Miller aponta agressividade “desnecessária”. E Quartararo rebate: “Não fiz nada errado”

Australiano afirmou que o titular da Yamaha procurou o contato após ser ultrapassado no GP da Indonésia de MotoGP. O campeão vigente, porém, sugeriu que o rival assista ao replay do lance pela TV

Marc Márquez foi arremessado da Honda em uma queda no warm-up (Vídeo: Reprodução/MotoGP)

Jack Miller terminou o GP da Indonésia irritado com Fabio Quartararo. Na visão do australiano, o titular da Yamaha foi desnecessariamente agressivo não só com ele, mas também com Johann Zarco durante a corrida de domingo (20) em Mandalika.

O atrito começou ainda na segunda volta da corrida em Lombok. Dono da pole, Quartararo tinha sido superado por Miguel Oliveira e foi ultrapassado por Miller pouco depois, por dentro, na curva 1. Fabio, contudo, tentou devolver por dentro já na saída da curva, o que resultou em um pequeno contato.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Jack Miller se irritou com a disputa com Quartararo em Mandalika (Foto: Ducati)

CLASSIFICAÇÃO DA MOTOGP
Bastianini vai mal na Indonésia, mas segue líder na MotoGP

Na visão de Jack, a ação de ‘El Diablo’ foi “desnecessária”. Para validar o argumento, o piloto da Ducati usou como exemplo uma disputa entre Quartararo e Johann Zarco, quando o campeão vigente também tomou a linha de corrida para devolver uma ultrapassagem.

“Eu só passei por ele e ele continuou pilotando a moto na direção da minha perna, claramente, como ele fez com Johann”, acusou Miller. “Não acho que seja necessário, uma vez que alguém te passa, você acelerar imediatamente na direção do pneu dianteiro dele”, ponderou.

“Vou, com todo prazer, conversar com ele sobre isso, pois não é a primeira vez. Como vimos com Johann também”, frisou. “Ok, a Yamaha vira bem, mas isso não significa que você abre o acelerador e mira o meu pneu dianteiro, eu vou cair. E não acho isso justo”, ponderou.

“Ele atingiu a lateral do meu macacão. Eu, claramente, tinha ritmo melhor naquele momento. Tinha saído de nono no grid e ele da pole, e eu estava ultrapassando”, recordou. “Acho que foi só um risco desnecessário, tão cedo na corrida, ir para cima da minha perna. Só isso”, completou.

Questionado sobre as declarações de Miller, Quartararo revelou que o australiano reclamou com ele ainda na pista, mas afirmou que não vê razões para reclamações e sugeriu que o adversário da Ducati reveja o lance pela televisão antes de formular uma opinião.

“Não ligo. Não ligo, pois ele no passado também fez ultrapassagens agressivas, e não acho que minha ação tenha sido agressiva. Só não esperava tocar [a moto dele]. E o toque não foi grande, foi um toque realmente pequeno. Não sei se ele assistiu pela TV, mas antes de falar, acho que deveria, pois eu não fiz nada errado”, garantiu. “Vi que ele não ficou feliz, mas, digamos, não fiz nenhuma manobra estranha. Ele me ultrapassou na curva 1, eu vi que ele estava abrindo a trajetória e eu só cruzei a linha”, explicou.

O francês se mostrou aberto a ouvir “comentários dos outros pilotos”, mas insistiu que não viu nada de errado na ação que executou com Miller.

“Do meu ponto de vista, se faço uma manobra ruim, peço desculpas, mas aquela, ah… Não tenho nada a dizer”, completou.

MotoGP volta a acelerar no dia 3 de abril, para o GP da Argentina, no circuito de Termas de Río Hondo. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades da terceira etapa do Mundial de Motovelocidade 2022.

ASSISTA
Indonésia apela até para xamã para realizar GP em meio a temporal

MOTOGP DÁ BOLA FORA COM DOCUMENTÁRIO FANTASMA
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar