Novo x velho Márquez: no 1º duelo, experiência leva vantagem e parte corações

Fabio Quartararo fez o que pôde ante o experiente Marc Márquez, mas um erro nos metros finais o impediu de levar a briga pela vitória às últimas consequências. No fim, o #93 chegou ao sétimo triunfo de 2019 e deixou um monte de gente entristecida

Quem não gosta de um bom Davi x Golias esportivo? Na MotoGP atual, Marc Márquez personifica o guerreiro bíblico, já que, apesar das derrotas seguidas de Áustria e Grã-Bretanha, segue sendo o mais forte do pelotão. O cara a ser batido.
 
Neste domingo (15), quem tentou a façanha de vencer o gigante foi justamente Fabio Quartararo, o francês que desembarcou no Mundial de Motovelocidade em 2015 carregando o rótulo de ‘novo Márquez’.
 
É bem verdade que, até o início deste ano, o piloto de Nice não tinha correspondido à expectativa. Nos 31 GPs que disputou na Moto3, o #20 conseguiu apenas dois pódios, sempre em segundo lugar. Na Moto2, foram 36 GPs, com uma vitória e mais um pódio ― um segundo lugar.
 
Na classe rainha, porém, tudo mudou. Se a contratação pela SIC foi vista com certas ressalvas, Fabio logo mostrou que era o cara certo para a vaga. Inicialmente, Quartararo contaria com uma moto defasada, mas a Yamaha logo percebeu que o francês valia uma YZR-M1 do ano. Ainda assim, o novato não comanda uma arma no mesmo nível de seus companheiros de Iwata ― é Franco Morbidelli que tem a moto mais parecida com as oficiais de Valentino Rossi e Maverick Viñales.
A briga entre Quartararo e Márquez (Foto: SIC)
Paddockast #33
10 ANOS DE SECA BRASILEIRA NA F1

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Ainda assim, e embora o placar não reflita isso, Quartararo é que tem sido o protagonista da marca dos três diapasões. Foi assim ao longo de todo o fim de semana em Misano.
 
Depois de uma escolha errada de pneus na classificação, o titular da SIC começou a corrida em terceiro, mas não tardou a tomar a ponta das mãos de Viñales. A partir da terceira volta, Fabio esteve irrepreensivelmente na ponta, ainda que com Márquez fungando no cangote.
 
Vindo de duas derrotas na última curva, Márquez foi valente o bastante para guardar o ataque para o final. O espanhol tomou a ponta na primeira curva da última volta, mas Quartararo se manteve por perto para recuperar o comando três curvas mais tarde. O piloto da Honda recuperou pouco depois e aí um erro do francês nos metros finais acabou dando tranquilidade para a sétima vitória de Marc no ano.
 
Apesar da derrota, Quartararo não escondeu a alegria com o que definiu como “melhor momento da minha vida”.
 
“É o melhor momento não só de minha carreira, mas também de minha vida”, declarou Fabio. “Quando você tem um heptacampeão atrás de você por 20 voltas e ele te ultrapassa em uma curva e você o ultrapassa de volta na curva 4…”, recordou.
 
“Acredito que levei os pneus de uma maneira muito boa, o lado esquerdo do pneu esteve muito mais crítico do que o dele, mas do lado direito lidei muito bem”, comentou. “Então, passo a passo, estamos aprendendo e isso é muito bom para nós”, frisou.
 
Quartararo contou que passou muitas voltas acompanhando a diferença em relação a Márquez, mas acha que o próprio mecânico desistiu de apontar quem era o rival.
 
“Um dos meus mecânicos sempre me colocou 0s2 Márquez, 0s2 Márquez, mas acho que meu time disse ‘pare de colocar Márquez, ele sabe que está atrás’. Ele parou e então estava olhando sempre o meu pit-board 0s2 e então eu parei de olhar”, contou. 
Quartararo e Márquez após o GP de San Marino (Foto: SIC)
Rodando na frente o tempo todo, Quartararo tinha certeza de que Márquez tentaria passar, mas não sabia quais eram os pontos fortes do rival da Honda.
 
“Sabíamos que ele ia tentar alguma coisa, mas não sabíamos se Márquez conseguiria ultrapassar e se afastar, porque realmente não sabia se tinha poupado bem os pneus”, afirmou. “O negócio legal é que eu consegui ultrapassar de volta e isso me deu confiança de pensar que ele é sete vezes campeão mundial, mas eu consegui ultrapassá-lo, ele é um humano como nós”, garantiu. 
 
“E então passei na zebra. Durante todo o final de semana não passei naquela zebra, mas naquele momento passei, pois sabia que se não passasse ali, seria impossível ultrapassá-lo. Então estou feliz com o que fizemos hoje”, comentou. “Eu o persegui bastante, mas tentei meu máximo na curva 14, achei que ele iria abrir demais e tentei ir por dentro, mas perdi um pouco a dianteira, meu pé escapou um pouco. Mas terminamos em segundo e estou feliz porque briguei com um piloto que tem sete títulos”, frisou. 
 
Estreante na MotoGP, Quartararo sublinhou a alegria de poder brigar com alguém com o currículo de Márquez.
 
“É um sonho que se tornou realidade. Quando você vê que Márquez tem sete títulos e você tem uma briga com ele em seu ano de estreia, ele que tem mais experiência, ainda conseguimos ultrapassá-lo e brigar com ele durante toda a corrida”, recordou. “Hoje é o dia mais feliz da minha vida. Só posso ficar feliz, vou para casa com muita confiança e pronto para brigar em Aragão”, completou.
 
Vitorioso e ainda mais líder da MotoGP, Márquez afirmou que o desentendimento com Valentino Rossi no sábado o deu motivação extra, mas reconheceu que Quartararo foi quem fez a melhor corrida.
 
“É, com certeza foi uma corrida incrível”, reconheceu Marc. “Hoje, o verdadeiro vencedor, quem fez a melhor corrida foi Fabio, mas consegui ultrapassá-lo na última volta e superei ele”, seguiu. 
 
“Mas a comemoração foi boa porque nas últimas corridas eu perdi nas últimas curvas e isso não é a melhor maneira”, comentou. “Mas fiquei feliz porque tentei e por causa do resultado final. Hoje conseguimos, fizemos de uma boa maneira”, avaliou. 
 
 
“O que aconteceu ontem me acordou, não estava pensando no campeonato, e então concluí que era hora de falar na pista”, contou. “Sempre tenho total motivação, mas é claro que quando brincam com você, você tem uma motivação extra”, destacou. 
 
Com tempo o suficiente para estudar as forças e fraquezas do francês, Márquez contou que decidiu passar no fim por conta da força de Quartararo.
 
“Nas primeiras curvas, Fabio era incrivelmente forte, especialmente na primeira. Não sei se é seu estilo de pilotagem ou a moto. Mas, de qualquer forma, estava pilotando de ótima maneira no setor 3. Por esse motivo esperei para atacar, pois se tivesse atacado antes não teria sido possível. Fui bastante cuidadoso dentro da pista depois do que aconteceu na Moto2, tentei ficar dentro da pista para não ser penalizado”, relatou. 
 
Por fim, Márquez avaliou que Quartararo deu outra grande mostra de seu talento  e considerou que o francês será um adversário pelo título no ano que vem. 
 
“Fabio mostrou a todos nós, eu já sabia, já sabia, mas mostrou que tem potencial, o talento, a moto, a equipe, para brigar pelo campeonato no próximo ano”, opinou. “Vou tentar evitar, mas acredito que vamos ser adversários, ele vai tentar vencer algumas corridas ― vou tentar evitar ―, mas acredito que vai ser um duro competidor pelo campeonato”, continuou. 
 
“Tenho agora uma vantagem de 93 pontos, e acredito que o único que pode perder o campeonato sou eu. Agora tenho que tentar conseguir pontos em cada corrida”, encerrou.
 
A vitória coloca Márquez ainda mais próximo do hexacampeonato. E, apesar dos muitos corações partidos neste domingo, deixa claro que Quartararo veio para ficar.
 

 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar