Indy

Dono da SPM revela 'blitz' da McLaren em 2018 para tentar negociar compra de equipe do grid na Indy

Sam Schmidt, um dos donos da SPM, afirmou que não há qualquer tipo de negociação em curso com a McLaren e que a equipe, agora parceira da Arrows, está saudável. Mas em 2018, ele contou, a McLaren saiu louca atrás de um negócio

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
A McLaren estudou amplamente a possibilidade de comprar uma das equipes já existentes no grid da Indy. A informação foi revelada por Sam Schmidt, um dos donos da SPM e que foi procurado para explorar a possibilidade de negócio. De acordo com o dirigente, entretanto, a equipe está financeiramente saudável após o acordo com a Arrow e não tem qualquer interesse em uma negociação deste naipe.
 
Segundo Schmidt, a procura aconteceu em 2018, quando a McLaren trabalhava ainda com a possibilidade de correr a temporada 2019 de forma integral. Como a SPM foi procurada, ele garante, outras várias equipes também foram. 
 
"Não. Ric [Peterson, outro dos donos] e eu finalmente conseguimos dar uma respirada. Temos um bom programa aqui e um acordo de cinco anos com a Arrow", afirmou ao jornal norte-americano 'IndyStar'.
Marcus Ericsson (Foto: IndyCar)
"Sei de onde isso está vindo. É um antigo empregado, mas acredito que entre junho e dezembro do ano passado a McLaren conversou com todo mundo no paddock sobre todas as possibilidades desde parceria à equidade e tudo mais. Acho que se houvesse um acordo à vista, provavelmente eles estariam conosco neste mês, mas não estão. Estão por si só e compraram todo o equipamento deles", apontou. 
 
Os boatos sobre um acordo entre McLaren e SPM cresceram no último mês após um acordo de engenharia entre a gigante inglesa e a Arrow, mas Schmidt garante que não tem a ver com os desejos da McLaren nos Estados Unidos.


 
"É fumaça, simples assim. Encontramos negócios que podiam ser feitos com a McLaren Automotive e fizemos um acordo com a equipe da Fórmula 1. E o mais longe que fomos. Literalmente, o mais longe que fomos. Estamos felizes com a forma como as coisas estão acontecendo", garantiu.

Ao 'IndyStar, a McLaren se limitou a afirmar que não iria negar ou confirmar o que disse Schmidt. O diretor-executivo Zak Brown, porém, já afirmou, quando esteve presente na etapa de Long Beach, que a entrada da McLaren na Indy é "mais uma questão de quando, não de se". Nas 500 Milhas de Indianápolis, pelo menos, a McLaren está por conta própria
Zak Brown (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
"Inevitável seria a 100%, e eu não diria que estamos lá, mas fazemos isso com um propósito e uma razão. Tudo se encaixa bem no guarda-chuva da McLaren e é algo que gostaríamos de ver no futuro", encerrou. 
 
A definição do grid de largada da Indy 500 acontece no próximo fim de semana, enquanto a corrida está marcada para o dia 26 de maio. 


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.