Lorenzo fica com melhor tempo no primeiro dia de testes de pneus da MotoGP em Phillip Island

Jorge Lorenzo conseguiu o melhor tempo nos treinos coletivos desta segunda-feira (3) em Phillip Island, onde a Bridgestone testa novos pneus depois dos problemas enfrentados no GP da Austrália do ano passado

Jorge Lorenzo foi o piloto mais rápido desta segunda-feira (3) em Phillip Island, onde as equipes de fábrica da MotoGP realizam três dias de testes de pneus, depois dos problemas enfrentados o GP da Austrália da temporada passada.

O bicampeão da Yamaha, que sofreu com a pouca performance dos novos pneus da Bridgestone nos treinos coletivos da última semana na Malásia, fechou a sessão com 68 voltas e cravou na melhor delas em 1min29s213, marca que o fixou no topo no fim do dia.

Jorge Lorenzo ficou com o melhor tempo dos testes de pneus da MotoGP (Foto: Getty Images)

Sem tempo para o desenvolvimento da moto, o treino teve como foco apenas o trabalho na durabilidade dos produtos japoneses no asfalto australiano.

O trabalho desta segunda ainda incluiu o acerto dos pneus e sequências curtas de voltas em uma seleção de seis novos compostos, alguns com uma construção diferente, inclusive. A Bridgestone, a fornecedora única da MotoGP, tem como objetivo também colocar na pista nesta terça e quarta pneus para simulação de corrida.

A segunda colocação da tabela ficou com Cal Crutchlow e a Ducati. O inglês completou 67 voltas e ficou a 0s363 da marca alcançada por Lorenzo. Valentino Rossi, com a outra Yamaha, terminou a sessão em terceiro. Com 88 giros, Dani Pedrosa, na Honda de fábrica, foi o quatro colocado, a 0s7 do líder. Andrea Dovizioso foi o quinto.

Moto2

Além dos representantes da classe rainha do Mundial, o treino na pista australiana viu ainda os pilotos da Moto2, também com o objetivo de melhorar o desempenho dos pneus da Dunlop, no caso.

A fabricante levou para Phillip Island nove opções de compostos, mas, por ora, apenas para sequências de dez voltas. Na quarta, os competidores devem realizar uma simulação de corridas. A Moto2 também enfrentou problemas com os pneus na prova de 2013.

O mais rápido entre os pilotos da categoria intermediária foi Tito Rabat, com a Kalex. O espanhol também foi o homem que mais andou no traçado australiano, com 100 voltas. A mais veloz delas foi em 1min32s316.

Nico Terol foi o segundo, com a Suter da Aspar, mas quase um segundo atrás do compatriota. Mika Kallio terminou o dia em terceiro, mas acabou sofrendo uma queda forte durante a sessão. Embora tenha machucado o pulso, vai continuar nos testes amanhã. Jordi Torres fechou a lista.

MotoGP, Treinos coletivos, Phillip Island, dia 1:

1 Jorge LORENZO ESP Yamaha   1:29.213   68
2 Cal CRUTCHLOW ING Ducati   1:29.576 +0.363 68
3 Valentino ROSSI ITA Yamaha   1:29.730 +0.517 85
4 Dani PEDROSA ESP Honda   1:29.961 +0.748 88
5 Andrea DOVIZIOSO ITA Ducati   1:29.965 +0.752 60
6 Tito RABAT ESP Kalex Moto2   1:32.316 +3.103 100
7 Nico TEROL ESP Suter Moto2   1:33.290 +4.077 82
8 Mika KALLIO FIN Kalex Moto2   1:33.440 +4.227 62
9 Jordi TORRES ESP Suter Moto2   1:34.000 +4.787 56

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube