Fabricante confirma que Viñales contrariou orientação com sistema de freios na Estíria

Apesar da orientação da Brembo, apenas Valentino Rossi, Fabio Quartararo e Franco Morbidelli equiparam as Yamaha com uma atualização do sistema de freios disponibilizada pela fábrica italiana para o GP da Estíria. Maverick Viñales optou pela versão do fim de semana anterior

Maverick Viñales ignorou a orientação da Brembo com o sistema de freios usado no GP da Estíria. Ao contrário das Yamaha de Valentino Rossi, Fabio Quartararo e Franco Morbidelli, a YZR-M1 #12 não estava equipada com a versão atualizada do sistema de freios da fábrica italiana.

No último domingo (23), Viñales precisou se jogar da moto a 218 km/h na entrada da curva 1 após ficar sem freios. A Yamaha seguiu reto pela brita, bateu no muro e teve um principio de incêndio, o que paralisou a corrida em bandeira vermelha por conta dos danos causados à proteção inflável. O piloto escapou sem lesões maiores.

Antes do incidente, todavia, o piloto de Figueres já tinha sinalizado que estava com problemas. O campeão de 2013 da Moto3 tinha caído para a 13ª colocação.

Maverick Viñales não seguiu a recomendação da Brembo (Foto: Yamaha)

“Isso nunca aconteceu na minha carreira”, disse Viñales. “A moto estava fantástica nas primeiras voltas ― não a velocidade máxima ―, aí começou a perder a pressão do freio dianteiro. Saí da pista uma vez, fiz três voltas lentas, aí forcei outra vez e perdi pressão de novo. Os freios ficaram bons mais uma vez, então eu estava recuperando tempo, mas de repente os freios se foram ― as pastilhas foram embora. Entendi muito bem que os freios tinham ido, então decidi me jogar”, explicou.

Fornecedora de todas as 11 equipes da classe rainha, a Brembo oferece soluções variadas, o que permite que as motos sejam preparadas com sistemas diversos que se adaptem não só à pista, mas também ao estilo de pilotagem de cada piloto e a estratégia de corrida. Daí a variedade na escolha de cada competidor.

Para 2020, os engenheiros da fabricante esperavam um aumento de 10% em relação ao ano passado no torque de frenagem e, por isso, introduziram uma nova pinça. Feita de monobloco de alumínio, a GP4 garante um resfriamento melhor e mais rápido da própria pinça e, em consequência, do sistema como um todo.

Assim, as equipes têm à disposição uma variedade de componentes: são quatro discos dianteiros ― de 320mm standard e de alta massa e de 340mm também nas duas versões ―; e três pinças diferentes ― a GP4 e duas variações do modelo de 2019, uma padrão e uma que conta com uma pastilha maior. A versão mais recente da pinça tem, claro, disco de carbono e pastilha específicos.

O circuito do Red Bull Ring é um dos mais exigentes com os freios da temporada da MotoGP, equivalente apenas ao traçado de Barcelona no calendário de 2020. Os pilotos da classe rainha usam os freios sete vezes a cada volta, o que representa 27s por giro, 17s a mais que em uma volta da Fórmula 1, por exemplo.

Ao GRANDE PRÊMIO, a Brembo confirmou que, depois de um GP da Áustria em que alguns pilotos reportaram superaquecimento dos freios, recomendou uma nova especificação de material para o GP da Estíria, uma opção que foi seguida por alguns pilotos, enquanto outros continuaram com a opção do fim de semana anterior. A equipe de Viñales permaneceu usando as pinças de 2019.

Em contato com o GRANDE PRÊMIO, a Yamaha confirmou que Rossi, Quartararo e Morbidelli “usaram o novo sistema de freio, enquanto Viñales, não”. A SRT também ratificou a opção de seus titulares ao GP. Assim, dos quatro pilotos que usam a YZR-M1, apenas o espanhol permaneceu com o mesmo sistema de freios do fim de semana passado.

A Brembo também confirmou ao GP que, além do duo da SRT e da Yamaha de Rossi, as motos de Ducati, Pramac, Suzuki, Honda e LCR também foram montadas com a especificação de 2020. Avintia, KTM, Tech3 e Aprilia usaram a de 2019.

Viñales optou pela versão padrão da pinça de 2019, enquanto que a KTM, por exemplo, usou variante ‘carga-pesada’ do mesmo ano. A diferença entre ter ou não problemas é também relacionada ao perfil de cada moto, já que a Yamaha, por exemplo, por ter um importante déficit de velocidade, é mais dependente do trabalho dos pilotos em atrasar a freada.

O regulamento da MotoGP exige apenas que, em Motegi, os pilotos utilizem os discos de 340mm, mas não faz nenhuma exigência em relação as pinças.

Viñales sofreu impacto de 23 G em acidente no GP da Estíria

A Alpinestars revelou os dados coletados pelos sensores do macacão de Maverick e, além de confirmar que a queda aconteceu a 218 km/h, informou que o impacto sofrido pelo espanhol foi da magnitude de 23 G.

As imagens do GP da Estíria de MotoGP

O GP da Estíria da MotoGP (Foto: Yamaha)
Paddockast #75 | Thiago Camilo, maior vencedor da Corrida do Milhão
Ouça também: PODCASTS APPLE | ANDROID | PLAYERFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar