Perto do divórcio, Dovizioso exalta parceria com Ducati: “Fizemos juntos algo especial”

De saída da Ducati, o italiano de Forli se mostrou satisfeito com as oito temporadas de parceria e considerou que perder para Honda e Marc Márquez não é exatamente uma derrota

Andrea Dovizioso vai se despedir ― talvez temporariamente ― da MotoGP neste fim de semana, quando encerra uma história de oito temporadas com a Ducati. Às vésperas do último GP, o italiano de Forli mostrou que guarda boas memórias da passagem pelo time, especialmente entre 2017 e 2019.

Dovizioso foi contratado em 2013 para assumir o lugar deixado vago por Valentino Rossi. A evolução da Ducati demorou a acontecer, mas, em 2017, Andrea disputou o título com Marc Márquez até a corrida final. Nos dois anos seguintes, o italiano novamente conseguiu o vice-campeonato, mas com campanhas menos chamativas.

Andrea Dovizioso não estará no grid da MotoGP em 2021 (Foto: Ducati)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Apesar de não ter alcançado a meta de ser campeão, Dovizioso faz um balanço positivo, especialmente por considerar a dificuldade de vencer alguém como Marc Márquez.

“Vou ficar feliz, pois nos últimos três anos, não conseguimos vencer o título, que era nossa meta, mas acho que não sinto que perdemos nesses três anos”, disse Dovizioso. “Chegamos muito longe e acho que o que fizemos juntos foi algo especial. Estávamos lutando com Marc e Honda, então era muito difícil vencê-los, mas estou muito feliz com esses três anos”, seguiu.

“Demos um passo importante e dei um passo importante para a minha carreira com o que eu consegui mostrar. Mas, neste momento, realmente quero acreditar no futuro”, comentou.

Apesar de assegurar que não se trata de uma aposentadoria, o piloto de Forli escolheu o GP da Áustria de 2019 como o melhor momento em 12 anos de MotoGP.

“Felizmente, houve mais de uma em que terminamos na última curva, mas a última grande emoção foi no ano passado, na Áustria, porque era um momento importante”, lembrou. “Estávamos em dificuldades e todos esperavam uma vitória nossa, mas não éramos os mais rápidos antes da corrida, porque Marc era mais rápido do que nós. Mas, no fim, fizemos a escolha certa e vencemos na última curva”, citou.

“Quando você vence na última curva, a adrenalina é uma loucura. Temos muita sorte por poder fazer algo assim. Quando você tem amigos na pista, termina na última curva, é muito legal”, encerrou.

GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP de Portugal, última etapa do Mundial de Motovelocidade 2020.

LEIA TAMBÉM:
Rins oscila, demora a engrenar e perde chance única de ser campeão em 2020
Ofuscado em 2019, Morbidelli vira jogo e chega ao fim de 2020 melhor que Quartararo

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube