Pramac rebate Marc Márquez e garante “duas motos oficiais” da Ducati para 2025

A Pramac decidiu responder Marc Márquez depois de ser esnobada pelo hexacampeão da MotoGP para a temporada 2025. De quebra, assegurou sequência com a Ducati e duas motos oficiais mais uma vez

A Pramac não engoliu bem a rejeição de Marc Márquez. Nesta sexta-feira (31), durante o primeiro treino livre para o GP da Itália, o chefe Gino Borsoi fechou as portas da equipe para o hexacampeão da MotoGP e ainda assegurou que vai continuar com a Ducati na próxima temporada.

A Pramac ainda tem contrato com a montadora italiana até 2026, mas possui uma cláusula que permite encerrar o acordo de forma prematura para assinar com outra fábrica da grid. Por isso, iniciou conversas com a Yamaha e travou todo o mercado da MotoGP, cercando de incertezas.

Relacionadas


Márquez, aliás, também foi especulado em uma possível mudança para a Pramac, equipe satélite da Ducati e que recebe motos de fábrica, diferente da Gresini. Questionado sobre a chance de seguir em um time independente, o espanhol disse que “não é uma opção”.

“Temos muito respeito por um octacampeão mundial. Só posso dizer que a Pramac é uma grande equipe, uma grande família, com bons valores e a cada ano fazemos um trabalho melhor”, disse Borsoi em entrevista à emissora DAZN España.

Gino Borsoi, chefe da Pramac, respondeu Marc Márquez horas depois (Foto: Divulgação/MotoGP)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

“Em 2023, fizemos história e levamos o Mundial de Equipes, primeira vez que uma satélite conseguiu. Este ano, Jorge Martín está liderando o campeonato e temos nova oportunidade”, completou o dirigente.

“Temos duas motos oficiais da Ducati e vamos seguir assim no próximo ano”, finalizou.

De acordo com o jornal italiano La Gazzetta dello SportJorge Martín foi o escolhido pela Ducati para assumir a vaga. Com a decisão, a marca de Bolonha evita dois problemas: perder o atual líder do Mundial para a concorrência e reduz a ameaça do assédio da Yamaha à Pramac. E isso também tira Marc Márquez da disputa. Na véspera do GP da Itália, o octacampeão mundial voltou a dizer que deseja uma moto de fábrica.

“A minha prioridade é estar em uma moto de fábrica. Se você quiser brigar pelo campeonato, como é minha intenção, precisa ter acesso fácil a todos os aspectos e facilidades. Se você está em uma equipe de fábrica, tem acesso às últimas atualizações, algo que priorizo”, concluiu o espanhol.

A Ducati já assinou com Fermín Aldeguer, da Moto2, e deixou clara a intenção de colocar o novato na Pramac, mas o estreante não teria o mesmo apelo de Martín. Assim, encaixar Marc é a alternativa para satisfazer a equipe e driblar o assédio da Yamaha, atender o desejo do #93 e manter Martín em casa.

MotoGP volta a acelerar ainda nesta sexta-feira (31), a partir de 10h (de Brasília), para treino do GP da Itália, em Mugello. O GRANDE PRÊMIO faz a cobertura completa do evento, assim como das outras classes do Mundial de Motovelocidade durante todo o ano.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da MotoGP direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.