MotoGP
01/06/2018 10:21

Iannone voa no fim, destrona Viñales e encabeça segundo treino marcado por duas bandeiras vermelhas na Itália

Andrea Iannone não se deixou abalar pela dispensa da Suzuki e voltou a dominar a MotoGP em Mugello. O #29 destronou Maverick Viñales na tarde desta sexta-feira (1) para ditar o ritmo em um segundo treino livre marcado por duas bandeiras vermelhas
Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo
 Andrea Iannone (Foto: michelin)



Andrea Iannone não se deixou abalar nem pela dispensa da Suzuki e nem pelo tumultuado segundo treino em Mugello. Depois de ditar o ritmo na primeira sessão desta sexta-feira (1), o #29 voltou a comandar os trabalhos da MotoGP.
 
Ao contrário do que aconteceu de manhã, porém, o complemento das atividades desta sexta-feira foi bastante tumultuado, com duas interrupções em bandeira vermelha. Em meados da sessão, Michele Pirro sofreu uma fortíssima queda na San Donato e apagou por conta do impacto. Apesar do susto, o piloto de testes da Ducati está consciente e foi levado ao hospital para exames mais detalhados.
 
A segunda paralisação veio pouco depois da retomada das atividades, com uma quebra de motor na Desmosedici de Andrea Dovizioso.
Andrea Iannone ditou o ritmo no TL2 (Foto: Michelin)
Sem novos problemas, os minutos finais da sessão foram bastante movimentos, mas foi Iannone quem levou a melhor, sendo, aliás, o único a rodar abaixo de 1min47s. 0s387, Maverick Viñales ficou em segundo.
 
Líder do Mundial, Marc Márquez sofreu uma queda na Materassi, mas ficou com o terceiro tempo, 0s483 atrás do líder. Johann Zarco se recuperou de uma manhã discreta e ficou com o quarto posto.
 
Jack Miller assegurou o quinto registro, seguido por Cal Crutchlow e Valentino Rossi. Franco Morbidelli voltou a repetir a boa atuação desta manhã e foi oitavo, com Danilo Petrucci e Jorge Lorenzo fechando o top-10.
 
Saiba como foi o segundo treino da MotoGP em Mugello:
 
Com o sol reinando ao noroeste de Florença, a MotoGP encontrou ótimas condições para o segundo treino do dia. Na hora em que os pilotos voltaram para a pista, os termômetros marcavam 24°C, com o asfalto chegando a 43°C. A velocidade do vento era de 8 km/h.
 
Quando a pista foi liberada, Lorenzo saiu direto para o topo da tabela, 0s352 à frente de Rossi, o segundo colocado. Rins era o terceiro, à frente de Zarco e Iannone.
 
Líder da primeira atividade do dia, Iannone saltou para a ponta na sequência, 0s144 melhor que Lorenzo, mas logo foi removido por Dovizioso, que virou 0s214 melhor. Rossi, aliás, também foi mais rápido e tomou para si o segundo posto.
 
Ainda nesses primeiros minutos, Dovizioso atingiu 356,4 km/h, a maior velocidade já registrada na MotoGP!
 
Enquanto isso, Iannone chegou a 1min47s435, 0s380 melhor que Lorenzo, o segundo colocado. Miller, Rossi e Dovizioso vinham na sequência.
 
Instantes mais tarde, Iannone escapou da pista na San Donato, mas conseguiu limitar o revés a um passeio na brita, logo retomando a sessão.
 
Com pouco menos de 30 minutos para o fim, a sessão foi interrompida em bandeira vermelha por conta de uma queda de Pirro na San Donato, a primeira curva de Mugello. É uma das freadas mais fortes do calendário do Mundial.
 
Depois de alguns instantes de muita preocupação, Pirro foi levado para a ambulância e o Mundial confirmou que o italiano estava consciente. Na sequência, a sessão foi retomada para os pouco mais de 27 minutos restantes.
 
As imagens do acidente, aliás, também foram exibidas e mostraram a brutalidade com que o piloto de testes da Ducati bateu contra o asfalto após ser ejetado da Desmosedici.
 
Logo depois, porém, os comissários voltaram a trabalhar, desta vez por causa de Márquez, que caiu na Materassi. O espanhol, no entanto, escapou ileso.
 
Na tabela, Iannone seguia no comando, seguido por Lorenzo, Miller, Crutchlow, Rossi, Dovizioso, Márquez, Nakagami, Zarco e Rins.
 
Com pouco mais de 22 minutos de treino pela frente, uma nova bandeira vermelha, agora por conta de uma quebra de Dovizioso, que viu o motor da Ducati abrir o bico. As chamas logo começaram na moto, mas Andrea levou a moto para a área de escape e os fiscais conseguiram debelar o fogo.
 
Depois de mais uma interrupção, a sessão foi retomada para os pouco mais de 20 minutos finais. Iannone, Lorenzo e Miller seguiam no top-3.
 
No reinicio da sessão, Lüthi sofreu a segunda queda do dia, mas não se feriu com gravidade.
 
Já que a segunda sessão acontece no mesmo horário da corrida, os pilotos aproveitaram esse TL2 para avaliarem os pneus dianteiros duros, que se mesclaram com os médios na dianteira das motos nesta tarde.
 
Com 1min47s218, Márquez saltou para a ponta, superando Iannone por 0s056. Andando no vácuo do #93, Morbidelli avançou para terceiro, 0s279 mais lento. O titular da Honda tinha um pneu médio na frente e um macio atrás, enquanto o rival da Marc VDS vinha com um par de médios.
 
Quem também conseguiu melhorar foi Viñales. O #25 chegou a 1min47s738 e saltou para a quarta colocação, 0s520 atrás de Márquez.
 
Faltando pouco menos de três minutos para o fim, Viñales anotou 1min47s122 e assumiu a ponta, 0s096 melhor que Márquez.
 
Pouco antes, Aleix Espargaró sofreu uma queda na San Donato, mas escapou sem maiores lesões.
 
Mais atrás, Miller se instalou em quarto, com Zarco pegando o sexto posto. Na sequência, Rossi avançou para a quinta colocação, 0s323 atrás do companheiro de Yamaha.
 
Com só alguns segundos ainda no cronômetro, Iannone passou em 1min46s735 e tirou a liderança de Viñales por uma margem de 0s387. Márquez era terceiro, à frente de Zarco e Miller.
 


MotoGP, GP da Itália, Mugello, treino livre 2:

1 29 ANDREA IANNONE ITA SUZUKI 1:46.735  
2 25 MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA 1:47.122 +0.387
3 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:47.218 +0.483
4 5 JOHANN ZARCO FRA TECH3 YAMAHA 1:47.365 +0.630
5 43 JACK MILLER AUS PRAMAC DUCATI 1:47.403 +0.668
6 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA 1:47.433 +0.698
7 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 1:47.445 +0.710
8 21 FRANCO MORBIDELLI ITA MARC VDS HONDA 1:47.497 +0.762
9 9 DANILO PETRUCCI ITA PRAMAC DUCATI 1:47.569 +0.834
10 99 JORGE LORENZO ESP  DUCATI 1:47.691 +0.956
11 30 TAKAAKI NAKAGAMI JAP LCR HONDA 1:47.901 +1.166
12 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA  DUCATI 1:47.902 +1.167
13 26 DANI PEDROSA ESP HONDA 1:47.924 +1.189
14 55 HAFIZH SYAHRIN MAL TECH3 YAMAHA 1:47.946 +1.211
15 42 ÁLEX RINS ESP SUZUKI 1:47.996 +1.261
16 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP APRILIA GRESINI 1:48.113 +1.378
17 53 TITO RABAT ESP AVINTIA DUCATI 1:48.221 +1.486
18 44 POL ESPARGARÓ ESP KTM 1:48.269 +1.534
19 45 SCOTT REDDIING ING APRILIA GRESINI 1:48.458 +1.723
20 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP ÁNGEL NIETO DUCATI 1:48.524 +1.789
21 17 KAREL ABRAHAM RTC ÁNGEL NIETO DUCATI 1:48.926 +2.191
22 38 BRADLEY SMITH ING KTM 1:49.044 +2.309
23 12 THOMAS LÜTHI SUI MARC VDS HONDA 1:49.082 +2.347
24 51 MICHELE PIRRO ITA  DUCATI 1:49.111 +2.376
25 10 XAVIER SIMÉON BEL AVINTIA DUCATI 1:49.757 +3.022
             
RECORDE MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:47.639 176.0 km/h
MELHOR VOLTA ANDREA IANNONE ITA SUZUKI 1:46.735 176.9 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA SECA   ar: 25°C | pista: 43ºC


PADDOCK GP ESPECIAL BAR DO ZÉ #1

AFINAL DE CONTAS, MÔNACO MERECE OU NÃO CONTINUAR NA F1?