Newgarden continua de onde parou em 2019 e crava pole no GP do Texas. Kanaan é 10º

Josef Newgarden começou 2020 da mesma forma que acabou 2019 e cravou a pole para a abertura da Indy no Texas. Scott Dixon parte do segundo lugar, enquanto Tony Kanaan abre a turnê de despedida saindo de décimo

Josef Newgarden nem parecia estar sentindo a longa pausa que a Indy fez desde sua última corrida em setembro de 2019. Como se ainda tivesse na temporada do bicampeonato, o americano brilhou neste sábado (6) e garantiu a pole para o GP do Texas, vencendo um belíssimo duelo com Scott Dixon.

Foi uma classificação marcada pelo calor intenso texano e por um equilíbrio bastante interessante entre as três principais equipes do grid, com a Penske e a Ganassi levando alguma vantagem também pela posição em que Newgarden, Dixon e Simon Pagenaud foram para a pista.

O melhor representante da Andretti na classificação em Fort Worth foi Ryan Hunter-Reay, que garantiu a quarta colocação, menos de 0s3 atrás de Pagenaud. Em quinto, a grande surpresa da tarde: Zach Veach, em excelente atuação mesmo saindo de uma posição pouco confortável na ordem dos pilotos que classificaram.

Will Power, Graham Rahal, Alexander Rossi e Felix Rosenqvist apareceram na sequência, com Tony Kanaan abrindo a temporada de despedida de forma muito competente, colocando a Foyt no décimo lugar do grid.

Três pilotos começaram 2020 com consideráveis problemas. Takuma Sato bateu em sua tentativa e ficou sem tempo, bem como Santino Ferrucci e Rinus VeeKay, que sequer entraram na pista enquanto Dale Coyne e Carpenter faziam ajustes importantes em seus carros.

A largada do GP do Texas acontece ainda neste sábado, com previsão de bandeira verde para 21h10 (em Brasília).

Josef Newgarden começa 2020 como acabou 2019: na frente (Foto: Indycar)

Saiba como foi a definição do grid no Texas

A classificação para o GP do Texas começou pontualmente às 18h (em Brasília). O esquema era o tradicional dos ovais, com duas voltas rápidas para cada piloto chegar a um somatório. O calor era intenso, com os termômetros na casa dos 37ºC, um fator para interferir nas sessões do dia.

Abrindo os trabalhos, Marcus Ericsson sofreu com uma pista ainda longe do ideal e combinou seus giros para 48s897. O início da atividade foi forte, com uma Andretti seguindo uma Ganassi: James Hinchcliffe, que não tem vaga para a temporada completa, colocou o sexto carro do time na frente de Ericsson, com 48s767.

A primeira temporada completa da Meyer Shank não começou lá essas coisas. Jack Harvey não passou nem perto de achar um bom ritmo e, assim como já tinha sido no treino livre, rumou para o fundo do grid: 50s416. Mas a lógica não continuou no piloto seguinte. Charlie Kimball mostrou que a Foyt conseguiu um bom acerto e saltou na frente com 48s726.

Marco Andretti no Texas
Marco Andretti teve uma classificação regular (Foto: IndyCar)

Se a Foyt surpreendeu com Kimball, Conor Daly e a Carlin foram mais no caminho de Harvey. O americano só ficou na frente do rival da Meyer Shank, quase 0s6 atrás de Zach Veach, que apareceu na sequência e fez um excelente trabalho com uma Andretti muito bem acertada.

Depois de um treino livre promissor com Pato O’Ward, a McLaren não começou legal a classificação com Oliver Askew, que foi bastante lento e se colocou entre Daly e Harvey, com toda cara de uma das últimas duas filas do grid. Marco Andretti entrou em 2020 reconhecendo que precisava se reencontrar e ao menos iniciou os trabalhos de forma decente, apenas mais lento que Veach: 48s633.

Tony Kanaan abriu a temporada de despedida com um desempenho muito competente com seu lindo carro verde da Foyt. O brasileiro virou 48s588, crescendo de ritmo na segunda volta e se colocando entre Veach e Andretti, sonhando até com um top-10 no grid. Outro especialista em ovais, Ed Carpenter ficou um pouco aquém, mas garantiu um quinto lugar provisório, atrás de Kimball.

Paddockast #64 | OS PILOTOS MAIS SUBESTIMADOS DA HISTÓRIA
Ouça também: PODCASTS APPLE | ANDROID | PLAYERFM

Estreante, Álex Palou passou bastante perto de já começar sua jornada na Indy no muro. No entanto, o espanhol contornou bem a situação e ainda salvou um sétimo lugar. E realmente não era uma boa classificação para a McLaren, que viu O’Ward também sofrer, cair muito de ritmo durante as voltas rápidas e se colocar em nono dos 12 que já tinham tempos registrados.

A próxima dupla na pista era a da RLL, que teve momentos bem contrastantes em poucos minutos. Graham Rahal foi muito bem, obrigado, tomando apenas 0s03 de Veach e se garantindo até ali em segundo. No entanto, Takuma Sato deu uma séria dor de cabeça ao time, perdendo o controle antes de abrir a volta rápida e dando no muro entre as curvas 1 e 2.

Pole em 2019, Sato parou no muro na classificação no Texas

Após uns bons 15 minutos de pista fechada pela batida de Sato, os trabalhos recomeçaram com mais duas Andretti. Entre o Ryan Hunter-Reay e Colton Herta, melhor para o veterano, que cravou 48s378 e assumiu a liderança provisória. O jovem não foi tão bem assim e se colocou em oitavo, na frente do companheiro Hinch.

Segundo sueco da Ganassi a ir para a pista, Felix Rosenqvist foi bem melhor que Ericsson, mas não conseguiu ameaçar o domínio parcial da Andretti. O #10 fez a quarta melhor marca, pouquinho mais rápido que Kanaan. Primeiro piloto da Penske na classificação, Will Power também não buscou as Andretti, mas foi ainda mais veloz que Rosenqvist, cravando o terceiro tempo com 48s465.

Scott Dixon fez ótimo trabalho (Foto: Indycar)

Aí a coisa virou de um jeito assustador no piloto seguinte. Scott Dixon, que já tinha brilhado no treino livre, deu um baile em Hunter-Reay, sumiu com o tempo do rival e tomou a pole com 48s081, uma marca bem difícil de ser batida por alguém. Outro grande favorito ao primeiro lugar do grid e ao título, Alexander Rossi teve rendimento não mais que mediano, ficando em sexto.

Faltavam, então, os dois primeiros colocados de 2019. Simon Pagenaud passou perto, mas não destronou Dixon, no entanto, Josef Newgarden começou 2020 com tudo e, com 48s058, cravou a primeira pole da temporada.

Indy 2020, GP do Texas, grid de largada:

1J NEWGARDENPenske Chevrolet48.058 
2S DIXONGanassi Honda48.081+0.023
3S PAGENAUDPenske Chevrolet48.119+0.061
4R HUNTER-REAYAndretti Honda48.378+0.320
5Z VEACHAndretti Honda48.453+0.395
6W POWERPenske Chevrolet48.465+0.407
7G RAHALRLL Honda48.476+0.418
8A ROSSIAndretti Honda48.519+0.461
9F ROSENQVISTGanassi Honda48.548+0.490
10T KANAANFoyt Chevrolet48.588+0.530
11M ANDRETTIAndretti Honda48.633+0.575
12C KIMBALLFoyt Chevrolet48.726+0.668
13E CARPENTERCarpenter Chevrolet48.741+0.683
14C HERTAAndretti Honda48.746+0.688
15J HINCHCLIFFEAndretti Honda48.767+0.709
16A PALOUDale Coyne Honda48.790+0.732
17M ERICSSONGanassi Honda48.897+0.839
18P O’WARDMcLaren Chevrolet48.903+0.845
19C DALYCarpenter Chevrolet49.039+0.981
20O ASKEWMcLaren Chevrolet49.175+1.117
21J HARVEYMeyer Shank Honda50.416+2.358
22S FERRUCCIDale Coyne Honda
23T SATORLL Honda
24R VEEKAYCarpenter Chevrolet

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube