Campeão da F3 Inglesa, Leist deixa Europa e assina com Carlin para temporada 2017 da Indy Lights

Matheus Leist parecia próximo de um acerto para disputar a temporada 2017 da GP3, mas o gaúcho mudou de planos e assinou com a campeã Carlin para correr na Indy Lights

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Matheus Leist mudou completamente seus planos para 2017. Nesta sexta-feira (3), o gaúcho foi anunciado como piloto da Carlin  para a temporada da Indy Lights, quando parecia certo que o campeão da F3 Inglesa estaria no grid da GP3 neste ano.

 
Leist garantiu que mudar da Europa para os EUA foi uma decisão de momento e que, mesmo animado com o fato de estar bem mais perto da Indy, ainda mantém o sonho de correr na F1 no futuro. Para começar sua caminhada em solo americano, nada melhor do que estar no time campeão de 2016, que colocou Ed Jones no cockpit da Dale Coyne.
 
O brasileiro de 19 anos exaltou o trabalho feito historicamente pela Carlin e o fato de estar, agora, a um passo da Indy.
 
"Estou muito feliz por poder fazer parte da Carlin na Lights. Eu tinha algumas opções para a temporada de 2017, mas uma combinação de coisas, como correr nos EUA e estar próximo de uma das principais categorias do mundo, fizeram com que eu optasse por correr na Lights. Eu corri várias vezes contra pilotos da Carlin e sei o quanto eles trabalham duro para vencer. Estou bastante animado para acelerar o carro e começar a temporada", disse o jovem piloto.
 
Mesmo com a mudança de planos para 2017, Leist garantiu que ainda não deixou o sonho de correr na F1 para trás.
 
"Tive uma ótima experiência com os testes da GP3 e já estava decidido a correr nesta categoria, mas o convite da Carlin para disputar a Lights em 2017 foi uma condição única em minha carreira. Tenho certeza de que terei chances novamente de andar entre os primeiros e, mostrando bons resultados, ter potencial para conseguir meu espaço nas categorias top, incluindo a F1, que é um sonho para o qual continuo lutando bastante para realizar", completou.
Matheus Leist agora é piloto da Carlin na Indy Lights (Foto: F3 Inglesa/Divulgação RF1)
"Nós corremos duas temporadas disputando as vitórias contra o Matheus e testemunhamos de perto sua velocidade e seu estilo de pilotagem. Agora teremos essa grande oportunidade de trabalharmos juntos e será ótimo ter um talento desses do nosso lado ao invés de tê-lo como adversário. A Lights é certamente um novo ambiente para o Matheus e ele terá um longo trabalho pela frente, mas Leist tem muita capacidade e o mais importante, calma e determinação para superar esses novos desafios. Estou muito animado para ver até onde chegaremos em 2017", comentou Trevor Carlin.
 
O grid da temporada 2017 da Lights ainda está em formação mas, até o momento, Leist é o único brasileiro confirmado. Além dele, o argentino Nicolas Dapero, o colombiano Juan Piedrahita e o uruguaio Santiago Urrutia são os outros sul-americanos na categoria. O americano Garth Rickards será o companheiro do gaúcho na Carlin.
PADDOCK GP #63 DEBATE CRISE NA F-TRUCK

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube