Oliveira bate Morbidelli e crava em casa 1ª pole na MotoGP. Mir é 20º em Portimão

Com o tempo de 1min38s892, o piloto da casa alcançou sua primeira pole-position na MotoGP. Franco Morbidelli e Jack Miller completam a primeira fila de saída em Portimão

Miguel Oliveira garantiu a última pole-position da temporada 2020 da MotoGP. Na classificação do GP de Portugal deste sábado (21), piloto da casa anotou 1min38s892 para ficar com a posição de honra do grid.

O competidor da Tech3 anotou o melhor tempo na última volta lançada. Com a posição de honra conquistada, larga não apenas pela primeira vez no posto inicial da grelha, mas estreia também na primeira fila de saída. O piloto de Hervé Poncharal é o primeiro nativo de Portugal a puxar o pelotão na largada da classe rainha do Mundial.

Miguel Oliveira consegue a primeira pole na MotoGP (Foto: Red Bull Content Pool)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Quem larga da segunda posição em Portimão é Franco Morbidelli, que alcança a sexta primeira fila do campeonato. Completando o top-3 vem Jack Miller com 1min39s038, apenas 0s146 mais lento que o ponteiro.

O campeão da temporada 2020 teve classificação para esquecer no Algarve. Joan Mir, precisando passar pelo Q1, teve seu tempo deletado e alinha apenas na 20ª colocação, a pior posição de saída do ano e a segunda vez que não passa para a fase final.

GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP de Portugal, última etapa do Mundial de Motovelocidade 2020.

Pol Espargaró supera Oliveira e lidera 4º treino

Em um sábado de sol e céu claro, a MotoGP entrou na pista para o TL4 com a temperatura na casa dos 22°C e o asfalto chegando a 28°C. A velocidade do vento tinha subido para 10 km/h.

Takaaki Nakagami abriu o treino na ponta, 0s057 melhor que Joan Mir. Na volta seguinte, o piloto da LCR foi a 1min40s464 e manteve a ponta, abrindo 0s324 de margem para Miguel Oliveira, o novo segundo colocado.

Usando um pneu médio na frente e um duro atrás, Nakagami melhorou ainda mais, chegando a 1min40s190, só 0s034 melhor que Oliveira. Pol Espargaró subiu para a terceira colocação, seguido por Álex Márquez, Maverick Viñales, Stefan Bradl e Franco Morbidelli.

Ainda no início da sessão, Pol Espargaró caiu na curva 5, mas logo se levantou ― bem irritado, aliás ―, ergueu a RC16 com ajuda dos fiscais e voltou para a pista.

Em meados da sessão, Oliveira foi a 1min40s184 e se colocou na liderança, passando Nakagami por só 0s006. O português da Tech3 estava calçando um par de pneus duros.

Álex Márquez avançou para a quarta colocação, 0s288 mais lento que o líder. Pouco depois, Brad Binder, que primeiro tinha avançado para sétimo, se instalou em sexto, 0s023 mais lento que Morbidelli, o quinto.

Faltando sete minutos para o fim, Nakagami caiu na curva 4, a mesma em que tinha caído ontem. A RC213V acabou ‘pelada’, com o japonês percorrendo a brita para recolher pedaços de carenagem.

Enquanto isso, Pol Espargaró voltou à pista, mas ainda sem conseguir melhorar. Viñales, por outro lado, tinha subido para a quarta colocação, 0s286 atrás de Oliveira.

Maverick insistiu e subiu para terceiro, melhorando mais uma vez na volta seguinte para reduzir o atraso em relação ao ponteiro para só 0s025. Pol Espargaró seguiu a mesma linha e foi mais veloz, mas não o bastante ata sair da quarta colocação.

Já nos instantes finais da sessão, Johann Zarco apareceu com a moto soltando fumaça pela pista. O francês tinha o 13º tempo na sessão.

Antes, as imagens da TV mostravam Nakagami com dores na mão após a queda.

Aleix Espargaró, então, foi a 1min40s221 e assumiu a quarta colocação, mas caiu para quinto imediatamente, já que o irmão Pol foi 0s034 mais rápido que Oliveira para assumir a liderança.

Assim, Pol foi o melhor do TL4, com Oliveira, Nakagami, Viñales, Aleix, Márquez, Quartararo, Morbidelli, Binder e Bradl formando o top-10.

Crutchlow e Morbidelli passam para o Q2

O início da primeira fase da classificação precisou ser adiada, já que, no momento em que viu a quebra de motor, Zarco decidiu cruzar a pista perto da curva final, o trecho mais rápido do circuito. Assim a direção de prova optou por verificar as condições antes de liberar os pilotos.

Superada a vistoria na pista, Joan Mir iniciou o Q1 no topo da tabela, só 0s002 melhor que Franco Morbidelli. 0s153 atrás do ítalo-brasileiro, Lorenzo Savadori era o primeiro na zona de corte.

Morbidelli, então, tomou a ponta com 1min39s603, com Aleix Espargaró ocupando o segundo posto, 0s159 atrás. Brad Binder agora era o terceiro, 0s038 atrás o catalão da Aprilia.

A volta de Franco, porém, acabou cancelada por extrapolar os limites da pista, o que promoveu Aleix à liderança. Binder era o segundo, com Cal Crutchlow aparecendo em terceiro.

Depois de uma rodada de pit-stops, Crutchlow saltou para o comando com 1min39s250, 0s026 melhor que Morbidelli, que agora ocupava o segundo posto. Aleix caiu para terceiro, 0s486 atrás da linha de corte.

A volta seguinte não trouxe muito sucesso para ninguém, exceto por Brad Binder, que saltou para a terceira colocação, ainda 0s212 mais lento que Morbidelli. Mais atrás, Bagnaia subiu para a quinta colocação.

Já com a bandeira quadriculada tremulando, Binder melhorou para 1min39s390, mas não conseguiu destronar Morbidelli, que já estava parado nos boxes. 0s114 mais rápido que o piloto da KTM, o ítalo-brasileiro vai acompanhar Crutchlow para a fase seguinte.

Binder, então, larga em 13º, à frente de Aleix Espargaró, Francesco Bagnaia, Álex Márquez, Valentino Rossi, Danilo Petrucci e Lorenzo Savadori. Campeão antecipado, Joan Mir foi mais de 1s mais lento que Cal e vai largar só em 20º, na frente apenas de Tito Rabat e Mika Kallio.

Oliveira dá à Portugal primeira pole na classe rainha

Maverick Viñales abriu a fase final da classificação na pole provisória, 0s188 melhor que Quartararo. Os dois, aliás, estão disputando um carro da BMW, prêmio pela melhor performance em classificação no ano.

Pouco depois, Morbidelli tomou a liderança com 1min39s245, com Jack Miller passando Johann Zarco para se instalar em segundo. Oliveira era o quarto, seguido por Viñales.

Na hora dos pit-stops, Nakagami e Crutchlow eram os únicos ainda sem tempo. Morbidelli, com par de médios, tinha a pole provisória, seguido por Miller, Zarco, Viñales, Pol Espargaró, Oliveira, Dovizioso, Stefan Bradl, Quartararo, Rins e Crutchlow.

Com dificuldades físicas por causa das quedas na curva 4, Nakagami fez a primeira volta rápida em 1min44s963, 5s718 mais lento que Morbidelli.

Franco, aliás, melhorou para 1min39s141, mas não ampliou a vantagem na ponta, já que Crutchlow foi só 0s015 mais lento para se instalar em segundo. Bradl também foi melhor e se colocou em terceiro, seguido por Viñales.

Em meados da sessão, Zarco caiu na curva 8, mas escapou de lesões mais sérias.

Quartararo melhorou na sequência, pulando para terceiro, 0s058 mais lento que o companheiro de SRT. Morbidelli, porém, melhorou mais uma vez, agora chegando em 1min38s936, 0s220 melhor que Crutchlow, o segundo colocado.

Logo depois, Jack Miller pulou para a segunda colocação, 0s102 mais lento que Morbidelli. Restando pouco mais de 30s no cronômetro, Oliveira foi a 1min38s892 e assumiu a pole provisória, 0s044 melhor que Morbidelli.

A única ameaça a Miguel era Pol Espargaró, que vinha baixando as parciais. O catalão, contudo, perdeu tempo na metade final do traçado e subiu apenas para oitavo, perdendo um lugar na sequência, já que Zarco ficou em sétimo.

Assim, Miguel é pole, seguido por Morbidelli, Miller, Crutchlow, Quartararo, Bradl, Zarco, Viñales, Pol Espargaró, Rins, Nakagami e Dovizioso.

LEIA TAMBÉM:
Rins fica parado no fim do TL3 em Portimão e pede carona para voltar aos boxes
No volante de um Hyundai, Morbidelli estreia no WRC com participação no Rali de Monza

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:
Anchor | Apple | Spotify | Google | Pocket Cast | Radio Public | Breaker

MotoGP 2020, GP de Portugal, Portimão, grid de largada

1M OLIVEIRATech3 KTM1:38.892 
2F MORBIDELLISRT Yamaha1:38.936+0.044
3J MILLERPramac Ducati1:39.038+0.146
4C CRUTCHLOWLCR Honda1:39.156+0.264
5F QUARTARAROSRT Yamaha1:39.199+0.307
6S BRADLHonda1:39.204+0.312
7J ZARCOAvintia Ducati1:39.238+0.346
8M VIÑALESYamaha1:39.260+0.368
9P ESPARGARÓKTM1:39.284+0.392
10A RINSSuzuki1:39.467+0.575
11T NAKAGAMILCR Honda1:39.531+0.639
12A DOVIZIOSODucati1:39.587+0.695
13B BINDERKTM1:39.390+0.498
14A ESPARGARÓAprilia Gresini1:39.762+0.870
15F BAGNAIAPramac Ducati1:40.019+1.127
16A MÁRQUEZHonda1:40.049+1.157
17V ROSSIYamaha1:40.058+1.166
18D PETRUCCIDucati1:40.091+1.238
19L SAVADORIAprilia Gresini1:40.174+1.282
20J MIRSuzuki1:40.290+1.398
21T RABATAvintia Ducati1:40.427+1.535
22M KALLIOTech3 KTM1:41.753+2.861

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube