Rossi diz que engenheiros da Yamaha até ouvem pilotos, “mas fazem o que querem”

Italiano voltou a insistir que a YZR-M1 segue com os mesmos problemas há muitos anos e, por isso, não sabe ao certo o quanto do feedback tem sido aproveitado na evolução do protótipo da MotoGP

Valentino Rossi afirmou que os engenheiros da Yamaha não prestam muita atenção no feedback dos pilotos. O mais experiente dentro do quarteto equipado pela marca na MotoGP, o italiano considerou que os japoneses até escutam a avaliação dos competidores, mas acabam seguindo com o desenvolvimento levando em conta apenas o que já tinham planejado fazer.

Neste fim de semana, Rossi encerra uma passagem de 15 temporadas pelo time de fábrica da marca dos três diapasões, mas vai seguir correndo com uma YZR-M1 oficial, só que na satélite SRT Yamaha. Às vésperas da mudança, o piloto de Tavullia considerou que seguirá tendo a mesma participação na evolução da moto.

Valentino Rossi considerou que os engenheiros não seguem as indicações dos pilotos (Foto: Divulgação/MotoGP)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Acho que estarei tão envolvido quando neste ano! Então não muda muita coisa”, disse Rossi. “E precisamos entender se eu estava ou não muito envolvido neste ano”, seguiu rindo.

Questionado se estava muito envolvido com o desenvolvimento da YZR-M1, Valentino replicou: “Eu não sei! O que posso fazer é dar toda minha experiência e tentar dizer o que acho que precisamos, mas nós temos mais ou menos os mesmos problemas, problemas similares há muito tempo. Então acho que o próximo ano não vai mudar muita coisa”.

O piloto de 41 anos avaliou que os engenheiros japoneses até escutam as impressões dos pilotos sobre os protótipos, mas acabam executando aquilo que já tinham em mente antes mesmo do feedback.

“Acho, de qualquer forma, que os japoneses ouvem o que os pilotos dizem, mas, no fiz, fazem o que querem”, opinou. “Quer dizer, eles já têm em mente o que querem fazer”, concluiu.

LEIA TAMBÉM:
Rins oscila, demora a engrenar e perde chance única de ser campeão em 2020
Ofuscado em 2019, Morbidelli vira jogo e chega ao fim de 2020 melhor que Quartararo

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:
Anchor | Apple | Spotify | Google | Pocket Cast | Radio Public | Breaker

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube