Dovizioso destaca característica única da Yamaha na MotoGP: “Precisa de jeito especial”

Andrea Dovizioso estreou na SRT e na temporada 2021 da MotoGP com um discreto 19º lugar no GP de San Marino. Mesmo com pouco tempo de pista, o veterano italiano já entendeu alguns pontos da nova moto

Depois de longos meses de espera, Andrea Dovizioso finalmente voltou a subir em uma moto e realizar uma corrida completa, a primeira desde o GP de Portugal do ano passado. Agora na SRT Yamaha, o italiano retornou às pistas no GP de San Marino e já saber que vai seguir na equipe na próxima temporada.

Apesar de claramente sentir as dificuldades da moto, classificando-se em 24º e terminando em 19º, Dovizioso saiu satisfeito com o ritmo apresentado em Misano. Vale ressaltar aqui que essa foi a primeira vez desde 2012 que ele fez uma corrida da MotoGP com um equipamento diferente da Ducati.

“Não sei o que eu poderia ter feito de diferente em relação à moto de fábrica. O que o Fabio [Quartararo] está fazendo é algo insano, muito além do que posso entender e analisar neste momento”, disse o italiano.


▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Andrea Dovizioso correu oficialmente pela primeira vez com a SRT (Foto: SRT)

VEJA TAMBÉM
Como fica o grid da MotoGP para a temporada 2022?
Marc Márquez atende chamado de mãe e surpreende fã mirim em Misano
Bagnaia corta 5 pontos da vantagem de Quartararo na MotoGP. Veja classificação
Bagnaia vai da explosão à sobrevivência e gabarita de novo na pós-graduação da MotoGP

“A moto é única e possui várias coisas boas, mas você precisa andar nela de um jeito especial, com tempo para se adaptar e entender tudo. Por isso será importante analisar e entender o que poderia ter sido mudado durante a corrida”, pontuou.

Questionado sobre o que torna a moto da Yamaha única, Dovizioso afirmou que o equipamento exige um estilo de pilotagem que a maior parte do grid não consegue repetir.

“É só ver como o Fabio está andando. Você precisa realmente frear dentro da curva, e bem, para carregar uma boa aceleração no meio das curvas. É a única maneira de usar todo o potencial da moto porque é o que ela exige”, analisou Dovi.

“É uma moto particular porque normalmente você não anda assim com as outras motos da MotoGP. Talvez a Suzuki, mas as outras não são assim”, concluiu Andrea.

A MotoGP volta às pistas no próximo dia 3 de outubro para o GP das Américas, em Austin, no Texas. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2021.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar