Martín promete arriscar com pressão de pneus no fim de 2023: “Prefiro brigar pela vitória”

Mesmo sujeito a punições por infringir a regra de pressão de pneus, Jorge Martín prometeu arriscar, já que entende que a punição não é assim tão grande. Segundo na classificação, o espanhol avaliou que não faz diferença ser derrotado por 8 ou 80 pontos

Jorge Martín prometeu arriscar com a regra de pressão de pneus nas últimas duas corridas de 2023, mesmo correndo o risco de uma punição. Quarto colocado no GP da Malásia de domingo (12), o espanhol avaliou que a punição não é assim tão grande e deixou claro que prefere brigar pela vitória.

No GP da Índia, Martín recebeu o primeiro alerta por pressão baixa nos pneus e, assim, pode receber uma sanção de 3s em caso de uma nova infração. Como a calibragem dos pneus varia ao longo da corrida, a regra prevê que os pilotos devem ficar acima da pressão mínima pré-determinada pela Michelin em 30% das voltas da corrida sprint e 50% no GP.

Em Sepang, porém, Francesco Bagnaia recebeu a primeira advertência e, assim, fica em pé de igualdade com Jorge, sujeito a uma sanção de 3s.

Brigando pelo feito inédito de faturar o título representando uma equipe satélite, Martín acredita que pode arriscar, já que não vê muito valor em terminar em quatro preservando a pressão dos calçados.

Jorge Martín ficou fora do pódio na Malásia (Foto: Gold & Goose/ Red Bull Content Pool)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

“Do meu lado, posso arriscar, pois não ligo de terminar em quarto com uma boa pressão. Prefiro batalhar pela vitória com a pressão baixa e aí… bom, 3s não é tanto”, disse Martín. “Hoje dava para terminar no pódio [se vencesse] mesmo com a punição”, seguiu.

“Não ligo se terminar em segundo [no campeonato] atrás de Pecco por um ponto ou 80. Então vou arriscar nas próximas corridas e pressionar”, avisou.

Apesar da despreocupação, o cenário não é dos mais fáceis para Martín, que venceu sempre com margens menores de 3s em 2023. Além disso, uma terceira infração levaria a punição para 6s, enquanto a quarta violação acresce 12s ao tempo de prova.

E não é só isso. Outros pilotos também já receberam uma advertência, como Enea Bastianini, Marco Bezzecchi, Aleix Espargaró, Marc Márquez, Maverick Viñales e Luca Marini. Ou seja, uma nova infração de algum desses nomes pode também alterar o resultado da corrida e, assim, interferir na disputa pelo título.

Agora com 14 pontos de atraso para Pecco, Martín vê Catar e Valência como boas oportunidades para colocar mais gente entre os dois nas corridas.

“Se tem dois lugares em que dá para recuperar [pontos], esses locais são Catar e Valência, pois ficamos todos muito próximos e podemos colocar alguns pilotos entre Pecco e eu”, analisou. “Então dá para perder ou ganhar muitos pontos”, apontou.

MotoGP volta a acelerar no final de semana de 19 de novembro, com o GP do Catar, no circuito de Lusail, para a penúltima etapa do calendário. O GRANDE PRÊMIO faz a cobertura completa do evento, assim como das outras classes do Mundial de Motovelocidade.

🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da MotoGP direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra, Escanteio SP e Teleguiado.