Yamaha desrespeita regulamento e perde 50 pontos no Mundial de Construtores

A FIM (Federação Internacional de Motociclismo) anunciou nesta quinta-feira (5) uma punição à casa de Iwata por não ter respeitado o regulamento que exige aprovação unanime da MSMA (Associação das Fábricas de Motocicletas Esportivas) para realização de alterações

A FIM (Federação Internacional de Motociclismo) anunciou nesta quinta-feira (5) uma punição à Yamaha por quebra de regulamento. A montadora de Iwata perdeu 50 pontos no Mundial de Construtores, enquanto a equipe de fábrica perdeu 20 no Mundial de Equipes. A satélite SRT também não escapou de sanções e teve 37 tentos subtraídos.

Mais cedo, o jornal italiano La Gazzetta dello Sport revelou que a montadora dos três diapasões estava sendo investigada por supostamente ter infringido o regulamento ao utilizar válvulas incompatíveis com o motor homologado pelo diretor-técnico do Mundial. Pelo regulamento, as fabricantes que não contam com concessões só podem fazer modificações no propulsor por razões de segurança e mediante aprovação unânime da MSMA (Associação das Fábricas de Motocicletas Esportivas).

O início da temporada foi marcado por uma série de problemas com os motores da YZR-M1. Na abertura da temporada, em Jerez de la Frontera, Maverick Viñales teve problemas em um dos treinos, enquanto Valentino Rossi precisou abandonar o GP da Espanha. Franco Morbidelli, que usa uma moto na especificação A, diferente, portanto, das outras três máquinas, quebrou na corrida seguinte, em Andaluzia.

Yamaha perdeu pontos da vitória de Fabio Quartararo (Foto: Divulgação/MotoGP)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Diretor da Yamaha, Lin Jarvis reconheceu que tinha solicitado à MSMA a substituição das válvulas, mas, após receber um pedido por mais informações, optou por remover a solicitação e contornar o problema internamente.

O motor investigado é aquele utilizado no primeiro fim de semana de Jerez. Assim, a punição aplicada no Mundial de Construtores equivale ao dobro da pontuação obtida por Quartararo com a vitória no GP da Espanha. A subtração na disputa das equipes corresponde à pontuação dos pilotos naquele dia.

Nas notificações de punição, a FIM explica que se trata de uma infração ao “Artigo 3.5.5 do regulamento do Mundial”.

“Durante o GP da Europa, no dia 5 de novembro, o diretor-técnico da MotoGP nos providenciou notificação de que a Yamaha falhou em respeitar o protocolo que a obriga a obter aprovação unânime da MSMA para mudanças técnicas”, disse a nota da entidade. “Convocada à comparecer diante do Painel de Comissários da FIM, esteve na reunião e tomou conhecimento dos fatos”, seguiu.

“Pelos motivos acima, os comissários retiram 50 pontos da marca no Mundial de Construtores, que são iguais ao dobro dos pontos conquistados sob desrespeito ao protocolo”, anunciou.

Pela mesma razão, a Yamaha perdeu 20 pontos no Mundial de Equipes, a pontuação equivalente ao segundo lugar de Viñales. A SRT, por sua vez, também foi notificada, mas foi representada pela Yamaha.

“Pelos motivos acima, os comissários da FIM impuseram a retirada de 37 pontos da equipe no Mundial de Equipes que foram obtidos sob falta de respeito ao protocolo de mudanças técnicas”, confirmou a FIM na notificação enviada ao time chefiado por Razlan Razali.

A FIM ressalta, ainda, que a Yamaha ainda tem direito de apelar da decisão.

“De acordo com os artigos 3.4.2, 3.4.6 e 3.4.7 do regulamento da FIM, a equipe tem o direito de apelar contra a decisão dos comissários. Tal apelo deve ser feito até uma hora da data de nossa notificação, acompanhado de um depósito em seguro de 1.320 euros. O apelo pode ser feito à IRTA, que fica responsável pela garantia do depósito”, completou a entidade.

As penas, porém, não interferem no Mundial de Pilotos. Fabio Quartararo segue 14 pontos atrás de Joan Mir, o líder da disputa, com Maverick Viñales e Franco Morbidelli fechando o top-4. Contudo, a punição não só tira da Yamaha a chance de fechar o Mundial de Construtores já neste fim de semana, como derruba a equipe para a terceira colocação, atrás de Ducati e Suzuki. No Mundial de Equipes, apesar das subtrações, SRT e Yamaha seguem na segunda e na quarta colocações, respectivamente.

GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP da Europa, antepenúltima etapa do Mundial de Motovelocidade 2020.

LEIA TAMBÉM
Mir lidera MotoGP com menor pontuação após 11 corridas em 27 anos

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:
Anchor | Apple | Spotify | Google | Pocket Cast | Radio Public | Breaker

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube