Dixon supera Sato no fim e lidera TL2 das 500 Milhas de Indianápolis. Alonso bate

Scott Dixon surgiu nos instantes derradeiros para fazer a melhor volta do segundo dia de treinos livres da Indy 500. Fernando Alonso protagonizou o primeiro acidente da edição 104, mas fechou em 8º. Tony Kanaan foi 14º e Helio Castroneves ficou em 16º

O segundo dia de treinos livres da Indy 500 viu Scott Dixon mostrar a força da Ganassi e Fernando Alonso sofrer o primeiro acidente da 104ª edição. Nesta quinta-feira (13), o neozelandês puxou a fila com 39s805, enquanto o espanhol foi o oitavo, mas danificou bem o carro na hora final da atividade.

O líder do campeonato só foi aparecer mesmo na sessão nos instantes finais. Faltavam pouco mais de 15 minutos quando Dixon fez a ótima volta que arrancou a liderança das mãos de Takuma Sato. O japonês da RLL, aliás, ficou na dianteira quase que o dia todo, e fechou em segundo.

Apesar do acidente típico de alguém com pouca experiência em oval, já que desceu muito na curva 4, Alonso conseguiu a oitava colocação. O espanhol teve 126 voltas, boa quilometragem para o segundo dia. Quem começa a Indy 500 2020 de forma bem consistente é Marco Andretti. Assim como no TL1, o americano andou no grupo da frente e ficou em terceiro, seguido por Conor Daly e o novato Álex Palou.

Os brasileiros tiveram desempenhos mais discretos que no TL1. Tony Kanaan completou 83 voltas e foi 14º, enquanto Helio Castroneves teve 120 giros na conta e a 16ª colocação. Josef Newgarden foi só 18º, atrás de James Hinchcliffe, que liderou o primeiro dia.

Sem vácuo, destaque para Jack Harvey, o mais veloz ao atingir 222.123. Na sequência apareceram Colton Herta e Ryan Hunter-Reay. O terceiro dia de atividades é nesta sexta-feira, a Fast Friday, com início marcado para 12h (em Brasília).

Scott Dixon liderou o TL2 da Indy 500 2020 (Foto: IndyCar)

Confira como foi o TL2 em Indianápolis:

O segundo dia de atividades em Indianápolis começou às 12h (em Brasília), com os termômetros marcando 27ºC, uma tempertura até abaixo das esperadas para a época do ano e para a corrida, que acontece na próxima semana. A expectativa era ver se a Honda manteria a vantagem para a Chevrolet e se Ben Hanley conseguiria andar com o carro DragonSpeed, após ficar sem tempo no TL1.

O início do TL2 foi bastante morno e até demorou um pouco para que Conor Daly superasse a barreira de 40s. Takuma Sato, na sequência, tomou a dianteira com 39s931 e liderou os 30 minutos iniciais seguido por Daly e Charlie Kimball.

Fernando Alonso só foi para a pista ali pelas 12h50, mas logo na segunda volta já mostrou que estava disposto a boas marcas. O espanhol virou 40s114, escalando de cara para a quarta colocação. Álex Palou, enquanto isso, apresentava alguns probleminhas em seu carro.

Com 5 horas de atividades pela frente, Sato seguia na dianteira, mas com volta ainda melhor: 39s877. Apenas o japonês e Daly seguiam abaixo dos 40s, enquanto Kimball, Alonso e James Davison vinham na sequência. A DragonSpeed ao menos aparentemente se livrava dos problemas eletrônicos e preparava a entrada de Ben Hanley para tentar completar as voltas e velocidades obrigatórias no programa de orientação de novatos e pilotos de fora do grid regular, algo que provavelmente ocorreria apenas no fim do dia.

A hora seguinte continuou sem a presença de Hanley, único ausente no TL2 até então. Tony Kanaan e Helio Castroneves andavam em ritmo interessante e parecido, com o piloto da Foyt em 11º e o da Penske em 13º.

Já começava a chamar a atenção como alguns pilotos entravam naquela espécie de maratona: Rinus VeeKay, Pato O’Ward e Alonso já superavam as 50 voltas completadas. Entre os tempos sem vácuo, Colton Herta comandava com 221.895 mp/h.

Veio a bandeira amarela para inspeção na pista quando faltavam 4 horas para o fim do dia em Indianápolis. Sato seguia na frente com Daly, Kimball, Alonso, Davison, Oliver Askew, VeeKay, Jack Harvey, Marco Andretti e Herta no top-10.

Os 60 minutos seguintes foram os mais discretos do dia até então. Na realidade, ainda que alguma quilometragem fosse adquirida, os tempos ficaram bem pouco mexidos. O destaque foi para Ryan Hunter-Reay, que entrou com a sétima melhor marca ao cravar 40s151, um tempo melhor que o que havia lhe garantido a quarta colocação no TL1.

Mas foi uma hora marcada pelas inspeções de pista e uma simulação de tráfego, que tomaram quase 20 minutos ali. Com três horas para o final, top-10 seguia igual, com Sato na ponta, enquanto a DRR sofria bastante e tinha Sage Karam e JR Hildebrand, respectivamente, em 31º e 32º.

A sessão seguia com boa quilometragem, alguns stints interessantes, mas pouca velocidade. Só Herta que dava uma evoluída, com duas boas voltas seguidas para subir para sétimo e, depois, terceiro, com 40s063. Na inspeção de pista das 2 horas para o fim, os 32 pilotos vinham no mesmo segundo.

Era momento, então, do famoso happy-hour, com muitos carros na pista e, geralmente, marcas que vão caindo até o fim do dia. A pista não demorou nada para encher, parecia questão de tempo para que Sato deixasse a ponta.

Aí veio Marco, assim como no TL1, andando muito forte para subir ao segundo lugar com 39s956. Veio também Álex Palou, que escalou o pelotão até a quarta colocação, mas foi outro espanhol que chamou a atenção naquela reta final de TL2. Só que por um motivo ruim.

Alonso desceu muito na saída da curva 4, perdeu o controle e deu no muro, causando o primeiro acidente dos treinos livres da 104ª edição. Tudo bem com ele, mas não com o carro, que ficou bem danificado.

A bandeira verde voltou com pouco mais de 30 minutos pela frente e aí veio Scott Dixon. Calminho, discreto, o neozelandês foi aparecer ali na reta final e virou uma baita volta em 39s805, tomando a dianteira de Sato. Pouquinho depois daquilo, uma amarela para inspeção de pista que basicamente encerrou o dia.

A bandeira verde até voltou para os 5 minutos finais, mas nada que mudasse a cotação do dólar e nem as primeiras colocações. Dixon puxou a fila, Alonso em oitavo, Kanaan em 14º e Castroneves em 16º.

Indy 2020, 500 Milhas de Indianápolis, TL2:

1S DIXONGanassi Honda39.805 107
2T SATORLL Honda39.877+0.072122
3M ANDRETTIAndretti Honda39.956+0.15186
4C DALYCarpenter Chevrolet39.981+0.176125
5A PALOUDale Coyne Honda40.005+0.200119
6C HERTAAndretti Honda40.052+0.247123
7C KIMBALLFoyt Chevrolet40.069+0.264100
8F ALONSOMcLaren Chevrolet40.114+0.309126
9J DAVISONDale Coyne Honda40.122+0.317117
10O ASKEWMcLaren Chevrolet40.150+0.345102
11R HUNTER-REAYAndretti Honda40.151+0.34682
12R VEEKAYCarpenter Chevrolet40.166+0.361136
13J HARVEYMeyer Shank Honda40.209+0.404126
14T KANAANFoyt Chevrolet40.231+0.42683
15Z VEACHAndretti Honda40.240+0.435132
16H CASTRONEVESPenske Chevrolet40.245+0.440120
17J HINCHCLIFFEAndretti Honda40.245+0.440111
18J NEWGARDENPenske Chevrolet40.247+0.44297
19G RAHALRLL Honda40.305+0.500103
20P O’WARDMcLaren Chevrolet40.319+0.514138
21S FERRUCCIDale Coyne Honda40.346+0.54198
22S PIGOTRLL Honda40.351+0.54680
23W POWERPenske Chevrolet40.363+0.558123
24F ROSENQVISTGanassi Honda40.423+0.618141
25M ERICSSONGanassi Honda40.426+0.621123
26A ROSSIAndretti Honda40.435+0.63096
27S PAGENAUDPenske Chevrolet40.501+0.696101
28D KELLETTFoyt Chevrolet40.548+0.743141
29J HILDEBRANDDRR Chevrolet40.617+0.81291
30E CARPENTERCarpenter Chevrolet40.621+0.816108
31S KARAMDRR Chevrolet40.630+0.82566
32M CHILTONCarlin Chevrolet40.797+0.99254
33B HANLEYDragonSpeed Chevrolet0

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube