Quartararo derrete e Miller renasce para vencer GP da Espanha em 1-2 da Ducati

Jack Miller se aproveitou de um misterioso problema com Fabio Quartararo para assumir a liderança e vencer o GP da Espanha, quebrando quase cinco anos de jejum na MotoGP. Francesco Bagnaia e Franco Morbidelli completaram o pódio

Marc Márquez sofreu forte acidente no fim do TL3 (Vídeo: MotoGP)

Em um certo momento, o GP da Espanha parecia certo para Fabio Quartararo e para a Yamaha, que venceria pela quarta vez consecutiva na temporada 2021 da MotoGP. A metade final da prova, porém, mostrou o imprevisível atacando na classe rainha do Mundial e a conquista caiu no colo de Jack Miller, que venceu a primeira pela Ducati e quebrou um jejum de quase cinco anos na categoria.

Depois de ter feito boa largada, assumindo a liderança, Miller foi superado por Quartararo e ficou na segunda posição por um bom tempo. Quando o francês chegou no limite de rendimento, o piloto da Ducati se aproveitou para tomar a ponta e sumir na frente da concorrência.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Jack Miller venceu pela primeira vez como piloto de fábrica da Ducati (Foto: Divulgação/MotoGP)

OPS
⇝ Perrin queima largada e sai da última fila para primeiro na Rookies Cup em Jerez

Quartararo, por outro lado, foi despencando na tabela de tempos e terminou apenas em 13º, perdendo também a liderança do campeonato. Francesco Bagnaia terminou novamente no pódio, dessa vez na segunda posição. Em grande exibição, provando o momento positivo em 2021, Franco Morbidelli terminou na terceira colocação.

Takaaki Nakagami, Joan Mir, Aleix Espargaró, Maverick Viñales, Johann Zarco, Marc Márquez e Pol Espargaró fecharam o top-10 em Jerez.

Com o desfecho inesperado desta quarta etapa da temporada, Bagnaia tomou a liderança do Mundial, com 66 pontos, dois a mais que Quartararo. Viñales é agora o terceiro, à frente de Mir, Zarco e Miller.

A Yamaha segue à frente do Mundial de Construtores, mas com só seis pontos de frente para a Ducati. Suzuki tem a terceira colocação, seguida por Aprilia, Honda e KTM. A casa de Iwata também comanda o Mundial de Equipes, com nove pontos de vantagem para a Ducati.

A MotoGP volta à ação no dia 16 de maio, com o GP da França, quinta etapa do calendário. Acompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

Saiba como foi o GP da Espanha de MotoGP:

O domingo na província de Cádiz, no sudoeste da Espanha, era de sol e tempo frio. Quando chegou a vez de a MotoGP ir para a pista, os termômetros mediam 21°C, com o asfalto chegando a 41°C. A velocidade do vento era de 8 km/h.

Antes de alinhar no grid, Marc Márquez recebeu a visita dos médicos da categoria nos boxes da Honda, que foram dar uma espiada no piloto que sofreu uma queda no warm-up desta manhã na curva 4. Ainda se recuperando de uma fratura no braço direito, o espanhol iniciou a corrida de casa apenas em 14º, o pior resultado desde que chegou à categoria, em 2013.

Para esta quarta etapa da temporada 2021, a Michelin levou a opção de sempre de pneus macios, médios e duros, com o mais resistente dos dianteiros e todos os traseiros construídos em configuração assimétrica, com a borracha mais firme do lado direito do calçado.

Para a dianteira, a maioria optou pela borracha média, mas Maverick Viñales, Enea Bastianini e Joan Mir foram com o macio. Para a traseira, o pelotão todo escolheu a opção intermediária.

Primeiro piloto a largar quatro vezes seguidas na pole-position em Jerez de la Frontera na classe rainha, Quartararo não saiu bem e viu Jack Miller, Franco Morbidelli e Francesco Bagnaia pularem na frente. Aleix Espargaró assumiu o quinto posto.

Ainda no início da corrida, Álex Márquez caiu na curva 8. O espanhol sinalizou um incomodo com o braço direito, escrevendo mais um capítulo de um início de temporada negativo para o piloto da LCR.

A largada do GP da Espanha de MotoGP (Vídeo: MotoGP)

Enquanto isso, Miller abriu 0s334 de frente para Morbidelli, que também tinha Bagnaia por perto, Quartararo, porém, lançou um ataque e assumiu o terceiro posto.

Brad Binder também teve um início de corrida negativo, já que caiu, mas conseguiu voltar para o GP da Espanha.

Quartararo não tardou em tomar o segundo posto de Morbidelli e passou a tentar a aproximação com Miller. Álex Rins, por outro lado, caiu na curva 6 e abandonou a corrida.

Álex Rins caiu no início da corrida e saiu da briga pelo pódio (Vídeo: MotoGP)

Aleix Espargaró também pôde avançar e se instalou em quarto após conseguir passar Pecco. Takaaki Nakagami era o sexto, à frente de Joan Mir, Viñales, Zarco e Pol Espargaró. Marc Márquez aparecia em 12º.

Na quarta volta da corrida, Quartararo aproveitou a velocidade de curva da YZR-M1 para colar em Miller e tomar a ponta na freada da curva 13, a Jorge Lorenzo. Em uma reta de só 607 metros, o francês não teve problemas com o poder da Desmosedici e tratou de abrir vantagem logo de cara.

Uma vez na ponta, Fabio exibiu o ritmo que forte que transpareceu ao longo de todo o fim de semana e abriu mais de 0s6 de margem em um único giro pelo traçado de 4.423 metros.

Fabio Quartararo ultrapassa Jack Miller e assume a liderança em Jerez (Vídeo: MotoGP)

Enquanto Jack se esforçava para acompanhar Quartararo, Morbidelli foi cedendo terreno, se afastando mais de 1s. Aleix, porém, ia escoltando o ítalo-brasileiro, sonhando com o primeiro pódio da Aprilia. Bagnaia, contudo, estava coladinho atrás.

Aleix fez um bom trabalho defendendo a posição, mas, na volta nove, Pecco aproveitou a potência da Desmosedici para engolir o catalão e tomar o quarto lugar. Sexto, Nakagami tinha só 0s2 de atraso para a Aprilia #41.

Ainda com 16 giros em Jerez pela frente, Fabio já sustentava 1s246 de vantagem para Miller. Terceiro, Morbidelli vinha 1s5 atrás do australiano, com o colega de Academia de Pilotos VR46 colando atrás.

Enea Bastianini, por outro lado, caiu na curva 2 ao perder a dianteira da Ducati da Avintia, mas tratou de levantar rápido e voltar para a corrida.

Morbidelli resistiu enquanto pôde à pressão de Bagnaia (Vídeo: MotoGP)

Na briga pelo oitavo lugar, Maverick Viñales passou Johann Zarco e agora teria de remar 0s8 para alcançar Joan Mir, o sétimo.

No duelo dos doloridos, Marc Márquez conseguiu passar Pol Espargaró pela décima colocação. O #44 da Honda também caiu durante o warm-up desta manhã, assim como tinha feito no sábado.

Na metade da corrida, Bastianini recolheu aos boxes, enquanto Binder sofreu a segunda queda da tarde, encerrando de vez a participação no GP da Espanha. Desta vez, o tombo foi na curva 13.

Na abertura da volta 15, Morbidelli sucumbiu a pressão e não conseguiu mais defender o terceiro lugar, já que Bagnaia engoliu a Yamaha na força do motor.

Jack Miller assume a liderança do GP da Espanha (Vídeo: MotoGP)

Na liderança da corrida, Quartararo perdeu muito terreno, vendo a diferença cair rapidamente para 0s205. Jack não fez se rogado, colou na Yamaha e recuperou a liderança na freada da curva 1. Assim que tomou a ponta, o australiano abriu vantagem logo de cara, evidenciando mais ainda que se tratava de um problema com a YZR-M1.

Ao mesmo tempo em que se afastava de Miller, Quartararo ia vendo a aproximação de Bagnaia, que já tinha baixado para menos de 0s8 o atraso. A dificuldade do francês de Nice parecia estar na dianteira da moto.

Com oito voltas para o fim, Bagnaia tomou o segundo posto sem dificuldades, com Morbidelli coladinho para tentar expulsar o ex-companheiro de equipe do pódio andaluz.

Franco não tardou nada em ‘jantar’ Quartararo, que virou alvo de Aleix Espargaró. O piloto da Aprilia, porém, foi superado por Nakagami em uma bela manobra por fora na curva 5, que foi o primeiro a passar o francês enquanto Mir deixou Aleix pelo caminho.

Joan também passou Quartararo, que foi superado pelo mais velho dos Espargaró logo de imediato e caiu para sétimo. Viñales veio na sequência para derrubar ‘El Diablo’ para oitavo.

O pesadelo seguiu com a chegada de Johann Zarco e Marc Márquez. Ele simplesmente não tinha como resistir e se defender. Pol Espargaró foi mais um que não teve problemas para superar o francês.

Miller, por outro lado, ia construindo o caminho para a primeira vitória com o time de fábrica da Ducati, abrindo 1s641 de margem para o companheiro de equipe. Morbidelli vinha 0s6 atrás de Pecco e com mais de 1s5 de frente para Nakagami.

Jack Miller celebrou a vitória com os integrantes da Ducati (Vídeo: MotoGP

Com três voltas para o fim, o pesadelo de Quartararo ficou um pouco maior, já que Miguel Oliveira também chegou e passou sem dificuldades. Pelas imagens da TV, os pneus da M1 pareciam estar bastante destruídos. Completamente indefeso, o Fabio viu Stefan Bradl chegar e passar pouco depois.

Na abertura da última volta, Miller tinha 1s233 de margem para Bagnaia e seguiu tranquilo para vencer. Mesmo em recuperação de uma cirurgia recente no braço.

Após a bandeirada, Jack foi celebrado por uma legião de colegas e, para completar, pulou as barreiras para celebrar nos braços da Ducati.

LEIA MAIS
⇝ Até quando? Haters sobem tom e afastam pilotos da MotoGP das redes sociais
⇝ Rossi fornece máquina de lavar e macula imagem unindo VR46 e Arábia Saudita

1J MILLERDucati 41:05.60225 voltas
2F BAGNAIADucati+1.912 
3F MORBIDELLISRT Yamaha+2.516 
4T NAKAGAMILCR Honda+3.206 
5J MIRSuzuki+4.256 
6A ESPARGARÓAprilia Gresini+5.164 
7M VIÑALESYamaha+5.651 
8J ZARCOPramac Ducati+7.161 
9M MÁRQUEZHonda+10.494 
10P ESPARGARÓHonda+11.776 
11M OLIVEIRAKTM+14.766 
12S BRADLHonda+17.243
13F QUARTARAROYamaha+18.907 
14D PETRUCCITech3 KTM+20.095 
15I LECUONATech3 KTM+20.277 
16L MARINIAvintia VR46 Ducati+20.922 
17V ROSSISRT Yamaha+22.731 
18T RABATPramac Ducati+30.314 
19L SAVADORIAprilia Gresini+37.912 
20A RINSSuzuki+38.234 
21E BASTIANINIAvintia DucatiAbandonou 
22B BINDERKTMAbandonou 
23A MÁRQUEZLCR HondaAbandonou 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube