Rossi perde mecânicos com mudança para SRT: “Briguei por eles, mas não consegui”

O italiano não conseguiu convencer a SRT a contratar toda a equipe com que trabalha na Yamaha. O multicampeão não será acompanhado por Alex Briggs e Brent Stephens em 2021

Valentino Rossi vai enfrentar um processo de divórcio na temporada 2021 da MotoGP. Com a mudança para a SRT, o italiano perderá dois dos mecânicos com quem trabalha na Yamaha: Alex Briggs e Brent Stephens.

O australiano Briggs acompanha Rossi desde os tempos das Honda. Ex-Mick Doohan, o mecânico seguiu o italiano para a Yamaha e depois para a Ducati, mas tampouco continuará trabalhando para a casa de Iwata, para onde voltou em 2013. Stephens, por sua vez, foi incorporado ao time do italiano em 2004 e também não terá o contrato renovado pela fábrica japonesa.

Valentino se empenhou para tentar manter o grupo unido, mas apesar da demora das negociações, não conseguiu convencer o time chefiado por Razlan Razali.

Valentino Rossi não poderá seguir com a habitual equipe técnica (Foto: Yamaha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

“Lutei muito para ter todo o time, mas às vezes é impossível. Também porque na Petronas trabalham muitas boas pessoas”, disse Rossi. “Para mim, durante a minha carreira, sempre foi importante ter o meu time. Por exemplo, eu e Alex Briggs estamos juntos desde 2000. Mas, neste momento da minha carreira, é normal que nem tudo possa ser perfeito”, seguiu.

Ainda assim, Rossi não seguirá sozinho para a equipe satélite. O piloto da moto #46 vai contar com o mecânico-chefe David Muñoz, o analista de performance Idálio Gavira e o engenheiro de dados Matteo Flamigni.

“Eu tentei manter meu mecânico chefe, David, Idálio e Matteo. Infelizmente, não foi possível com Alex e Brent. É uma grande pena. Estou triste por não tê-los comigo no próximo ano, mas é assim que é”, completou.

Diretor da Yamaha, Lin Jarvis explicou que a saída de Briggs e Stephens é reflexo do fato de que Fabio Quartararo também quis levar alguns integrantes da atual equipe para a Yamaha.

“Como Valentino disse, ele está com parte de seu pessoal há muitos, muitos anos. E isso é algo de que nós, de fato, fizemos parte, pois quando tiramos Valentino da Honda muitos, muitos anos atrás, nós trouxemos ele e toda a equipe. E sabemos que isso foi importante para ele. Mas, como você pode imaginar, outros pilotos se sentem da mesma forma”, falou Jarvis. “Fabio também quer trazer algumas pessoas com quem está familiarizado e com quem tem confiança também. Este é um momento em que é meio uma mudança de guarda, então, precisávamos encontrar uma maneira de acomodar Fabio e alguns dos pedidos dele com a expertise que já temos na casa”, continuou.

“Não existem tantos lugares nos boxes, então, nós do time de fábrica não conseguimos oferecer uma extensão a Brent e Alex. Eu trabalho com Brent desde 1999, então, faz muito tempo, quando o time era Marlboro Yamaha, Brent estava conosco desde o início. Alex se juntou a nós em 2004. Temos uma relação muito boa. Claro, seria bom deixar todo mundo feliz e ter todo mundo a bordo, mas às vezes você também precisa mudar o time. É uma pena, mas eu gostaria de agradecê-los por toda a contribuição que fizeram e ainda fazem”, encerrou.

LEIA TAMBÉM
+ Peter Pan, Rossi ainda tem espaço na MotoGP. Mesmo aos 41 anos

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube