MotoGP

Granado fecha com Avintia e disputa temporada inaugural da Copa do Mundo de MotoE em 2019

Depois de alguns dias negociando na Espanha, Eric Granado anunciou que vai disputar a temporada inaugural da Copa do Mundo de MotoE em 2019. Campeão Europeu de Moto2 em 2017, o brasileiro vai correr pela Avintia e será companheiro de Xavier Siméon

Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo
LEIA TAMBÉM
 Ana Carrasco: a campeã que mudou as regras de um esporte dominado por homens

Eric Granado conseguiu uma terceira chance no Mundial de Motovelocidade. Depois de ser dispensado pela Forward em meados da temporada, o brasileiro acertou com a Avintia para disputar a temporada inaugural da Copa do Mundo de MotoE. O #51 será companheiro de Xavier Siméon, que fez sua estreia na MotoGP em 2018.
 
Granado estreou no Mundial de Motovelocidade em meados 2012, aos 16 anos, direto correndo na Moto2 com a JiR. Nos dois anos seguintes, o brasileiro esteve na Moto3, mas, depois, deixou o campeonato. Em 2017, Eric conquistou o título do Europeu de Moto2 e garantiu a volta à classe intermediária com a Forward, mas as dificuldades com a Suter do time de Giovani Cuzari acabaram resultando em uma dispensa por parte da equipe.
Eric Granado vai disputar a Copa do Mundo de MotoE (Foto: Forward)
"Antes de mais nada quero agradecer ao Raúl [Romero, chefe do time] e ao [Agustín Escobar] Bocha, e a toda equipe Esponsorama Racing MotoE por me darem esta oportunidade. Estou muito entusiasmado e mal posso esperar para experimentar a moto pela primeira vez, em Jerez”, disse Granado. “A Copa do Mundo de MotoE é algo novo para todos, será um verdadeiro mistério como a moto funcionará e como será a adaptação, mas com o apoio desta excelente equipe darei meu melhor para fazer tudo com garra e determinação”, seguiu. 
 
“A MotoE será um marco na história do motociclismo e eu estou muito feliz por fazer parte dessa nova aventura. Estou pronto para isso e quero aproveitar ao máximo os primeiros testes”, garantiu. “Agradeço minha família e a todos que me apoiaram até aqui. Meus patrocinadores que tornaram esse retorno possível, em especial a Honda, além de todos os meus apoiadores do Brasil. Acelera Brasil!”, completou.
 
Antenadas na evolução tecnológica, Dorna, promotora do Mundial, e FIM (Federação Internacional de Motociclismo), decidiram explorar a tecnologia elétrica e darão o pontapé inicial de um novo certame na próxima temporada. 

Atual titular da Avintia na MotoGP, Siméon sequer conseguiu pontuar ao longo do ano e, assim, acabou abrindo espaço para Karel Abraham.
 
“Sem dúvida, este será um passo importante na minha carreira esportiva”, avaliou o belga. “Eu amo a ideia de fazer parte do primeiro campeonato mundial com uma geração completamente nova de motos de competição. Vai ser completamente diferente, mas, ao mesmo tempo, uma experiência muito empolgante”, considerou.
 
“Tenho pensado nesta mudança há meses, porque estou num estágio da minha carreira esportiva onde é muito importante tomar as decisões certas para o futuro. Tive a experiência de um ano na MotoGP, o que não foi nada fácil, e agora estou muito feliz por fazer parte de uma nova aventura neste campeonato e com o meu time”, comemorou. “Mal posso esperar para testar e ver o que podemos alcançar, porque, embora as motos sejam completamente diferentes, o nível dos pilotos será tão alto quando nas outras categorias. Agora nós ainda temos quatro corridas no atual campeonato. Daqui até Valência, estou determinado em continuar lutando e trabalhando duro para somar alguns pontos na MotoGP”, completou Siméon.
 
A categoria, que terá motos da italiana Energica, será composta por cinco etapas: Jerez de la Frontera, Le Mans, Sachsenring, Red Bull Ring e Misano. As corridas terão de oito a dez voltas de duração, dependendo do tamanho do circuito.
 
Além da Avintia, a Copa do Mundo de MotoE contará com as outras seis equipes satélites da MotoGP ― Tech3, LCR, Marc VDS, Pramac, Ángel Nieto e Gresini ―, além de algumas equipes de Moto2 e Moto3 ― Pons, IntactGP, Ajo e SIC58 Squadra Corse. A VR46 de Valentino Rossi chegou a ser cotada para o campeonato, mas optou por não participar.
 
Até agora, apenas outros três pilotos foram confirmados para a temporada inaugural da MotoE: Jesko Raffin vai correr pela Gresini, Nico Terol pela Ángel Nieto e Matteo Ferrari pela Gresini.
 
O primeiro shakedown com a Ego Corsa acontece entre os dias 23 e 25 em Jerez.