Viñales conta com queda de Bagnaia e vence conturbado GP da Emília-Romanha

O espanhol da Yamaha aproveitou a queda do líder Bagnaia para conseguir o primeiro triunfo da temporada. Joan Mir e Pol Espargaró completaram o pódio do dia

A reviravolta no final do GP da Emília-Romanha e da Riviera de Rimini da MotoGP garantiu a Maverick Viñales a vitória deste domingo (20). O espanhol herdou a liderança após queda de Francesco Bagnaia e triunfou pela primeira vez na temporada – é o sexto ganhador diferente em sete etapas.

O italiano da Pramac Ducati vinha dominante, com 1s1 de vantagem para o pelotão, mas um erro nas voltas finais custou caro. Melhor para o piloto da Yamaha, que chegou a oito vitórias na classe rainha. Joan Mir aumentou o ritmo nas voltas finais para consumar duas ultrapassagens e receber a bandeirada em segundo, no terceiro pódio de 2020.

Fabio Quartararo cruzou a linha de chegada em terceiro, mas por ter excedido os limites de pista, foi punido e terminou em quarto, atrás de Pol Espargaró. Miguel Oliveira ficou em quinto, com Takaaki Nakagami recebendo a bandeira quadriculada em sexto.

Maverick Viñales, MotoGP 2020, GP da Emília-Romanha, Classificação
Maverick Viñales consegue primeira vitória em 2020 (Foto: Yamaha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Álex Márquez teve o melhor resultado desde a estreia na elite do Mundial. Após liderar o warm-up matutino em Misano, o espanhol terminou em sétimo. Andrea Dovizioso teve atuação apagada e aparece na sequência. Franco Morbidelli, Danilo Petrucci, Johann Zarco, Álex Rins e Bradley Smith foram os pilotos que terminaram a prova.

O GP da Emília-Romanha embolou ainda mais a disputa pelo título de 2020. Dovizioso segue na liderança, mas com apenas um ponto de vantagem para Quartararo, que está empatado com Viñales, o terceiro. Mir, o quarto, tem apenas quatro tentos de desvantagem para o ponteiro. Morbidelli fecha o top-5.

Saiba como foi o GP da Emília-Romanha e da Riviera de Rimini de MotoGP:

O sol cansou da MotoGP na costa Adriática da Itália. O tempo mudou neste domingo, que amanheceu bastante mais nublado. A chuva, aliás, apareceu ainda na corrida da Moto2, provocando a paralisação em bandeira vermelha, mas parou e permitiu a secagem do asfalto. Às vésperas da largada, a temperatura era de 26°C, com o asfalto chegando a 34°C. A velocidade do vento era de 3 km/h.

Depois de errar na semana passada ao calçar a traseira da YZR-M1 com um pneu duro, Viñales mudou a estratégia e optou por um par de médios, diferente de jack Miller, que foi de duro na frente e macio atrás, e Quartararo, que escolheu duro na frente e médio atrás.

Quando as luzes se apagaram, os 9.970 espectadores presentes em Misano viram Miller saltar para a ponta apostando na boa velocidade da Ducati. O troco de Viñales, porém, demorou só até a quarta curva, quando o espanhol retomou o primeiro posto.

Bagnaia também conseguiu colocar Quartararo para escanteio e assumiu o terceiro lugar, com Brad Binder pulando para quarto pouco depois.

Ainda na primeira volta, Aleix Espargaró perdeu o controle da Aprilia na curva 8 e derrubou Morbidelli, que ainda voltou para a pista, mas no fundo do pelotão. Pouco depois, já na volta 2, Valentino Rossi caiu na curva 4, mas também voltou para a corrida.

Binder, então, avançou para terceiro, mas pouco depois caiu na curva 15. O sul-africano voltou para a pista, mas apenas em 19º.

Valentino Rossi caiu ainda no início da corrida (Foto: Reprodução)

Firme no traçado, Viñales já exibia 0s7 de vantagem, mas era caçado por um Bagnaia bastante veloz. Pol era o terceiro, seguido por Quartararo, Miller e Petrucci.

Na abertura do quinto giro, Binder encerrou de vez sua participação na corrida depois de uma queda na curva 1. O piloto da KTM não se feriu com gravidade.

Bem ao longo de todo o fim de semana, Pecco cortou a diferença e partiu para o ataque. Na volta 6, o italiano passou na curva 4 aproveitando um erro do espanhol e tomou a ponta. Maverick ainda tentou resistir, mas não achou passagem. Com a Ducati bastante mais potente que a Yamaha, o piloto da Pramac abriu 0s5 logo de cara.

O ‘Top Gun’ ainda se empenhou em manter contato, mas Pecco ia sustentando uma margem de cerca de 0s6. Atrás, Pol Espargaró já vinha 1s3 afastado do rival da Yamaha, com Quartararo também distante. Quinto, Joan Mir vinha mais 3s atrás do piloto da SRT Yamaha.

Faltando 19 voltas para o fim, Jack Miller se dirigiu aos boxes da Pramac e abandonou a corrida na Emília-Romanha. O australiano tinha sofrido uma queda forte no warm-up desta manhã.

Na décima das 27 voltas da disputa em Misano, Bagnaia conseguiu abrir mais de 1s para Viñales, que também vinha se distanciando mais e mais de Pol. Mais atrás, Dovizioso tentava chegar em Álex Márquez para brigar pela oitava colocação.

Pouco a pouco, Pecco foi se afastando de Viñales, que se recusava a entregar os pontos e tentava usar os talentos da Yamaha para manter contato. Apesar do empenho, a diferença estava em 1s5 com 15 voltas para o fim.

Aliás, neste mesmo ponto a corrida sofreu mais uma baixa: Tito Rabat caiu na curva 6 e não conseguiu voltar. Já eram quatro pilotos fora da corrida.

Se a situação na ponta da tabela permanecia mais estável, no miolo as coisas eram ligeiramente agitadas. Com ritmo de ponta, Oliveira conseguiu passar Lecuona pela sexta colocação, mas tinha 2s9 de atraso para Mir, que, por sua vez, tentava alcançar Quartararo.

Restando 11 voltas para o fim, foi a vez de Rossi recolher para os boxes da Yamaha. O italiano era o último e vinha bastante distante de Bradley Smith, o 15º. Ao descer da M1, o multicampeão foi direto dar uma olhada no pneu traseiro.

Diferente da semana passada, a corrida deste domingo era menos agitada, já que os pilotos conseguiram se afastar muito uns dois outros. Aos poucos, todavia, Quartararo tentava grudar em Pol para brigar pelo último posto no pódio.

Mais atrás, Dovizioso não só não conseguiu chegar em Álex Márquez como também perdeu a nona colocação para Takaaki Nakagami.

Com sete voltas para o fim, Bagnaia caiu na curva 6 e abandonou a corrida. O italiano deixou a pista mancando, ainda um efeito da fratura que sofreu na perna em Brno.

Bagnaia terminou a corrida em Misano de coração partido (Foto: Reprodução)

Sem Pecco, Viñales herdou a ponta, já com 4s2 de margem para Pol, que vinha sofrendo com o desgaste do pneu macio na traseira e era pressionado por Quartararo.

Com três voltas para o fim, Mir apareceu para dar uma animadinha na corrida. O piloto da Suzuki tomou a terceira posição de Quartararo com uma bela manobra e logo passou a pressionar Pol Espargaró. No fim do mesmo giro, Joan despachou o piloto da KTM.

Mais atrás, Nakagami passou Márquez pela sexta colocação, com o pelotão avançando mais um pouco por conta da queda de Lecuona na curva 16.

Faltando dois giros para o fim, a FIM (Federação Internacional de Motociclismo) anunciou que Quartararo teria de cumprir a punição da volta longa. O francês já tinha sido alertado para respeitar os limites da pista.

Beneficiado com a herança de Bagnaia, Viñales seguiu firme para vencer pela primeira vez desde o GP da Malásia de 2019. Quartararo recebeu a bandeirada em terceiro, mas com 3s de punição, já que não fez a volta longa, caiu para quarto.

LEIA TAMBÉM
+ De destemido a desempregado: Dovizioso faz graça com macacão na Emília-Romanha
Francis Bradfield, o homem que protesta contra o racismo sozinho na MotoGP

MotoGP 2020, GP da Emília-Romanha, Misano, corrida

1M VIÑALESYamaha24:03.40827 voltas
2J MIRSuzuki+2.425 
3P ESPARGARÓKTM+4.528 
4F QUARTARAROSRT Yamaha+6.419 
5M OLIVEIRATech3 KTM+7.368 
6T NAKAGAMILCR Honda+11.139 
7A MÁRQUEZHonda+11.929 
8A DOVIZIOSODucati+13.113 
9F MORBIDELLISRT Yamaha+15.880 
10D PETRUCCIDucati+17.682 
11J ZARCOAvintia Ducati+23.144 
12A RINSSuzuki+24.962 
13B SMITHAprilia Gresini+30.008 
 I LECUONATech3 KTM+3 voltas 
 F BAGNAIAPramac Ducati+7 voltas 
 V ROSSIYamaha+12 voltas 
 T RABATAvintia Ducati+15 voltas 
 J MILLERPramac Ducati+20 voltas 
 B BINDERKTM+24 voltas 
 A ESPARGARÓAprilia GresiniNC 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube