta 41 e os primeiros se mantiveram os mesmos, mas Newgarden saiu bem lento após uma fritada de pneus e via Ferrucci e Rahal passarem. Pagenaud e Ericsson brigava forte quando, logo atrás deles, Daly fechou a curva em cima de O’Ward e se deu mal: foi jogado para fora e bateu forte, saindo com fortes dores no ombro após abandonar. Nova amarela, pois.

Daly bateu forte ao tocar em Patricio O’Ward (Foto: Reprodução/DAZN)

Newgarden e Veach eram os únicos nos boxes, tentando algo de diferente para a relargada e as últimas dez voltas. O atual campeão, que fritou forte na relargada anterior, apostava nos pneus duros e num ajuste agressivo na asa dianteira.

Veio a bandeira verde na volta 45 e, antes até de algo acontecer, estava lá Kellett na brita na curva zero, antes de abrir a volta. Estava na cara que viria amarela, mas a direção de prova deixou correr mais um pouco e Palou deu um show, passando e segurando Hunter-Reay. Power e Dixon seguiam se pegando, com o neozelandês controlando os ataques de um australiano que chegava a sair de traseira antes da relargada.

Dalton Kellett passou reto e causou a terceira amarela da corrida (Foto: Reprodução/DAZN)

Durante a amarela, porém, veio a ordem da direção de prova para Hunter-Reay na frente de Palou, retomando as posições da relargada anterior.

Os pilotos relargaram com oito voltas para o fim e, acredite: novo show de Palou. O espanhol atropelou novamente Hunter-Reay, dando um drible no americano. E não queria parar por aí, logo encostando em Power, que não tinha mais tanto contato com Dixon.

Briga boa rolava pelo nono lugar. Primeiro, O’Ward tentou passar Pagenaud, que espalhou e deixou o mexicano do lado de fora, fritando pneus. No entanto, o troco veio no giro seguinte, com manobra tranquila e um tranco estranho do francês na lateral da McLaren. Pior para Pagenaud, que ainda perdeu lugar para Sato e Kimball.

As voltas finais foram de aperto de Palou em Power, mas sem sucesso. Ainda teve tempo de Chilton e Rossi se enroscarem e o #27 amargar mais um resultado tenebroso.

Na volta final, com Dixon marchando para a vitória e Power obtendo uma separação boa para Palou, Ericsson rodou ao tentar passar Herta e despencou para décimo.

Indy 2020, GP de Elkhart Lake, Corrida 1, Final:

1S DIXONGanassi Honda1:54:09.87055 voltas
2W POWERPenske Chevrolet+2.539 
3A PALOUDale Coyne Honda+3.193 
4R HUNTER-REAYAndretti Honda+3.984 
5C HERTAAndretti Honda+7.249 
6S FERRUCCIDale Coyne Honda+8.200 
7G RAHALRLL Honda+11.355 
8P O’WARDMcLaren Chevrolet+14.785 
9T SATORLL Honda+15.005 
10M ERICSSONGanassi Honda+15.766 
11C KIMBALLFoyt Chevrolet+16.170 
12S PAGENAUDPenske Chevrolet+17.623 
13R VEEKAYCarpenter Chevrolet+19.114 
14J NEWGARDENPenske Chevrolet+19.184 
15O ASKEWMcLaren Chevrolet+20.978 
16Z VEACHAndretti Honda+22.650 
17M CHILTONCarlin Chevrolet+37.490 
18F ROSENQVISTGanassi Honda+1 volta 
19A ROSSIAndretti Honda+1 volta 
20D KELLETTFoyt Chevrolet+1 volta 
21C DALYCarpenter Chevrolet+14 voltasNC
22M ANDRETTIAndretti Honda+16 voltasNC
23J HARVEYMeyer Shank Honda+18 voltasNC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube