Carlin se empolga e festeja primeiro teste com novo carro da Indy em Homestead: “Estamos 100% felizes”

Max Chilton e Charlie Kimball aceleraram pela primeira vez o novo Dallara-Chevrolet em Homestead, na Flórida na última segunda-feira. Trevor Carlin, chefe da equipe britânica, se mostrou bastante feliz por ter sido uma sessão que se desenrolou sem maiores problemas: “Foi como se estivéssemos usando esses carros durante anos”

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A Carlin, a mais nova equipe da Indy, completou seu primeiro teste com o carro novo da categoria na última segunda-feira (22), em Homestead, na Flórida. Max Chilton e Charlie Kimball guiaram o Dallara-Chevrolet da escuderia britânica durante cinco horas e não tiveram maiores problemas. E isso foi muito comemorado pelo fundador da equipe, Trevor Carlin. Os testes seguem nesta terça-feira com Kimball, que vai pilotar o carro durante todo o dia no oval de Homestead, enquanto Chilton acelera quarta e quinta-feira no circuito misto de Sebring, também na Flórida.

 
O sentimento de Carlin. depois de ver a abertura dos trabalhos de pista com o novo carro ser bem-sucedida, foi de muita felicidade.
 
“Fiquei empolgado, para ser sincero. Foi muito emocionante ver o carro chegando ao pit-lane pela primeira vez. E voltou pelas suas próprias forças, o que é bom. Para ser brutalmente sincero contigo, os meninos fizeram um trabalho incrível com o carro, como se estivéssemos usando esses carros durante anos”, comemorou o britânico em entrevista ao site norte-americano ‘Motorsport.com’.
Charlie Kimball testou o novo Dallara em Homestead nesta segunda-feira (Foto: Carlin Racing/Twitter)
“Há muitas coisas a aprender, mas tudo se desenrolou de forma normal, de modo que estou muito feliz e empolgado pela equipe”, acrescentou.
 
O dirigente e fundador da equipe também destacou o fato de o conjunto Dallara-Chevrolet ter funcionado muito bem, considerando que o motor, preparado pela Ilmor e dotado de software da Cosworth, não apresentou grandes problemas.
 
“Tudo correu de acordo com o planejado. Havia muita coisa no software da Cosworth que precisava ser programada, mas meus meninos se encarregaram disso sem problemas, e os caras da Ilmor simplesmente conectaram tudo e colocaram as mãos à obra. De modo que estamos 100% felizes com isso. Sem falhas, de verdade”, destacou.
 
Carlin lembrou que, ao intensificar os trabalhos para a construção de uma equipe partindo do zero na Indy, o time da Lights ficou um pouco de lado por enquanto. 
 
“Foi um pouco agitado, obviamente. Nós temos uma tripulação construindo o segundo carro e outra tripulação aqui. Mas na verdade, não tivemos muito interesse na nossa equipe da Indy Lights até agora. Então conseguimos ter mais mão-de-obra com os carros da Indy”, ponderou Trevor, lembrando que vai precisar correr contra o tempo para deixar prontos os trabalhos na categoria de acesso.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Tive duas pessoas em contato a respeito do programa da Lights ao longo das duas últimas semanas, o que está incrivelmente atrasado, e esperamos ter dois carros lá na pista neste ano. Mas, em alguma forma, acho que é mais fácil arrecadar dinheiro para a Indy do que para a Lights, ainda que a soma que você esteja buscando para a Indy seja um pouco maior. Mas há o fascínio com a Indy 500 e também o melhor pacote de TV”, complementou.

 
Por fim, o britânico garantiu que, ao menos neste ano de estreia, não vai dar ‘um passo maior que a perna’ para colocar três carros no grid das 500 Milhas de Indianápolis. “Sinceramente, não é o certo para nós fazer isso neste ano. Estou feliz por fazer o que estamos fazendo para correr. É passo bastante grande, e sem tentar crucificar a nós mesmos para correr com três carros”, encerrou o dirigente.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube