Power lidera treino movimentado e quente em Indianápolis. Ferrucci é segundo

O favoritismo não ficou claro no único treino livre no misto de Indianápolis. Melhor para Will Power, especialista na pista, que ficou com a primeira posição

O equilíbrio marcou o único treino livre para o GP de Indianápolis, realizado nesta sexta-feira (3). Com muitas trocas de liderança durante toda a sessão, quem fechou na ponta foi um especialista da casa. O australiano Will Power, da Penske, que já venceu e etapa em três oportunidades diferentes, foi o mais rápido ao anotar 1min09s948.

A segunda posição ficou com Santino Ferrucci, da Dale Coyne, que apesar de mostrar dificuldades no começo e até ser punido por um acidente com Ryan Hunter-Reay, mostrou ritmo bom nas voltas rápidas. A Ganassi seguiu forte, mas agora com Marcus Ericsson, o terceiro colocado.

Vencedor da etapa no Texas e líder do campeonato, Scott Dixon fez treino discreto, mas ficou com a quinta posição, atrás de Patricio O’Ward e à frente de Ryan Hunter-Reay, Simon Pagenaud, Felix Rosenqvist, Spencer Pigot e Oliver Askew, que finalizaram o top-10.

Atual campeão, Josef Newgarden teve pouco destaque durante a atividade, ficando com um modesto 12º lugar.

Confira como foi o treino livre do GP de Indianápolis:

A sessão começou com praticamente o grid inteiro dando voltas de instalação no traçado. A primeira volta cronometrada foi anotada pelo inglês Max Chilton, único representante da Carlin no evento, que anotou 1min22s425. Com 10 minutos completados, Zach Veach, da Andretti, assumiu a liderança com 1min14s355.

Felix Rosenqvist liderou a maior parte da sessão (Foto: Indycar)

Veach e Graham Rahal foram os primeiros a entrarem na casa do 1min13s, formando o top-2. Os estreantes Álex Palou e Rinus VeeKay também entraram no mesmo ritmo. 

Pole em 2019, Felix Rosenqvist deu sequência ao bom ritmo que vem apresentando em 2020, liderando a sessão na marca de 20 minutos com 1min12s334. Pato O’Ward colocou a McLaren em segundo, com Colton Herta, da Andretti, em terceiro. Em seguida, Rosenqvist virou um forte 1min11s879, ampliando a liderança, agora com Marcus Ericsson e Ryan Hunter-Reay na cola.

Candidatos ao título, Alexander Rossi, Josef Newgarden, Simon Pagenaud e o líder do campeonato Scott Dixon começaram a aparecer, colocando voltas rápidas e aparecendo no top-10, mas sem alcançar Rosenqvist.

Com um terço de sessão completada, o top-10 era formado por Rosenqvist, Pagenaud, Newgarden, Takuma Sato, Dixon, Rossi, Hunter-Reay, Ericsson, Rahal e Jack Harvey, que segundos depois colocou sua Meyer Shank na sétima posição. 

Estreando na temporada 2020 pela Citrone Buhl, equipe parceira da RLL, Spencer Pigot assumiu a segunda posição ao anotar 1min12s162, se tornando o único piloto do grid a ficar menos de 0s300 atrás do líder Rosenqvist.

A liderança do treino livre teve uma mudança com 52 minutos restantes, mas se manteve com a Ganassi. Marcus Ericsson colocou 1min11s817 na tabela e tomou a ponta. Quem surpreendeu foi Rinus VeeKay, que esteve no fundo da lista durante praticamente o tempo inteiro, mas anotou o segundo tempo, formando um top-3 europeu.

Max Chilton e Pato O’Ward assumiram as duas primeiras posições antes da primeira bandeira vermelha da sessão. Santino Ferruci tocou Ryan Hunter-Reay na curva 7. O campeão da temporada 2012, que estava em 17º parou na grama e o treino foi interrompido por quatro minutos.

Acidente entre Santino Ferrucci e Ryan Hunter-Reay (Vídeo: Indycar)

Pouco tempo após o retorno, Oliver Askew, da McLaren, tomou a primeira posição. Com 31 minutos restantes, nova bandeira vermelha, agora por causa de Sage Karam, da Dreyer & Reinbold. O americano perdeu o ponto de frenagem na curva 12, utilizou a área de escape, mas o carro parou. Ele ocupava a 25ª colocação, à frente apenas de Dalton Kellett.

Sage Karam causou a segunda vermelha do dia (Vídeo: Indycar)

A atividade foi reiniciada com 25 minutos restantes. Pilotos como Rahal, Hunter-Reay, Daly, Pigot, Newgarden, Herta e Rossi melhoraram seus tempos de cara, se posicionando no top-10, mas sem tirar Askew do primeiro posto.

No início das simulações de classificação, a liderança foi trocando de mãos volta após volta. Primeiro foi Pigot, depois Hunter-Reay, Power, VeeKay e Rosenqvist.

Ryan Hunter-Reay chegou a liderar a reta final de treino (Foto: Indycar)

Ryan Hunter-Reay retomou a ponta com 10 minutos restantes de sessão, mas rapidamente foi superado por Ferrucci, Ericsson e O’Ward, que passaram a formar o top-3.

No fim, Will Power, três vezes vencedor do GP de Indianápolis, mostrou a força da Penske para liderar a sessão com 1min09s948. O top-10 foi fechado por Ferrucci, Ericsson, O’Ward, Dixon, Hunter-Reay, Pagenaud, Rosenqvist, Pigot e Askew.

Indy 2020, GP de Indianápolis 1, Treino livre:

1W POWERPenske Chevrolet1:09.949 30
2S FERRUCCIDale Coyne Honda1:10.124+0.17521
3M ERICSSONGanassi Honda1:10.165+0.21628
4P O’WARDMcLaren Chevrolet1:10.187+0.23829
5S DIXONGanassi Honda1:10.205+0.25625
6R HUNTER-REAYAndretti Honda1:10.285+0.33625
7S PAGENAUDPenske Chevrolet1:10.313+0.36427
8F ROSENQVISTGanassi Honda1:10.362+0.41329
9S PIGOTRLL Honda1:10.363+0.41423
10O ASKEWMcLaren Chevrolet1:10.364+0.41530
11C HERTAAndretti Honda1:10.385+0.43617
12J NEWGARDENPenske Chevrolet1:10.386+0.43726
13J HARVEYMeyer Shank Honda1:10.455+0.50624
14M ANDRETTIAndretti Honda1:10.486+0.53730
15A ROSSIAndretti Honda1:10.520+0.57121
16T SATORLL Honda1:10.538+0.58925
17R VEEKAYCarpenter Chevrolet1:10.606+0.65736
18M CHILTONCarlin Chevrolet1:10.611+0.66226
19G RAHALRLL Honda1:10.685+0.73631
20C DALYCarpenter Chevrolet1:10.694+0.74526
21Z VEACHAndretti Honda1:10.709+0.76027
22A PALOUDale Coyne Honda1:10.886+0.93726
23C KIMBALLFoyt Chevrolet1:10.980+1.03125
24J HINCHCLIFFEAndretti Honda1:11.227+1.27826
25D KELLETTFoyt Chevrolet1:11.448+1.49942
26S KARAMDRR Chevrolet1:11.617+1.66828
Paddockast #68 | O QUE ESPERAR DA FÓRMULA 1 2020?
Ouça também: PODCASTS APPLE | ANDROID | PLAYERFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube