Binder desconversa sobre briga pelo título e fala em “início de temporada caótico”

O sul-africano disse encarar uma corrida de cada vez e que a imprevisibilidade das primeiras corridas tem tornado o campeonato bastante interessante

Brad Binder está animado em como a temporada 2020 da MotoGP tem se desenrolado. Vencedor do GP da Tchéquia, o sul-africano falou do caos das primeiras etapas e evitou se colocar como um dos postulantes ao título do campeonato.

Nas primeiras cinco corridas do calendário, quatro pilotos diferentes venceram – Fabio Quartararo, o competidor da KTM, Andrea Dovizioso e Miguel Oliveira. Desses, o francês, o sul-africano e o português triunfaram pela primeira vez na classe rainha.

Ainda, nove diferentes nomes subiram ao pódio neste ano, com apenas ‘El Diablo’, Dovi e Maverick Viñales terminando mais de uma vez no top-3. Portanto, o primeiro e o décimo colocados da classificação estão separados por apenas 35 pontos.

Mas estar no quarto posto da tabela com apenas 21 tentos de atraso para o líder Fabio não tem tirado o principal foco de Binder.  “De maneira nenhuma [me vejo na briga pelo título]. Para mim, é apenas encarar uma corrida de cada vez, tenho que levar as coisas na medida em que acontecem”, pontuou.

Brad Binder, MotoGP 2020, GP da Estíria, Treino
Brad Binder encara uma corrida de cada vez (Foto: Red Bull Content Pool)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“É apenas insano. Se olhar agora, o pódio é diferente a cada semana, há pilotos em alta, outros em baixa, problemas para alguns, boas corridas para outros”, continuou o sul-africano.

“Então tem sido o caos. Tem sido um início de temporada um pouco caótico, mas manter as coisas interessantes e estou animado para o restante do ano. Espero que siga dessa maneira porque com certeza vai deixar tudo mais interessante”, emendou o piloto de 25 anos.

“Estou levando um dia de cada vez e aproveitando a vida na MotoGP. Mas uma coisa que realmente preciso manter em mente, toda vez que vou para uma nova pista os primeiros dias são difíceis para a adaptação e se acostumar com a moto”, continuou.

“Como a sexta-feira no GP da Estíria, por exemplo, que foi muito mais fácil do que no GP da Áustria, pois já tinha entendimento do que deveria fazer e como pilotar na pista com essa moto. No geral, é ótimo estar na quarta posição da classificação. Com certeza isso é fantástico, mas teria sido bom ter terminado as corridas em Jerez, eu estraguei tudo, mas não dá para mudar o passado”, encerrou.

O Mundial de Motovelocidade desembarca em Misano para disputar o GP de San Marino e Riviera de Rimini neste fim de semana. Essa é a primeira prova da rodada dupla no circuito.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube