Ducati lança moto 2021 de Miller e Bagnaia carregada no vermelho e novo patrocinador

Com uma média de idade de 25 anos, a casa de Bolonha vai para 2021 tentando apagar a impressão do ano passado, quando Andrea Dovizioso e Danilo Petrucci passaram longe de aproveitar a ausência de Marc Márquez

A Ducati vai começar uma nova história na temporada 2021 da MotoGP. Nesta terça-feira (9), a marca de Borgo Panigale apresentou a GP21, as máquinas com que Jack Miller e Francesco Bagnaia tentarão apagar a impressão negativa do ano passado, quando mesmo campeã do Mundial de Construtores, a fábrica italiana ficou bem aquém das expectativas.

Em um evento online, Claudio Domenicali, diretor-executivo da marca italiana, foi quem começou a apresentação e mostrou a Desmosedici para o mundo. Com a nova patrocinadora Lenovo, a moto ganhou uma pintura mais vermelha e com a marca em destaque na frente da moto.

“Há momentos na vida em que precisa mudar e acho que é nosso momento agora. Estamos apostando em dois jovens pilotos que têm muita experiência com a Ducati, então, é uma sensação de continuidade e realmente acredito em seus talentos”, afirmou o chefe Gigi Dall’Igna.

“As emoções que sinto vendo minha Desmosedici toda vermelha e vestindo meu novo macacão pela primeira vez foram incríveis. A ficha ainda tem de cair de que faço parte da equipe de fábrica neste ano. Levou tempo para chegar aqui e finalmente estar ‘de vermelho’ me dá uma grande sensação de satisfação, mas também a motivação para continuar o trabalho e me dedicar aos meus objetivos. Estou ansioso por essa nova aventura e tentar conseguir alguns importantes resultados neste ano”, disse Miller.

A Ducati apresenta pintura mais vermelha para a temporada 2021 da MotoGP (Foto: Ducati)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

“Vai ser um ano significativo para mim, pois pela primeira vez estou em uma equipe de fábrica. Estou orgulhoso de atingir o primeiro objetivo e neste ano vou mirar em ainda melhores resultados. Sempre foi um sonho fazer parte da Ducati. Tentarei meu melhor para não decepcionar nenhuma expectativa. Tenho certeza de que tenho todo o necessário para ser competitivo desde o início”, emendou Bagnaia.

Já Paolo Ciabatti, diretor-esportivo da marca, afirmou que “Jack e Pecco já eram pilotos da Pramac e agora estão no time oficial. Acredito que renovar a equipe com dois novos pilotos foi a decisão correta para o futuro”.

Se as motos permanecem basicamente as mesmas ― já que o desenvolvimento foi congelado em função do impacto econômico da pandemia de Covid-19 ―, o mesmo não se pode dizer do perfil do time. Depois de contar com Andrea Dovizioso e Danilo Petrucci nos últimos anos, a casa de Bolonha vai baixar de uma média de idade de 32 anos para 25.

Mais experiente entre os pilotos, Miller levou mais tempo para se adaptar na classe rainha. Promovido direto da Moto3 em 2015, o australiano de Townsville vai para a sétima temporada na MotoGP com uma vitória ― conquistada em 2016, com a Honda ― e nove pódios ― quatro deles no ano passado. Antes, foi vice-campeão da Moto3 em 2014.

Pecco, por sua vez, vai apenas para a terceira temporada na MotoGP. Em dois anos com a Pramac, o campeão de 2018 da Moto2 conquistou um pódio, mas perdeu três corridas no ano passado por conta de uma fratura na perna.

O duo, porém, terá uma missão árdua. O título de Construtores do ano passado não alterou a imagem decepcionante deixada pela Ducati, já que, após três vice-campeonatos, Dovizioso era o favorito claro na ausência de Marc Márquez, mas o italiano passou longe de corresponder. E não só por deficiências próprias.

A Ducati pecou na maneira como conduziu as coisas no ano passado na MotoGP: Petrucci foi dispensado antes mesmo do início do campeonato e Dovizioso mais parece ter sido enrolado.

Com dois jovens e talentosos pilotos, a Ducati tem a chance de voltar ao trilho dos bons resultados, mas também precisa se ajudar e encontrar a paciência que falou nos últimos anos. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar