Bastianini surge no fim e lidera primeiros treinos do GP de San Marino da Moto2

O italiano anotou a marca de 1min36s933 com menos de um minuto para o fim do treino. Sam Lowes e Augusto Fernández fecharam o top-3

LEIA TAMBÉM
FOX Sports aguarda acordo de última hora para voltar a transmitir MotoGP no Brasil
Rossi nega aposentadoria e fala em anunciar mudança para Yamaha SRT em Barcelona

Enea Bastianini começou o fim de semana do GP de San Marino e Riviera de Rimini com o pé direito. Nesta sexta-feira (11), após os dois primeiros treinos da etapa, o piloto anotou 1min36s933 e fechou o dia como o mais rápido.

Luca Marini foi quem começou as atividades na frente. O líder da classificação foi o primeiro a se colocar na primeira colocação da tabela e ficou por boa parte do primeiro treino no posto, sendo superado por Sam Lowes já no final.

O piloto da Marc VDS começou o treino da tarde mantendo a liderança, mas com o tempo anotado ainda na primeira sessão da sexta-feira. Tudo caminhava para o britânico fechar o dia como líder, mas com menos de dois minutos para o fim, Bastianini bateu sua marca e foi o mais rápido na abertura da etapa.

Lowes foi o segundo colocado, com Augusto Fernández, Nicolò Bulega e o atual líder Marini completando os cinco primeiros. Enea e Sam foram os únicos pilotos do dia que fizeram volta na casa de 1min36s.

A Moto2 conta com uma baixa para a etapa de San Marino e Riviera de Rimini. Na quinta-feira, a Ajo confirmou que Jorge Martín, na briga pelo título de 2020, testou positivo para o coronavírus, ficando fora da prova em Misano.

Enea Bastianini, Moto2 2020, San Marino
O italiano surgiu com menos de dois minutos para o fim (Foto: Reprodução)

Com os primeiros giros de instalação completados, Luca Marini foi o primeiro a se estabelecer na ponta com 1min38s910. Na sequência apareciam Lorenzo Baldassarri e Marcel Schrötter, mas logo a sequência mudou e Sam Lowes pulou para a ponta.

Nem dez minutos de sessão completados e Remy Gardner protagonizou o primeiro tombo da Moto2. Na curva 16, o piloto acabou indo ao chão e deslizando até a caixa de brita, mas saiu ileso. Pouco depois, foi a vez de Augusto Fernández cair na curva 1.

O treino seguia bastante movimentado. Enquanto vinham em suas voltas rápidas, Schrötter acabou tocando na roda traseira de Idzihar. Pouco depois, o alemão protagonizou mais um incidente na sessão ao cair na curva 14.

Quase metade do treino percorrido e a ordem na tabela era Marini na primeira colocação com 1min37s475. Apenas 0s179 atrás vinha Lowes, com Lorenzo Baldassarri, Enea Bastianini e Schrötter fechando o top-5. Neste ponto, os pilotos começavam a ir aos boxes.

Na reta final, Lowes liderava o pelotão com Marini, Bastianini, Fernández, Arón Canet, Marco Bezzecchi, Baldassarri, Schrötter, Fabio Di Giannantonio e Xavi Vierge completavam os dez mais rápidos da sessão.

No início do segundo treino livre, os tempos logo começaram a surgir assim que as voltas de instalação terminaram. Bezzecchi e Jorge Navarro chegaram a passar pela ponta, mas com 1min37s843, foi Bastianini quem se estabeleceu como o mais rápido.

Depois de 15 minutos de treino percorridos, Fernández pulou rapidamente para a ponta, mas logo foi superado por Lowes, que virou 1min37s257. O companheiro do líder estava apenas 0s030 mais lento, com Marini fechando os três primeiros.

Com o andar do treino, Lowes era o único a manter a melhor marca com base no tempo anotado no primeiro treino. Junto com o piloto da Marc VDS, Fernandez, Marini, Bezzecchi, Schrötter, Bastianini, Navarro, Nagashima, Vierge, Canet, Hafizh Syahrin, Joe Roberts, Baldassarri e Marco Ramírez tinham passe garantido ao Q2.

Mas nos últimos dois minutos, Bastianini tratou de bater o adversário ao virar 1min36s933. Lowes estava apenas 0s059 atrás do líder. Com 20 giros completados, Fernández, Marini e Ramírez eram os pilotos com mais voltas feitas.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube