Teste é importante, mas Aprilia precisa se empenhar para pôr Dovizioso de vez na moto

Hoje sem vaga, o italiano vai testar a RS-GP no mês que vem em Jerez de la Frontera. Mas mesmo que o feedback seja importante, melhor seria ter o três vezes vice-campeão ao lado de Aleix Espargaró de vez

Assista aos melhores momentos do GP do Catar de MotoGP (Vídeo: GRANDE PRÊMIO com Reuters)

Assim que anunciou que Andrea Dovizioso vai testar com a equipe em abril, a Aprilia viu nascer rumores de que o italiano vai assumir o lugar ao lado de Aleix Espargaró ainda durante a temporada 2021 da MotoGP. E a verdade é que a casa de Noale deveria mesmo trabalhar com afinco para tornar esse boato realidade.

É verdade que este não seria um bom cenário para Lorenzo Savadori, mas tampouco é bom para ele estar na moto quando Massimo Rivola, chefão da Aprilia, declara ao vivo que “infelizmente” na existe um plano de substituí-lo por Dovizioso.

Andrea Dovizioso, Ducati, MotoGP 2020, Aragão, Treino
Andrea Dovizioso foi três vezes vice-campeão com a Ducati (Foto: Ducati)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Não é um exatamente um segredo que Savadori é só uma espécie de tapa buraco. Mesmo que tenha algum talento ou qualidade que justifique a vaga, o fato é que Lorenzo não tem currículo para estar onde está. A trajetória dele é absolutamente discrepante das dos demais colegas de MotoGP.

Dos 22 pilotos da classe rainha, 12 são campeões mundiais, somando 30 títulos entre eles. Além disso, 19 deles somam vitórias em ao menos uma das classes do Mundial de Motovelocidade. Ou seja, é um grid forte e plenamente capacitado.

Lorenzo, por outro lado, soma passagens por 125cc, Copa do Mundo de MotoE e três GPs na MotoGP no ano passado. Mas não tem poles, vitórias, pódios, nada. Logo, não é difícil concluir que não faz muito sentido que seja ele a estar montado no protótipo italiano.

É bom lembrar, porém, que a Aprilia sofreu toda sorte de rejeição no ano passado. Cal Crutchlow preferiu a aposentadoria (e o cargo de piloto de testes da Yamaha), Dovizioso optou por ficar a pé e Marco Bezzecchi, Joe Roberts e Fabio Di Giannantonio preferiram ficar na Moto2. Só que existia também a opção de Bradley Smith, que foi descartado ainda em dezembro embora tenha um currículo bastante mais expressivo.

Mas porque é que alguém que rejeitou a Aprilia deveria ser agora tratado como prioridade? Primeiro por que Andrea não estava completamente errado em recusar a chance de guiar a RS-GP. Vindo de três vices mundiais, o italiano de Forli julgou que merecia algo melhor do que uma marca que quase não fez progressos desde que retornou à MotoGP.

Só que o mais importante é que a Aprilia precisa de Andrea. Aleix Espargaró é um excelente piloto, já fez ótimos trabalhos de desenvolvimento ao longo da carreira, mas não pode levar a Aprilia sozinho nas costas como tem feito até aqui. Faria bem para o catalão ter alguém para dividir a carga de responsabilidade e, mais ainda, alguém para também pressioná-lo na pista.

A forma exibida pela Aprilia na pré-temporada foi suficiente para despertar o interesse de Dovizioso de ao menos conhecer a moto. Agora, a Aprilia precisa tentar convencer o experiente piloto a aceitar voltar à ativa já neste ano.

Para Savadori, pode restar uma vaga como piloto de testes. Muito embora a história recente do esporte esteja aí para mostrar que ele tampouco tem currículo para isso. É só ver o caso de Dani Pedrosa e KTM.

É verdade que foi a própria Aprilia que se meteu nesta confusão. Mas está mais do que na hora de a montadora italiana aproveitar que conseguiu atrair o interesse de alguém competitivo e dar um considerável passo à frente para avançar de vez na MotoGP.

GUIA MOTOGP 2021
⇝ MotoGP chega igual, mas diferente em campeonato condicionado por pandemia
⇝ Conheça quem são as equipes e pilotos para a temporada 2021 da MotoGP
⇝ Suzuki segue vida sem Brivio e tenta feito do bicampeonato na MotoGP em 2021
⇝ MotoGP volta com mistério: Marc Márquez retorna após três cirurgias? E como?
⇝ Honda aposta em encaixe de Pol Espargaró por encerramento de série de insucessos
⇝ Mir defende título da MotoGP para mostrar que conquista de 2020 não foi acaso
⇝ Quartararo precisará de regularidade e cabeça no lugar para substituir Rossi
⇝ Bastianini, Marini e Martín sobem para MotoGP com promessa de briga parelha
⇝ Yamaha rejuvenesce com Viñales e Quartararo e busca consistência na M1
⇝ Aos 42 anos, Rossi tem recomeço na MotoGP com SRT. Mas qual será o futuro?
⇝ Pol Espargaró tem chance da vida na MotoGP. Assustar Márquez é outra história
⇝ Equilíbrio também deve ser a marca nas categorias de apoio à MotoGP
⇝ Ducati faz mudanças arriscadas para deixar decepções de 2020 no passado
⇝ Aprilia ‘inventa’ Savadori e coloca tudo nas costas de Aleix Espargaró
⇝ VR46 dá primeiro passo na MotoGP ainda sem dizer se veio para ficar
⇝ Sucesso da Academia VR46, Morbidelli tenta aproveitar garagem com Rossi

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar