Rossi se antecipa e abre negociação para renovar contrato com Yamaha por mais duas temporadas, diz jornal

De acordo com o diário espanhol ‘As’, Valentino Rossi se antecipou e já abriu uma negociação para renovar seu vínculo com a Yamaha por mais duas temporadas. Acordo atual é válido até o fim de 2018

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A temporada 2017 ainda nem acabou, mas Valentino Rossi já está pensando no seu futuro. Segundo informações do jornal espanhol ‘As’, o italiano abriu negociações com a Yamaha para estender seu vínculo com o time por mais duas temporadas.
 

O atual contrato do piloto com a equipe tem duração até o final do próximo campeonato. Caso as conversas se concretizem, a parceria seguirá até 2020, quando o piloto estiver já com 41 anos.
 
Valentino está um passo à frente de seus adversários, que têm seus contratos para até o fim de 2018, e isso não é novidade para o #46. No início do ano passado, já na primeira etapa do calendário surpreendeu ao anunciar sua renovação com a Yamaha por mais duas temporadas, as de 2017 e 2018. E agora ele quer que o cenário se repita.
Contrato de Rossi com a Yamaha ainda não acabou e ele já quer renovar (Foto: Michelin)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

No entanto, Lin Jarvis, chefe do time, já revelou que não quer começar as negociações tão cedo. “No ano passado nós renovamos o contrato no Catar, o que foi no início da temporada. Agora estamos no segundo quarto do contrato de dois anos. Vamos discutir com ele, mas não acho que será tão cedo como no Catar. Acredito que será em Mugello, ele saberá se quer estender o contrato após o fim de 2018”.
 

Uma coisa é certa: a parceria entre piloto e equipe é de bastante sucesso. Rossi chegou à marca dos três diapasões em 2004 e por dois anos seguidos conquistou o título da classe rainha do Mundial de Motovelocidade. Em 2006 e 2007 terminou em segundo e terceiro, respectivamente, para depois conquistar mais duas taças. Em 2010 foi terceiro.
 
Em 2011 foi para a Ducati, onde ficou por duas temporadas bastante difíceis. Retornou para a Yamaha em 2013 e, desde então, conquistou três vice-campeonatos. Neste ano aparece em quinto na classificação com 168 pontos, 56 de desvantagem para o líder Marc Márquez. 
 
’EXTRAORDINÁRIO’

DI GRASSI VÊ HAMILTON COMO UM DOS TRÊS MAIORES DA HISTÓRIA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube