Direção da Indy negocia com Mugello para realizar prova na Itália em 2013, diz jornal

Prova europeia da Indy, se virar realidade, acontecerá em setembro do próximo ano. CEO da categoria, Randy Bernard admitiu ter se reunido com dirigentes italianos, mas também de outros circuitos europeus

A Indy pode voltar ao Velho Continente já na próxima temporada. A conhecida vontade de Randy Bernard, CEO da categoria, ter 20 provas no calendário de 2013 pode virar realidade caso as negociações com a direção do circuito de Mugello, na Itália, avancem.

Segundo informações do jornal italiano ‘La Repubblica’, a Indy avalia disputar uma prova no circuito de propriedade da Ferrari. Bernard confirmou que reuniões já aconteceram para discutir uma viagem da Indy à Europa, mas não só com Mugello.

Romain Grosjean pilota Lotus durante testes da F1 em Mugello, em maio de 2012 (Foto: Lotus/LAT)

“Discutimos com vários potenciais promotores e isso inclui explorações iniciais com Mugello”, afirmou o dirigente, na tarde de terça-feira. O calendário divulgado pela Indy para 2013 possui um hiato de mais de um mês entre as corridas de Baltimore (1º de setembro) e Houston (5 de outubro), onde seria encaixada a corrida na Itália. Por ora, 19 etapas estão previstas para o próximo ano.

Mugello não recebe, atualmente, nenhuma das principais categorias de monopostos da Europa. Nos últimos anos, a principal classe que passou por lá foi a MotoGP. Em 2012, porém, o circuito recebeu a F1, em maio, para a realização de três dias de treinos coletivos durante a temporada.

A última vez que o certame norte-americano esteve em solo americano foi antes da fusão entre a IRL e a Champ Car, em 2008. Na temporada de 2007, a última da Champ Car, foram realizadas provas em Zolder, na Bélgica, e em Assen, na Holanda.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube