Chefe da MotoGP descarta criar campeonato exclusivo para mulheres e justifica: “Isso seria um insulto”

Diretor-executivo da Dorna, promotora do Mundial de Motovelocidade, Carmelo Ezpeleta defendeu que as mulheres podem competir contra homens em condições de igualdade e avaliou que a criação de um campeonato feminino seria “um insulto”

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Diretor-executivo da Dorna, Carmelo Ezpeleta acredita que as mulheres podem competir contra homens em condições de igualdade. Na visão do promotor da MotoGP, seria “um insulto” criar um campeonato feminino.
 
Em entrevista ao jornal espanhol ‘AS’, Ezpeleta foi taxativo ao ser questionado sobre a possibilidade de criar um campeonato só para mulheres: “Não”.
Carmelo Ezpeleta descartou banir as grid girls da MotoGP (Foto: FBO)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

“Isso seria ir conta o que elas querem”, considerou. “Aqui nós tivemos duas meninas que correram contra meninos e que se saíram bem. María Herrera é tão forte quanto [Dani] Pedrosa”, comparou.
 
“Seria um insulto fazer um campeonato só para elas”, defendeu.
 
Indagado, então, sobre toda a polêmica envolvendo o fim das grid girls na F1, Ezpeleta voltou a descartar seguir o modelo da categoria dos carros e afirmou que só impedirá modelos de trabalharem no certame se a lei assim o determinar.
 
“Que façam uma lei. Não serei eu a dizer a uma mulher que ela não pode trabalhar no grid, e não ligo para o que a F1 faz”, falou. “Não sou eu que coloco as mulheres lá. São os patrocinadores ou as equipes. [Marc] Márquez, por exemplo, quase sempre prefere que seja um de seus mecânicos que segure o guarda-chuva no grid. Eu não posso proibir que sejam as mulheres a exibirem placas com os números das filas do grid, porque não existe uma lei que determine isso”, continuou.
 
“Na Dorna, nós temos nove diretoras das 16 possíveis. Isso que estão fazendo é algo artificial para armar confusão. Eu sigo a lei. Faz pouco tempo, me escreveu uma [mulher] formada em economia que queria fazer mestrado em Harvard e me perguntou por que não podia ganhar a vida como modelo. A cada dia têm mais coisas proibidas e isso não é possível. Estamos criando problemas em coisas onde não há”, encerrou.
ENQUANTO A MERCEDES RESPIRA CALMARIA

CONCORRÊNCIA MOSTRA ARES DE PREOCUPAÇÃO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube