Senhor das poles, Márquez bate Lorenzo por 0s421 e larga na frente pela quarta vez na temporada

Imbatível na temporada 2014 da MotoGP, Marc Márquez voou para faturar sua quarta pole-position no ano. Jorge Lorenzo e Dani Pedrosa completam a primeira fila. Valentino Rossi aparece em quarto

A cobertura completa do GP da Espanha no GRANDE PRÊMIO
icone_TV Automobilismo na TV: a programação do fim de semana
As imagens deste sábado de Mundial de Motovelocidade em Jerez

Parar Marc Márquez não será uma tarefa nada fácil em 2014. Com a confiança em alta, o espanhol desembarcou em Jerez de la Frontera de olho em manter sua boa sequência e adicionou mais uma pole ao seu grande histórico de bons resultados. 
 
Depois de trocar de moto duas vezes durante a sessão classificatória deste sábado (3), o espanhol foi para a pista para cravar 1min38s120 em sua última volta e tirar a posição de honra no grid de Jorge Lorenzo por uma diferença de 0s421.
Marc Márquez bateu Jorge Lorenzo e vai largar na pole para o 100º GP da carreira (Foto: Repsol)
Depois de espantar a má fase que marcou as duas primeiras etapas do ano, o bicampeão da MotoGP apareceu mais forte em Jerez e dominou a maior parte da sessão, mas não conseguiu dar o troco no jovem espanhol. No dia de seu aniversário de 27 anos, Lorenzo vai iniciar sua prova de casa na segunda colocação.
 

Sempre bem em Jerez, Dani Pedrosa anotou 1min38s630 e ficou com o terceiro posto do grid, 0s510 atrás do companheiro de Honda. Valentino Rossi também exibiu um ritmo forte ao longo do fim de semana e vai abrir a segunda fila.

 
Apesar de ter sofrido uma queda durante o Q2, Aleix Espargaró ficou com o quinto posto do grid, à frente de Andrea Dovizioso, a melhor Ducati no grid. Stefan Bradl aparece em sétimo, seguido por Pol Espargaró, Bradley Smith e Álvaro Bautista, que fecha o top-10.
Márquez bate dupla da Yamaha e lidera FP4 na Espanha
 
A última bateria de treinos livres da MotoGP em Jerez de la Frontera começou com a temperatura da pista nas alturas. Com o sol brilhando na Espanha, o asfalto atingiu a marca de 46°C, o que prometia ser um desafio a mais para os pilotos, já que o asfalto fica mais escorregadio nesta condição.
Jorge Lorenzo vai disputar seu GP de número 200 neste fim de semana (Foto: Yamaha)
Assim que o pit-lane foi aberto, os irmãos Espargaró brindaram os espectadores com um momento fofo. Pol e Aleix deixaram os pits lado a lado, mas a moto do mais novo apagou e o piloto da Forward não hesitou em ajudar a empurrar. Agradecido, Pol retribuiu com um carinho na M1 do irmão mais velho. 
 
Seguindo a linha da fofura, Jorge Lorenzo e Valentino Rossi trataram de colocar as duas Yamaha juntinhas no topo da tabela de tempos, à frente de Marc Márquez e Andrea Dovizioso. 
 
Com 1min40s523, Aleix saltou para o terceiro posto, completando a festinha da Yamaha no top-3.
 
Marc não deixou por menos e tratou de entrar na brincadeira, colocando a RC213V no terceiro posto, 0s588 atrás de Lorenzo. Sob o olhar atento do pai, que acompanhava tudo dos boxes da Honda, Dani Pedrosa cravou 1min40s020 e assumiu o terceiro posto, atrás de Jorge e Valentino. 
 
De olho na ponta da tabela, Rossi abriu uma boa volta, cravando as melhores duas primeiras parciais até então, mas acabou perdendo tempo no trecho final da pista e não conseguiu superar o companheiro de Yamaha. Neste momento, o italiano estava na pista com pneus médios, identificados pela cor preta.
 
Faltando 12 minutos para o fim do quarto treino livre, a Yamaha seguia com as posições 1 e 2 da tabela, com a Honda ocupando os postos 3 e 4. De volta dos boxes, Aleix Espargaró quis mudar a balança para o lado de Iwata e assumiu o terceiro posto ao anotar 1min39s894, 0s209 atrás de Rossi que, por sua vez, tinha 0s033 de atraso para Lorenzo.
 
Andrea Iannone tinha o sexto tempo, à frente de Bradley Smith, Andrea Dovizioso, Stefan Bradl, Hiroshi Aoyama, Pol Espargaró, Álvaro Bautista e Cal Crutchlow.
Cal Crutchlow está de volta após cirurgia na mão (Foto: Ducati)
Na sequência, Márquez registrou 1min39s767 e passou Aleix para assumir o terceiro posto. O líder do Mundial abriu uma ótima volta na sequência e tomou a ponta da tabela ao cravar 1min39s417.
 
Nos boxes da Gresini, o clima era de desânimo. Antônio Jimenez, chefe do time de Álvaro Bautista, reconheceu que o espanhol tinha dificuldades para parar a moto e que o pacote usado pelo piloto da moto #19 – com suspensão e freios diferentes dos demais – não estava ajudando.
 
Com a bandeira quadriculada tremulando em Jerez, ninguém tirou de Márquez o topo da tabela. Lorenzo ficou em segundo, à frente de Rossi. Aleix Espargaró ficou com o quarto tempo, seguido por Pedrosa, Iannone, Smith, Dovizioso, Bradl, Aoyama, Pol Espargaró, Bautista, Colin Edwards, Cal Crutchlow, Nicky Hayden, Karel Abraham, Scott Redding, Héctor Barberá, Yonny Hernández, Michele Pirro e Michael Laverty.
 
Aoyama desafia, mas Hayden e Bautista avançam ao Q2
 
Conforme ficou definido pelo resultado combinado das três primeiras sessões de treinos livres, 14 pilotos foram para a pista em busca das duas últimas vagas no Q2, a fase final do treino classificatório: Aoyama, Barberá, Petrucci, Abraham, Bautista, Broc Parkes, Iannone, Crutchlow, Redding, Pirro, Mike di Meglio, Hernández, Hayden e Laverty.
 
Para facilitar a vida dos pilotos, a temperatura da pista tratou de subir mais um pouco, chegando aos 49°C na primeira fase da classificação. 
 
Assim que o pit-lane foi aberto, os competidores logo partiram para a pista para tentar aproveitar ao máximo os 15 minutos de sessão. Com 1min40s510, Nicky Hayden foi o primeiro a assumir o topo da tabela de tempos, mas logo foi superado por Iannone. 
 
Na sequência, Bautista assumiu a ponta, mas perdeu a posição para Crutchlow, que ainda se recupera de uma cirurgia para estabilizar uma fratura sofrida durante um acidente na etapa de Austin.
 
Com 1min39s595, Álvaro retomou a ponta. Na sequência, Redding sofreu uma queda na curva 13, mas não se feriu. O britânico recebeu ajuda dos comissários e foi direto para os boxes da Gresini. 
 
Depois de uma parada nos boxes para novos pneus, Hayden voltou para a pista e abriu uma boa volta. Atento à movimentação, Bautista deixou os boxes apressado para tentar defender sua vaga no Q2.
Valentino Rossi abre a segunda fila em Jerez (Foto: Yamaha)
Com 1min39s427, Hayden tomou a ponta, tirando Crutchlow do Q2. O britânico vinha para fechar a volta, mas não foi rápido o bastante para derrubar Bautista. 
 
Hiroshi Aoyama também abriu uma boa volta, mas apenas conseguiu subir para o terceiro posto, 0s370 mais lento que o companheiro de Aspar. O nipônico não desistiu e abriu outra boa volta, mas perdeu tempo no terceiro setor e a chance de ir ao Q2.
 
Assim, Aoyama larga em 13º, à frente de Crutchlow e Iannone. Abraham sai em 16º, seguido por Pirro, Redding, Hernández, Petrucci, Laverty, Di Meglio, Parkes e Barberá.
 
Lorenzo tenta, mas Márquez é pole de novo
 
Para a fase decisiva da classificação, foram 12 os pilotos na pista: Dovizioso, Edwards, Bradl, Bautista, Pedrosa, Smith, Aleix Espargaró, Pol Espargaró, Rossi, Hayden, Márquez e Lorenzo. 
 
Assim como aconteceu no Q1, a temperatura da pista subiu mais um pouco, chegando aos 51°C antes do início da fase final da classificação. 
 
Tradicionalmente o primeiro a deixar os pits, Lorenzo seguiu no mesmo ritmo, seguido de perto por Rossi, Smith e Pol Espargaró. Pouco a pouco, os demais pilotos foram ganhando a pista. 
 
Primeiro a sair, Lorenzo também foi o primeiro a completar a volta, se instalando no topo da tabela com um tempo de 1min38s541. Márquez assumiu o segundo posto, à frente de Pedrosa e Rossi.
 
Na garagem da Honda, o time de Márquez deixou a segunda moto preparada. Quando o espanhol entrou nos pits, Marc, calmamente, trocou uma moto pela outra e foi para a pista. Na sequência, outros pilotos foram parando nos pits. Na Yamaha, a moto de Lorenzo era preparada com pneus macios na traseira.
 
Com quase sete minutos de treino pela frente, Lorenzo liderava com 0s217 de vantagem para Márquez, seguido por Pedrosa e Rossi. Marc abriu uma boa volta e começou a rodar logo atrás de Jorge, que ainda estava em sua volta de aquecimento de pneus. 
 
Enquanto todos esperavam para ver a reação dos dois, um mecânico do campeão vigente surgiu no muro de Jerez para chamá-lo de volta aos boxes. Nesse ponto, Marc agora tinha 0s060 de atraso para o rival da Yamaha.
 
Falando na casa de Iwata, Rossi seguia parado nos boxes. Com suas duas motos dentro dos pits e os mecânicos trabalhando no protótipo. Mais atrás, Aleix Espargaró assumiu o quarto posto, à frente de Rossi e Pol. 
 
De novo nos boxes, Márquez trocou as motos mais uma vez, voltando para o equipamento titular. Logo quando as coisas começavam a esquentar na pista, Aleix sofreu uma queda e se despediu de suas chances de uma boa posição de partida.
 
De volta, Rossi cravou 1min38s857 e assumiu o terceiro posto, mas logo caiu para terceiro com a melhora de Pedrosa. Aleix vinha em quinto, à frente de Bradl, Pol, Smith, Dovizioso, Bautista, Edwards e Hayden.
Dani Pedrosa também apresentou um ritmo forte na Espanha (Foto: Honda)
Rossi abriu uma nova volta, mas longe de ser algo ameaçador. Ainda assim, o italiano, que conta com um ótimo histórico em Jerez, conseguiu abrir uma última volta.
 
Depois da troca de motos, Márquez vinha em ritmo fortíssimo, até cravar 1min38s120 e tomar a pole de Lorenzo por 0s421 de diferença. Com a bandeira quadriculada exibida na pista andaluz, ninguém mais conseguiu ameaçar o espanhol. 
 
Com o resultado, Marc sai na pole pela quarta vez no ano e pela quinta vez consecutiva na temporada.
 
MotoGP, GP da Espanha, Jerez de la Frontera, Grid de largada:
 
1
93
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
1:38.120
 
2
99
JORGE LORENZO
ESP
YAMAHA
1:38.541
+0.421
3
26
DANI PEDROSA
ESP
HONDA
1:38.630
+0.510
4
46
VALENTINO ROSSI
ITA
YAMAHA
1:38.857
+0.737
5
41
ALEIX ESPARGARÓ
ESP
FORWARD
1:39.007
+0.887
6
4
ANDREA DOVIZIOSO
ITA
DUCATI
1:39.222
+1.102
7
6
STEFAN BRADL
ALE
LCR HONDA
1:39.243
+1.123
8
44
POL ESPARGARÓ
ESP
TECH3 YAMAHA
1:39.293
+1.173
9
38
BRADLEY SMITH
ING
TECH3 YAMAHA
1:39.390
+1.270
10
19
ÁLVARO BAUTISTA
ESP
GRESINI HONDA
1:39.751
+1.631
11
5
COLIN EDWARDS
EUA
FORWARD
1:39.814
+1.694
12
69
NICKY HAYDEN
EUA
ASPAR HONDA
1:39.826
+1.706
13
7
HIROSHI AOYAMA
JAP
ASPAR HONDA
1:39.768
+1.648
14
35
CAL CRUTCHLOW
ING
DUCATI
1:39.849
+1.729
15
29
ANDREA IANNONE
ITA
PRAMAC DUCATI
1:40.118
+1.998
16
17
KAREL ABRAHAM
TCH
AB
1:40.126
+2.006
17
51
MICHELE PIRRO
ITA
DUCATI
1:40.239
+2.119
18
45
SCOTT REDDING
ING
GRESINI HONDA
1:40.453
+2.333
19
68
YONNY HERNÁNDEZ
COL
PRAMAC DUCATI
1:40.566
+2.446
20
9
DANILO PETRUCCI
ITA
IODA
1:41.009
+2.889
21
70
MICHAEL LAVERTY
ING
PAUL BIRD
1:41.124
+3.004
22
63
MIKE DI MEGLIO
FRA
AVINTIA
1:41.517
+3.397
23
23
BROC PARKES
AUS
PAUL BIRD
1:41.702
+3.582
24
8
HECTOR BARBERÁ
ESP
AVINTIA
1:42.052
+3.932
 
 
 
 
 
 
 
RECORDE
JORGE LORENZO
ESP
YAMAHA
1:39.565
159.9 km/h
MELHOR VOLTA
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
1:38.120
162.2 km/h
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Condições do tempo
 
PISTA SECA
 
ar: 28ºC | pista: 50ºC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube